Araioses e as grandes enchentes

Pela sua localização geográfica Araioses passa por grandes enchentes – anos sim outros não – durante os invernos, que aqui se caracteriza pelos períodos chuvosos, que vai de janeiro a junho.

Foi assim em 1960, 1974, 1985, 2009 para citar as que ainda estão na memória de muitos, mas antes de Araioses ser cidade, 1917 quando ela ainda era uma vila houve provavelmente, uma das maiores cheias de sua história.

A enchente foi tamanha que as autoridades locais tiveram que pedir socorro ao governo do Maranhão como se pode ver em um pint de uma pagina do informativo O Jornal, onde na edição de nº 00722 de 7 de abril de 1917, em um telegrama o drama vivido pela população daquela época chegou ao conhecimento das autoridades estaduais.

Escrito em um português – onde o a letra S ainda não tinha o som de Z – a missiva do intendente José Machado relata o drama vivido pelas populações ribeirinhas naquele distante ano de 1917.

Abaixo o texto do telegrama na linguagem de hoje:

A inundação

Em Araioses

Do nosso correspondente, recebemos o telegrama seguinte:

As enchentes do Parnaíba e do Magu fizeram transbordar o Santa Rosa inundando Araioses.

As ruas do Mercado, parte das Rio o Branco, Gonçalves Dias e Floriano Peixoto, estão sendo transitados por canoas.

O Intendente José Machado foi forçado a deixar a sua residência. Conceição está alagada e a população abandonou as casas fugindo da inundação.

Os prédios de propriedade de João Peres, do coronel Mariano Chagas e os outros fronteiros da Vila estão debaixo d’água.

O povo está assombrado, sofrendo as maiores necessidades e receoso de epidemias e misérias. Pede, por meu intermédio, seja nosso representante junto ao governo, solicitando socorro urgentes.

A safra do arroz será nenhuma.

Os vazanteiros já pegam para junho.

– Aceitando, de bom grado, a incumbência de nos é feita, em momento tão angustioso, apelamos para o sr. governador do Estado, esperando confiantes que o s. exc. que tão solicitamente atendeu aos inundados do Itapecuru, preste do mesmo modo socorro urgentes e eficazes, aos que, por igual flagelo, estão a merecer e a pedir as vítimas de Araioses.

MPF defende suspensão do pagamento de pensões e aposentadorias a ex-governadores do Maranhão

Por John Cutrim

O Ministério Público Federal (MPF) defende que seja suspensa a decisão que permitiu o pagamento mensal de aposentadorias e pensões vitalícias a ex-governadores do estado do Maranhão, suas viúvas e dependentes. No parecer enviado ao Supremo Tribunal Federal (STF), o procurador-geral da República, Augusto Aras, aponta o risco de dano em se permitir a continuidade desses pagamentos, que causam “vultosos prejuízos aos cofres estaduais afrontando a natureza contributiva, prevista no artigo 40 da Constituição Federal”. Para ele, a prática afronta os princípios constitucionais da igualdade, da moralidade e da impessoalidade.

Ainda de acordo com Augusto Aras, a questão já foi enfrentada pelo STF, “que declarou a inconstitucionalidade de pensões de ex-governadores, suas viúvas ou dependentes, em ações diretas de inconstitucionalidade ajuizadas por diversos estados da federação”. Em outro ponto da manifestação, o PGR cita o julgamento da ação direta de inconstitucionalidade (ADI) 3.418 contra normas do próprio estado do Maranhão. Na ocasião, o Supremo reconheceu a inconstitucionalidade do artigo 45 do Ato das Disposições Constitucionais Transitórias da Constituição maranhense e da Lei Estadual 6.245/1994, que conferiram, respectivamente, pensão vitalícia aos antigos ocupantes do cargo de governador do estado e aos cônjuges.

Por fim, Aras destaca que, diante da situação de disparidade entre os estados, ajuizou a ação de descumprimento de preceito fundamental (ADPF) 745, em setembro de 2020. Na ação, o PGR pede a suspensão imediata dos pagamentos de pensões, aposentadorias especiais e benefícios similares a ex-governadores e seus dependentes em todos os estados, por entender que o pagamento desses benefícios afronta preceitos fundamentais da Constituição. Com a ADPF, Aras pretende que se dê o mesmo tratamento a todos os estados que se encontram nessa situação.

Entenda o caso – O estado do Maranhão formulou o pedido de Suspensão de Segurança (SS) 5.528, no qual questiona decisão do Tribunal de Justiça (TJ/MA). O Tribunal concedeu tutela provisória de urgência (liminar) determinando que o secretário-chefe da Casa Civil do Maranhão restabelecesse o pagamento mensal da pensão vitalícia ao ex-governador do estado. O pagamento havia sido suspenso pela Casa Civil com base na decisão da ADI 3.418, o que levou o ex-governador a impetrar mandado de segurança. Com o restabelecimento do benefício pelo TJ/MA, o Estado do Maranhão recorreu ao STF pra cessar o pagamento.

Vitinho do Sampaio Araiosense vai para o Balsas

Após a Copa Norte de Futsal que está sendo disputada em Luzilândia/PI, Vitinho passará a defender a equipe de Balsas

Após a Copa Norte, o atleta Vitinho não mais defenderá a equipe do Sampaio Futsal Araiosense, pois ele já assinou um pré-contrato com o Balsas, time do sul do estado e grande rival do nosso time nas competições estaduais.

Dias atrás o Sampaio já tinha perdido o excelente goleiro Jordan, que hoje pertence à cidade de Umuarama no Paraná.

Ezequiel França – presidente do Sampaio – lamentou mais essa importante perda que o time sofre e que isso só ocorre porque a equipe enfrenta uma concorrência desleal, onde compete com agremiações que são apoiadas por prefeituras e fortes lideranças políticas.

O Sampaio Araiosense luta por um terreno para construir sua quadra – padrão nacional – em Araioses, onde o time possa treinar e trazer para cá as competições.

Atualmente a equipe treina em Parnaíba/PI e para esse fim tem que pagar aluguel de quadra.

Idealista como é, Ezequiel sonha fazer uma trabalho em Araioses com jovens de ambos os sexos, para se tornarem atletas de futsal aptos a competir em alto nível.

Neste sábado (29), o Sampaio entra em quadra para enfrentar a forte equipe do Magalhães de Almeida, que tem apoio total da prefeitura daquela cidade.

Mulher é presa acusada de matar o companheiro por vingança no interior do Maranhão

Faca de cozinha (imagem ilustrativa). — Foto: Arquivo/iKLICK/Creative Commons

Por g1 MA

Uma mulher, que não teve a identidade divulgada, foi presa nessa terça-feira (25), acusada de matar o companheiro, na cidade de Governador Edison Lobão, a 730 km de São Luís. O crime aconteceu no dia 22 de janeiro de 2017, no bairro Bom Jesus, e teve como vítima Valton Rodrigues da Silva.

Segundo as investigações, a suspeita mantinha um relacionamento com Valton Rodrigues e, após a comemoração do aniversário dela, motivada por vingança de uma suposta agressão por parte da vítima, a mulher sacou uma faca e perseguiu Valton.

Como o homem estava embriagado, ele foi alcançado pela companheira e atingido com uma facada no tórax, vindo a óbito ainda no local.

Segundo a Polícia Civil do Maranhão, a mulher foi autuada pelo crime de homicídio qualificado por motivo torpe e recurso que impossibilitou a defesa da vítima.

O mandado de prisão preventiva foi cumprido, nessa terça, por investigadores do Grupo de Pronto Emprego (GPE) e da Delegacia de Polícia da Edison Lobão.

A prisão foi feita na cidade de Ribamar Fiquene, na região Sudoeste do Maranhão, e logo após prestar mais esclarecimentos sobre o caso, a mulher foi encaminhada para uma unidade prisional da região, onde deve aguardar a decisão do Poder Judiciário.

Novo partido de Bolsonaro, PL reúne acusados de corrupção e tortura

Valdemar Costa Neto, presidente do PL, e Jair Bolsonaro (Divulgação)

Por Carolina Fortes/Revista Fórum

Defensor do combate à corrupção e à criminalidade, o presidente Jair Bolsonaro parece não ter estendido esse discurso ao seu partido político. Depois de rachar com o PSL, ficar meses sem uma sigla e fracassar ao criar a sua própria, Bolsonaro escolheu o PL para concorrer à reeleição em 2022.

O detalhe é que, entre os presidentes regionais que vão organizar o palanque do mandatário Brasil afora, há um condenado a prisão por tortura e envolvidos em lavagem de dinheiro, rachadinhas e corrupção.

Segundo um levantamento feito pelo Estadão, ao menos 18 dos 27 dirigentes foram ou ainda são alvo de algum tipo de investigação. Destes, quatro respondem a processos que se arrastam na Justiça e dois tentam reverter condenações.

Presidente do PL em Goiás, Flavio de Paula Canedo foi condenado a cinco anos de prisão e está inelegível por oito anos. De acordo com a denúncia, feita em 2002, o político e dois comparsas torturaram e ameaçaram Frederico Daniel de Carvalho, para tentar uma confissão dele sobre o furto de uma espingarda. Eles convidaram o homem para uma festa, onde o golpearam com uma paulada na cabeça.

Depois, tentaram afogá-lo enfiando a cabeça numa bacia com água; ataram pernas e braços com uma corda que passava pelo pescoço e, com um cordão fino, amarraram e puxaram a língua do rapaz.

Para a justiça, ficou comprovado que o crime foi premeditado e que Canedo agiu para “atrair a vítima para o local dos fatos com o propósito específico de submetê-lo a sessões intermináveis de torturas”.

Novo presidente do diretório do Pará, o senador Zequinha Marinho carrega a marca de um escândalo de rachadinhas. Ele responde na Justiça por ter cobrado, quando era deputado federal, uma “caixinha” para os cofres do PSC, seu antigo partido. Foi acusado pelo Ministério Público de concussão e chegou a confessar a prática em 2011, quando o caso foi revelado, argumentando que a prática era corriqueira e que não havia ilegalidades.

João Maia, que é chefe do PL no Rio Grande do Norte, foi acusado, em 2018, de peculato, corrupção passiva, associação criminosa, crimes contra licitações e lavagem de dinheiro. A ex-esposa, o ex-sogro e um sobrinho dele também foram denunciados. Hoje, o processo está suspenso, graças a habeas corpus concedidos em favor de alguns dos investigados.

Já Édio Lopes, que é presidente do partido em Roraima, responde a uma ação penal no STF por empregar funcionários fantasmas na época em que era deputado estadual, entre 2005 e 2006. Desde fevereiro de 2021, os autos estão com o ministro revisor.

Presidente do partido no Paraná, o deputado Fernando Giacobo já respondeu, anos atrás, por formação de quadrilha em suposto esquema de sonegação de impostos e também por sequestro e cárcere privado. Ambos os processos, abertos em 2000 e 2002, foram extintos por prescrição, sem que o mérito fosse julgado.

O parlamentar criticou a menção às ações em que ele foi réu e hoje estão arquivadas. “Eu já respondi. O que eu tinha foi extinto ou por prescrição ou por julgamento. Não respondo a ação, a processo administrativo, a inquérito administrativo, a nada. Quem não respondeu a alguma ação no passado? Você, um parente seu, pode ter respondido”, disse. “Quando foi feita a Lei da Ficha Limpa, falei que se não julgassem tudo o que eu tinha pendente eu não seria candidato em 2010. Minha vida zerou e fui para a eleição ‘zeradinho da Silva’”.

Em Sergipe, o partido é controlado pelo empresário Edivan Amorim, acusado de crimes na obtenção de um empréstimo junto ao Banco do Nordeste, em 2012. Uma outra operação de crédito fraudulenta levou Edivan a ser condenado pela Justiça do Paraná, em 2000, no caso do Banestado. O inquérito está trancado desde o fim do ano passado, porque Edivan e outros investigados conseguiram um habeas corpus que suspendeu as investigações.

Ao Estadão, o dirigente sergipano afirmou que o inquérito ” foi motivado por denúncia anônima, sem nenhuma comprovação de absolutamente nenhuma irregularidade”. Sobre o caso do Banestado, alega que venceu recurso no Superior Tribunal de Justiça.

Além dos presidentes do PL nos Estados, o dono do partido, Valdemar da Costa Neto, foi condenado por corrupção passiva e lavagem de dinheiro no caso do mensalão. O ex-deputado foi condenado a sete anos e dez meses de prisão. Depois de cumprir dois anos e meio da pena, em 2016, recebeu indulto do Supremo Tribunal Federal (STF).

Polícia apreende sete armas de fogo são apreendidas em Tasso Fragoso

Armas apreendidas no município de Tasso Fragoso, no Maranhão.                        (Foto: Divulgação/Polícia Militar)

O Imparcial, com informações da Polícia Militar

Nessa terça-feira (25), foram apreendidas sete armas de fogo na cidade de Tasso Fragoso, no Maranhão.

De acordo com a Polícia Militar, a ação aconteceu após a guarnição de Rádio Patrulha receber uma denúncia de um desentendimento entre vizinhos, no qual um dos envolvidos estava em posso de arma de fogo.

Ainda de acordo com a polícia, na área de conflito os policiais apreenderam três espingardas de percussão externa, duas cartucheiras calibre 36, uma cartucheira calibre 32 e uma garrucha. As armas de fogo foram apreendidas e encaminhadas a Delegacia de Polícia Civil para devidas providências. Os suspeitos não foram localizados.

Outra apreensão

Arma apreendida na cidade de Itinga do Maranhão.                                                    (Foto: Divulgação/Polícia Militar)

Ainda durante a terça, uma outra arma de fogo foi apreendida na cidade de Itinga do Maranhão.

Segundo a Polícia Militar, durante buscas no Morro da Pipira, foi avistado pelos policiais um homem que tentou fugir ao perceber a presença da viatura.

Ainda de acordo com a polícia, o suspeito, que não foi localizado, deixou para trás uma espingarda de fabricação artesanal. A arma foi apreendida e apresentada na delegacia da cidade de Açailândia.

Vice-prefeitos criam entidade representativa no Maranhão

Por Gilberto Léda

Aconteceu na manhã da última sexta-feira, 21, em Santa Inês, o ato de criação da União de Vice-prefeitos e Vice-prefeitas do Maranhão (UNIVIMA), que terá por finalidade ampliar a participação dos vice-prefeitos e vice-prefeitas nas discussões que influenciam o destino dos municípios junto à FAMEM, ao Estado e ao Governo Federal.
O vice-prefeito de Monção, Mário Cardoso, foi eleito presidente da comissão provisória, inicialmente formada por 12 membros, escolhidos por representação regional. A próxima etapa será, nos próximos 45 dias, a elaboração e aprovação do estatuto e o processo de eleição da diretoria da entidade.

“O Movimento já nasceu grande, com 118 associados, entre vice-prefeitos e vice-prefeitas, que participam ativamente do grupo de trabalho”, disse o Presidente Eleito Mário Cardoso.

Com o discurso de fortalecimento do municipalismo, a entidade planeja os próximos passos no sentido de consolidar a amistosidade entre as organizações de prefeitos e vereadores já existentes no estado.

O leilão de Moro

Por Fernando Brito, editor do TIJOLAÇO

Não é só na bolada que recebeu da multinacional Alvarez & Marsal – tutora judicial das empresas que a Lava Vato quebrou – que o dinheiro anda assombrando a vida do ex-juiz Sergio Moro.

Ele flerta e balança com a dinheirama de R$ 1 bilhão que a União Brasil terá em seus cofres para a campanha eleitoral e, para isso, deixa “pendurados” o Podemos, partido que foi montado para esperá-lo como candidato a presidente.

Até o seu “site oficioso” de Moro, aquele da turma do Diogo Mainardi, admite que, nas conversas sobre a filiação de Moro ao União Brasil, o assunto é dinheiro. Moro, dizem, estaria insatisfeito com a “falta de investimento” do partido e que Luciano Bivar, ex-senhorio de Jair Bolsonaro no PSL, estaria fazendo ‘jogo duro’ com uma aliança com o ex-juiz, querendo a vaga de vice.

“Na prática, Bivar quer ser o vice de Moro na União Brasil. Ou seja, quer uma chapa puro sangue, o que inviabiliza qualquer acordo com o Podemos.
A discussão sobre eventual mudança de legenda foi precipitada pela passividade do Podemos na campanha de Moro. Além da dificuldade para montar palanques regionais, o partido não tem investido na divulgação da candidatura, ainda pouco conhecida.(…)
Falta apoio político e financeiro. Embora o núcleo da campanha esteja buscando doações no mercado privado, apoiadores acham estranho que o multimilionário Oriovisto, fundador do grupo Positivo [e senador pelo Podemos] , não tenha oferecido ajuda.
Outro ricaço, o senador Eduardo Girão até ajudou financeiramente para o ato de filiação e fez alguns discursos em defesa de Moro, mas, na semana passada, viajou aos EUA com a bolsonarista Carla Zambelli.”

Já sem ilusões sobre o amor de Moro, parte do Podemos parece querer leiloá-lo, numa coligação de traídos.

Moro tem dado sinais de que quer o acerto com Bivar, mas tem que resolver o problema de dar um “perdido” no Podemos.

E, depois, sem ter mais o poder de um juiz criminal, escapar do laranjal do Bivar.

Olavo de Carvalho (1947 – 2022): Morre um pústula

Olavo de Carvalho fuma na embaixada brasileiro em Washington (Foto: Itamaraty)

Por Renato Rovai/Revista Fórum

Não comemoro mortes. É algo que assumi como um dogma. A morte envolve muitos sentimentos para além do finado que precisam ser respeitados.

Já vi gente comemorando a morte de filhos de adversários políticos, de atores e até de jogadores de futebol. Acho que isso revela mais sobre a pessoa do que sobre o morto ou seu familiar que é alvo do ódio.

Não vou abrir uma champanhe pela morte de Olavo de Carvalho e nem ao menos sair por aí dizendo “bem feito, quem mandou não se vacinar”. Mas ao mesmo tempo não vou deixar de dizer que quem morre é um dos mais tóxicos dos seres humanos que teve algum tipo de destaque no debate público desde a democratização do Brasil em 1985.

Olavo foi um cancro para a democracia brasileira. Ele, em conjunto com a família Bolsonaro, transformou em herói para uma parcela da população gente como Ustra. Só por isso mereceria todos os repúdios mesmo no dia da sua morte. Mas mais do que isso, incentivou ódio a gays, violência contra pessoas que chamava de globalistas, todo tipo de discriminação e ainda convenceu milhões a lutarem contra a vacina chinesa o que levou dezenas de milhares à morte, inclusive ele.

Morre um pústula. Essa é a verdade. E reconhecer isso mesmo com o corpo ainda quente é obrigatório, porque sua vida foi dedicada ao ódio e à violência contra grupos sociais. Esconder é de alguma forma inviabilizar essa violência, esse horror que foi por ele incentivado em vida.

Mesmo morto, Olavo deixa seguidores. E por isso precisará continuar a ser combatido. Sua história de crápula e de alguém deletério aos direitos humanos e ao processo civilizatório tem que ser discutida como algo a ser superado pela sociedade para que pessoas assim não tenham mais tanto espaço para combater a democracia por dentro.

Olavo provavelmente vai definhar enquanto guru. Mas isso também depende de nós. Os erros dos democratas em não valorizar a cultura e a educação e ao mesmo tempo não diminuir as injustiças sociais é que abrem espaço para gente assim se tornar referência e liderança.

Olavo morre e é hora de aproveitar a oportunidade para enterrar junto com ele o olavismo e todo o mal que ele representou ao Brasil.

Suspeito de assassinar brutalmente travesti em Timon/MA já foi identificado, afirma delegada

Paulinha, de 31 anos, foi brutalmente assassinada a facadas e pedradas em Timon (MA) — Foto: Divulgação/Redes sociais

Por g1 MA

A Polícia Civil do Maranhão afirma que já identificou o suspeito de assassinar a travesti conhecida como “Paulinha”, de 31 anos, que foi brutalmente assassinada a pedradas e facadas na cidade de Timon, a 450 km de São Luís. O corpo de Paulinha foi localizado no último domingo (23), na Praça Higino Cunha, no bairro Formosa, no município.

Tio de travesti brutalmente assassinada em Timon lamenta morte da sobrinha: ‘Chocou todo mundo’

Segundo a delegada Nayana Muller, que investiga o caso, durante as investigações foi constatado que o autor, o qual não teve a identidade revelada, está internado em um hospital psiquiátrico desde domingo.

Ainda de acordo com a delegada, não foi possível fazer a prisão em flagrante do suspeito, devido ao término do prazo de 24h após o crime, mas a polícia representou, junto à Justiça, pela prisão preventiva do suspeito e aguarda a decisão judicial para que o homem seja detido.

O crime

A travesti, identificada como Paulinha, de 31 anos, foi brutalmente assassinada a pedradas e facadas em Timon. O corpo foi localizado no domingo (23), na Praça Higino Cunha, no bairro Formosa, no município. A vítima foi encontrada parcialmente despida e com um pedaço de madeira dentro da boca. A travesti tinha ainda dezenas de marcas de violência pelo corpo e a cabeça estava bastante machucada.

O corpo da vítima passou por exames para identificar a causa da morte e o laudo será divulgado nos próximos dias. A Polícia Civil explicou que o nome da vítima não será divulgado em respeito aos familiares e para evitar eventuais problemas com a legislação.

Ao g1, a delegada Nayana Muller afirmou que a polícia ainda não pode confirmar que o crime se trata de transfobia ou homofobia. Várias testemunhas já foram ouvidas nessa segunda-feira (24) e outras ainda devem ser envolvidas até o caso esteja esclarecido.

Maranhense é preso em São Paulo suspeito de injúria e difamação contra pessoas do Maranhão

“Besouro Pagodinho” publicava vídeos na internet proferindo discursos de ódio contra outros maranhenses. (Foto: Reprodução)

O Imparcial, com informações da SSP-MA

Nessa segunda-feira (24), a Polícia Civil do Maranhão e de São Paulo cumpriu um mandado de prisão contra José da Silva Frazão, conhecido como “Besouro Pagodinho”, suspeito pelos crimes de injúria e difamação.

Segundo a polícia, a investigação iniciou contra o suspeito, que é natural da cidade de Bacabal, no Maranhão, após ele proferir ameaças, desacato e injúrias contra policiais da delegacia regional do município de Zé Doca.

Ainda de acordo com a polícia, a equipe investigativa também tomou conhecimento que o suspeito havia proferido discurso racista e homofóbico, por meio de vídeo, afirmando que se candidataria a deputado federal para dividir o estado do Maranhão.

O suspeito afirmou que no novo estado “seriam expulsos os gays, lésbicas e pessoas de cor”. Após a declaração, foi iniciada uma investigação para apurar os crimes de injúria, desacato, ameaça e racismo.

A delegacia regional de Zé Doca representou pela prisão de Besouro Pagodinho, que foi deferida e cumprida nessa segunda, em São Paulo.

Agora, o preso se encontra à disposição do Poder Judiciário e as investigações avançam. A Justiça ainda irá decidir se Besouro Pagodinho irá responder pelos crimes de calúnia e difamação em São Paulo ou no Maranhão.

Sobras do Fundeb – A política pode está dificultando

(Foto: Reprodução)

Fui abordado hoje (24) pela manhã, por um professor da Rede Municipal de Educação de Araioses. Ele queria saber algo sobre o pagamento das sobras do Fundeb, que segundo ele o prazo se encerra neste mês.

Bom, sei de alguma coisa, mas não sei de tudo que envolve a situação.

Tenho acompanhado as movimentações de cobranças desses recursos por parte do pessoal do SINDSEPMA, liderados pelo vereador Arnaldo Machado, mas sinceramente não sei dizer se há sobras e se essa gente são os melhores intermediários para negociar, junto ao Poder Executivo Araiosense, a situação.

Lógico que essa é a função do sindicato, que é um órgão que existe para esse fim e até o Arnaldo, no papel de vereador, também. Porém, vejo por parte desses, atitudes de confronto com a gestora de Araioses e com agentes da educação, que entendo ser um erro adotar essa linha de atuação.

Quem tiver tempo é só procurar nas redes sociais as atitudes de pessoas desse seguimento e verá que se há sobras e a prefeita Luciana Marão Trinta atender o que eles querem, a seguir irão para as redes sociais catar vitórias.

E se há vitória de uns alguém foi derrotado.

Se por outro lado à prefeita não atender o que eles solicitam, a atitude deles será idêntica e dirão que luram pelos direitos dos professores e que a gestão municipal é que não quer pagar.

Isso tudo ocorre porque tanto sindicalistas como o vereador que os lidera tem firme postura de oposição à administração municipal fomentada pelo sonho de chegarem um dia ao comando de nossa prefeitura.

Se os sindicalistas de Araioses que defendem os interesses dos funcionários públicos não fossem assumidos agentes políticos ficava mais fácil dos assuntos serem resolvidos, acredito eu.

É dessa forma que estou entendo as coisas senhores professores e vejo também que outro seguimento representativo – não só da classe -, mas como de todos os araiosenses assuma as negociações.

21 cidades no Maranhão tem taxa de vacinação abaixo de 44%. Veja quais

Por John Cutrim

Apesar do avanço da vacinação no Maranhão, ainda há cidades com desempenho ruim na aplicação da dose. Dos 217 municípios, 21 se destacam negativamente por ter menos de 44% da população vacinável com ao menos duas doses ou com a dose única. A população vacinável inclui as pessoas de 12 anos ou mais. As duas doses são consideradas fundamentais para a proteção.

Essas 21 cidades ou aplicaram poucas doses ou aplicaram e não atualizaram o sistema – um problema que faz o Maranhão parecer numa situação pior no ranking nacional do que realmente está.

Se o município aplica a dose e não informa ao Ministério da Saúde, é como se não tivesse aplicado, para fins de registro oficial. A competência para a aplicação das doses é dos municípios.

Cabe ao Governo do Maranhão levar a vacina até as cidades. E cabe à União distribuir as vacinas para os Estados.

“O cenário é muito desigual, e a gente tem como meta melhorar essa situação. Se a gente tem municípios com 80% ou 90% da população com as duas doses, a média geral do estado é mais baixa, com pouco mais de 50% imunizada com ao menos duas doses”, diz o secretário de Estado da Saúde, Carlos Lula.

“É essencial que a gente melhore esses indicadores, a gente tem se reunido com prefeitos, a gente tem pedido esse apoio”, acrescenta. “É fundamental tanto imunizar quanto lançar os dados no Ministério da Saúde”, diz Carlos Lula. (Do Jornal Pequeno)

Cidades com os piores índices de aplicação nas duas doses ou com a dose única:

Centro Do Guilherme………………………………… 35,2%
Itaipava Do Grajaú……………………………………. 35,39%
Bom Jesus Das Selvas……………………………….. 36,11%
Matões Do Norte………………………………………. 36,68%
Cachoeira Grande……………………………………… 37,03%
Maranhãozinho ………………………………………… 37,46%
Satubinha…………………………………………………. 38,72%
Trizidela Do Vale ……………………………………… 38,87%
São Roberto……………………………………………… 39,5%
Humberto De Campos……………………………….. 40,32%
Maracaçumé…………………………………………….. 40,48%
Amarante Do Maranhão…………………………….. 40,62%
Miranda Do Norte …………………………………….. 42,5%
Turilândia ………………………………………………… 42,55%
São João Do Carú……………………………………… 43,5%
Mirador …………………………………………………… 43,7%
Santo Amaro Do Maranhão ……………………….. 43,7%
Marajá Do Sena………………………………………… 43,77%
Timbiras………………………………………………….. 44,01%
Milagres Do Maranhão ……………………………… 44,16%
Cantanhede………………………………………………. 44,2%

Medalha de ouro para Educação de Água Doce/MA

Quem ganhou a medalha de ouro em matemática foi Gustavo Vilar Brandão, aluno da Rede Municipal de Água Doce do Maranhão na 16ª Edição da OBMEB, mas não se pode deixar de reconhecer que para essa conquista tem também o mérito da professora Rosária Dias – gestora da pasta da Educação naquela cidade.

Gustavo Vilar Brandão estuda na Escola Unidade Integrada Pedro Mariano Moreno e tem entre seus professores, Francisco Adriva Silva Nascimento, que ganhou o certificação de reconhecimento e dedicação, como premiação.

A Secretária Municipal Educação, Rosária Dias, destaca “o sentimento de orgulho que pulsa nos corações de todos os que fazem a Educação Aguadocense e parabenizar os nossos campeões. Esse momento é muito mais do que um reconhecimento, é um ato de incentivo a todos os estudantes, escolas e professores. Essas conquistas são símbolos da dedicação e empenho da gestão em proporcionar novas oportunidades de vida para os estudantes da rede municipal”.