Folha vê tentativa de compra de votos por Bolsonaro e dano econômico duradouro

(Foto: Divulgação)

Brasil 247 – A crise econômica provocada por Jair Bolsonaro tem um claro viés eleitoreiro, aponta editorial da Folha d S. Paulo deste sábado. “São evidentes os objetivos eleitoreiros do mandatário irresponsável. Sua popularidade entre os mais pobres despencou com o fim do auxílio pago no auge da pandemia e sua reeleição parece ameaçada”, diz o texto.

“O dano causado à economia será profundo e duradouro, como indicam as primeiras reações da praça. A queda do valor das ações e a alta do dólar e dos juros anunciam o preço que o país pagará pela inépcia de Bolsonaro e sua equipe. O descrédito do governo levará investidores a cobrar mais juros para financiar suas dívidas, a desvalorização do câmbio trará mais inflação, e o aperto financeiro deprimirá a atividade econômica”, aponta ainda o editorialista.

Caravana Mais Turismo qualificou mais de 130 profissionais no Polo Floresta dos Guarás

Edição da Caravana Mais Turismo no Polo Floresta dos Guarás qualificou 131 profissionais. (Foto: Divulgação)

Com o objetivo de promover o turismo do estado, a Secretaria de Estado do Turismo (Setur) realizou ações da Caravana Mais Turismo, de 19 a 22 de outubro, em Guimarães, Bequimão e Apicum-Açu. 131 profissionais foram qualificados e 301 crianças sensibilizadas nessa visita ao polo turístico da Floresta dos Guarás.

As capacitações tiveram oito horas de carga horária e entrega de certificado, os cursos com abordagens voltados a aplicabilidade dos conteúdos. De acordo com o secretário estadual de Turismo, Catulé Júnior, a caravana pretende preparar esse segmento para receber melhor os visitantes. “O Maranhão está voltando a receber muitos turistas e queremos que os visitantes sejam bem recebidos e, claro, quando se encantarem com nossas belezas, nos ajudem a promover nosso estado”, afirma Catulé Junior.

O Programa Mais Qualificação, Mais Turismo qualificou 131 profissionais com os cursos de “Técnicas de comercialização e vendas no artesanato”, “Mídias Sociais para promoção do turismo”, “Qualidade no atendimento”, “Boas Práticas para manipulação de alimentos”, “Qualidade no atendimento de bares e restaurantes”, “Condução de visitantes em ambientes naturais” e “Informações turísticas”.

O Superintendente de Qualificação Profissional, Antônio Castro, explica sobre a metodologia. “As técnicas e métodos utilizados durante a aula induzem os alunos a levar para o cotidiano deles as aplicações que aprenderam na sala de aula, dando ênfase no bem receber”, enfatiza Castro.

Além das qualificações, a equipe do Programa Mais Infância, Mais Turismo da Setur realizaram palestras de Combate à Exploração Sexual Infantil no Turismo para mais de 300 crianças e adolescentes.

Caravana Mais Turismo

A Caravana Mais Turismo oferece aos profissionais dos diversos segmentos do turismo uma ferramenta capaz de aumentar a eficiência, aprimorar a qualidade dos serviços prestados e ampliar sua competitividade, para fortalecimento do produto turístico e desenvolvimento do setor no Maranhão. O programa atenta para as especificidades e padrões culturais de cada polo turístico, visando o aumento da empregabilidade, a melhoria da qualidade de vida, o desenvolvimento sustentável e a autogestão.

Polo Floresta dos Guarás

Floresta dos Guarás, Apicum Açu/MA – Foto: Reprodução da Internet

Ainda em fase de estruturação, o Polo da Floresta dos Guarás fica na parte amazônica do Maranhão, no litoral ocidental do Estado. Os municípios que compõem o polo são Guimarães, Cururupu, Porto Rico do Maranhão, Bequimão, Mirinzal, Apicum Açu e Central do Maranhão.

Em ato falho, Guedes anuncia banqueiro André Esteves como novo secretário do Tesouro (vídeo)

Jair Bolsonaro e Paulo Guedes em pronunciamento (Foto: Reprodução)

Brasil 247 – O ministro da Economia, Paulo Guedes, cometeu uma gafe durante pronunciamento nesta sexta-feira (22), ao lado de Jair Bolsonaro.

Guedes disse que, no lugar de Bruno Funchal, que pediu demissão do cargo de secretário especial do Tesouro e Orçamento, estaria entrando o banqueiro André Esteves.

O ministro admitiu ter cometido “ato falho”, e explicou que quis dizer Esteves Colnago, que será o novo secretário do Tesouro.

Colnago foi ministro na gestão Michel Temer. Atualmente, ele faz a articulação do Ministério da Economia com o Congresso Nacional.

Veja:

Bolsonaro inaugura projeto hídrico de Lula no Nordeste que ainda não pode funcionar por falta de verba

De acordo com governo de Pernambuco, o próprio presidente vetou verbas para terminar as obras

Bolsonaro em Pernambuco – Credit…Foto: Presidência da República

O presidente Jair Bolsonaro participou da cerimônia de inauguração do Ramal do Agreste na cidade de Sertânia, em Pernambuco, nessa quinta (21).

O programa, projeto do governo Lula, tem a função de levar água às casas de mais de dois milhões de pessoas em 68 cidades da região, entretanto, o funcionamento não será possível no momento.

Para que comece a funcionar, o empreendimento depende da conclusão das obras do complexo Adutora do Agreste, as quais não foram finalizadas ainda porque o próprio presidente da República vetou, em abril, o envio de R$ 161 milhões previstos para isso.

“Em todo o ano de 2021, nenhum único centavo foi repassado ao governo de Pernambuco para o andamento das adutoras. […] Deixando bem claro: em 2021, a União não realizou nenhuma transferência de recursos […]. O ritmo das obras foi reduzido por conta da incerteza na disponibilidade financeira por parte do governo federal e não por conta da ordem de execução dos trabalhos”, disse uma nota do governo de Pernambuco.

No entanto, o Ministério do Desenvolvimento Regional critica a sequência de execução dos trechos da Adutora do Agreste escolhida pelo governo pernambucano.

“Caso o governo do estado tivesse executado prioritariamente este trecho, com a conclusão do Ramal do Agreste, a água do Projeto São Francisco chegaria aos municípios contemplados nesta etapa da Adutora”, disse a pasta em nota.(com agência Sputnik Brasil)

Fonte: Jornal do Brasil

O mercado ‘nervosinho’ e o povo indefeso

Por Fernando Brito, editor do TIJOLAÇO

Jair Bolsonaro, em sua live de ontem, ao defender o seu ‘vale-diesel’ de R$ 400, anunciou também outro aumento “iminente” no preço dos combustíveis.

“Se não reajustar, falta. A inflação é horrível, é péssimo, mas pior ainda é o desabastecimento. Como está na iminência de um novo reajuste, o que buscamos fazer, acertado com a equipe econômica —alguns não queriam, outros acharam que era possível —, dar auxílio para caminhoneiro em havendo um novo reajuste. O que está decidido até o momento, R$ 400”.

É uma formula perfeita para transformar um problema em vários, inclusive na área de transportes de cargas.

Dos pouco mais de 2,2 milhões de caminhões emplacados no país, 1,3 pertencem a empresas transportadoras (dados de abril, da agência especializada Transporta Brasil) e, portanto, terão uma elevação de custos com o diesel que será repassada aos preços dos produtos transportados.

No caso dos 750 mil autônomos (segundo os números de Bolsonaro), o auxílio representa – ao preço de hoje – a 80 litros mensais ou 1/5 do tanque médio de um caminhão grande. Isso equivale, aproximadamente, considerado um consumo médio de 2,5 km por litro de diesel, a rodar 200 km, menos de um terço do que um caminhoneiro roda, em geral, em um dia de trabalho.

É obvia, portanto, a irrelevância do “Bolsa Diesel” na remuneração dos caminhoneiros autônomos e ainda mais no preço do frete.

Mas não é irrelevante para o processo já indócil de aumento de preços um presidente anunciar que haverá desabastecimento ou aumento de preços, pura e simplesmente.

O mercado “nervosinho” não perdoa e remarca preços.

Em reunião com ministro do Meio Ambiente, Flávio Dino alinha participação dos governadores da Amazônia Legal na CoP26

Flávio Dino destacou o papel da Amazônia Brasileira para a garantia da segurança climática no planeta (Foto: Brunno Carvalho)

Em reunião virtual realizada nesta quinta-feira (21). o governador Flávio Dino, demais governadores dos estados que integram a Amazônia Legal e o ministro do Meio Ambiente, Joaquim Leite, alinharam pontos sobre a participação dos gestores na 26ª Conferência das Nações Unidas sobre Mudança Climática, a CoP26, que será realizada entre os dias 31 de outubro e 12 de novembro de 2021, na cidade escocesa de Glasgow, no Reino Unido.

“Finalizamos agora uma reunião dos governadores com o ministro do Meio Ambiente, em que avançamos quanto à preparação da participação brasileira na CoP26, no Reino Unido, agora no mês de novembro. A Amazônia irá realizar eventos, debates e estará diretamente representada pelos governadores e pelos secretários estaduais de Meio Ambiente”, disse Flávio Dino.

Presidente do Consórcio Interestadual de Desenvolvimento Sustentável da Amazônia Legal, Flávio Dino destacou, durante o encontro, o papel central da região amazônica para garantia da segurança climática no planeta.

“Nós desejamos, mediante esse conjunto de reuniões, fóruns e convenções, que haja o reconhecimento dos serviços ambientais e ecossistêmicos prestados pela Amazônia. Este evento no Reino Unido será de grande importância. O Governo do Maranhão, o Consórcio da Amazônia Legal e os demais governos estaduais estão trabalhando para que tenhamos bons resultados”, frisou Dino.

Uma das iniciativas para reduzir os impactos ambientais na região e estimular o desenvolvimento da região amazônica brasileira – onde hoje habitam cerca de 30 milhões de pessoas – é o Plano de Recuperação Verde (PRV). Lançado em julho deste ano pelo Consórcio da Amazônia Legal, o PRV propõe estratégias de transição para uma economia verde, que seja compatível com o combate às desigualdades, com a geração de emprego e renda e com o crescimento econômico sustentável da região Amazônica.

“Sabemos que os 30 milhões de brasileiros e brasileiras que moram na Amazônia Legal necessitam da elevação dos seus direitos, de políticas e serviços públicos”, ressaltou o governador maranhense.

Apoio internacional

Para dar cabo ao projeto socioeconômico e ambiental, Dino propôs que o Governo Federal dê anuência para que governos estaduais possam dispor de recursos originários de iniciativas internacionais que combatem o desmatamento, como é o caso da LEAF Colition, ou Coalizão LEAF (Lowering Emissions by Accelerating Forest Finance).

Lançada pelos governos dos Estados Unidos, Reino Unido e Noruega, a Coalizão LEAF pretende mobilizar ao menos US$ 1 bilhão em recursos públicos e privados, para o pagamento de países ou governos locais, por resultados em termos de redução de desmatamento.

“Formulamos um pedido, inclusive, de que haja a formalização da anuência Federal à participação dos estados na Coalizão LEAF, para que nos próximos anos, os estados, os municípios, sobretudo a população, posam dispor de recursos para que haja a compatibilização entre economia verde e bem-estar social da população, a chamada sociobiodiversidade, que é essencial para o Brasil e para o mundo. Nós queremos valorizar a Amazônia, preservar a floresta em pé e, para isso, nós precisamos que haja justiça no mundo”, concluiu Flávio Dino.

O Consórcio Interestadual de Desenvolvimento Sustentável da Amazônia Legal é formado pelos nove estados amazônicos brasileiros: Acre, Amapá, Amazonas, Mato Grosso, Maranhão, Pará, Rondônia, Roraima e Tocantins.

Em vídeo Allan dos Santos diz que vai se entregar quando a Interpol acatar seu pedido de prisão

Allan dos Santos (Foto: Reprodução)

Brasil 247 – Allan dos Santos afirmou que usará todos os seus direitos nos EUA e se definiu como “imigrante”.

Allan dos Santos é investigado no Supremo em dois inquéritos: o que apura a divulgação de fake news e ataques a integrantes da Corte e também no que identificou a atuação de uma milícia digital que trabalha contra a democracia e as instituições no país.

Moraes ordenou ainda que a Polícia Federal inclua o mandado de prisão na lista da Difusão Vermelha da Interpol, para garantir que Santos seja capturado e retorne ao Brasil. Também foi acionada a embaixada dos Estados Unidos.

Rodrigo Maia acredita que 3ª via deve mirar em Bolsonaro para viabilizar candidatura

Rodrigo Maia. Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

Por Caíque Lima/no DCM

Para Rodrigo Maia, o alvo prioritário de uma segunda via para se garantir num segundo turno deve ser Jair Bolsonaro. Ex-presidente da Câmara dos Deputados e atual responsável pela pasta de Projetos e Ações Estratégicas em São Paulo, ele diz que o alvo dos candidatos não deve ser Lula.

“Só tem um para sair do segundo turno, que é o Bolsonaro. O candidato que está no nosso campo da centro-direita bate no Lula para mostrar que é diferente, mas o adversário é o Bolsonaro, que entrou no nosso eleitor”, defende Maia. Para ele, a “orgia fiscal” do governo vai “inviabilizar Bolsonaro”. Maia quer usar a quebra do teto de gastos para jogar o mercado contra o mandatário.

Segundo Maia, “a eleição está montada hoje para o Lula ganhar” e diz que Bolsonaro é um alvo fácil para o petista. “Se o Bolsonaro seguir sendo o adversário dele, Lula vai poder jogar parado, não precisa se comprometer com ninguém”, afirmou em entrevista a Fábio Zanini, na Folha de S. Paulo.

Ele acredita que o mandatário vai enfraquecer e “caminhar para menos de 20% das intenções de voto”. Com isso, avalia, “alguém vai ocupar o espaço, porque existe o antipetismo ainda”.

Maia acredita em Doria como nome da terceira via

Para ele, o melhor nome para disputar pela terceira via é João Doria. “Estou convencido que haverá um nome, que eu acho que é o Doria. A terceira via tem uma chance, que é viabilizar um nome no Sudeste. O Sul e o Centro-Oeste estão contaminados pelo bolsonarismo, e o Nordeste pelo lulismo”, diz.

Vereador Luisão participa de evento sobre Meio Ambiente em Santana do Maranhão

O vereador Luisão – presidente da Câmara de Araioses – representou o Legislativo Araiosense no evento sobre Meio Ambiente em Santana do Maranhão

O vereador Luís Fernando Marão Felix (o Luisão) – presidente da Câmara de Vereadores de Araioses participou hoje (21), de uma reunião em Santana do Maranhão com a coordenação do ICMBio de Parnaíba/PI, para apresentação do trabalho sobre a implementação do Comitê da Microbacia Hidrográfica do Rio Magu – APA do Delta do Parnaíba.

O evento foi realizado às 9:00 horas no plenário da Câmara de Vereadores daquela cidade, na coordenação de José Ricardo dos Santos Faro – secretário municipal de Meio Ambiente de Santata do Maranhão e contou com a presença de autoridades de Araioses, Água Doce do Maranhão e representantes do ICMBio, entre outros.

A Secretaria de Turismo e Meio Ambiente de Araioses, Maria de Nazaré Páscoa Aguiar também se fez presente na reunião

O Rio Magu tem uma extensão de 60 Km, nasce no município de Santana do Maranhão e desagua no Rio Santa Rosa, na altura do povoado João Peres.

Nesse percurso – em um bom trecho – ele faz a divisa de Araioses com Água Doce do Maranhão e possui em vários locais de sua orla balneários com excelente vocação para o turismo e o lazer.

O evento de hoje foi de debates, porém amanhã dia 22 haverá uma expedição na nascente do Rio, no povoado Cabeceira, a partir das 9:00 horas.

Maranhão é o 2º Estado com mais conflitos de terras no Brasil

Maranhão é o 2º Estado com mais conflitos de terras no Brasil                                 Foto: Reprodução/TV Mirante

Por g1 MA — São Luís

Segundo o relatório de campo divulgado nessa terça-feira (19), o Maranhão aparece em segundo lugar com mais conflito por terras no país, ficando atrás somente do Pará. As comunidades quilombolas, no Estado, são as mais afetadas pela violência gerada pela disputa de terras.

Segundo o advogado da Federação dos Trabalhadores Rurais Agricultores do Estado do Maranhão (FETAEMA), Diogo Cabral, as comunidades que vivem em regiões quilombolas estão sendo atingidas, principalmente no que diz respeito à alimentação. Além disso, o advogado do órgão revela que os trabalhadores alegam que não houve diálogo prévio com a empresa e tampouco com a Secretaria de Meio Ambiente do Estado do Maranhão.

“Eles relatam que com instalação de torres vários hectares de campos naturais foram destruídos ocasionando severos prejuízos o que se refere a alimentação, sobretudo porque aquela população depende dos peixes da região para a alimentação. Além disso, os trabalhadores alegam que não houve diálogo prévio com a empresa e tampouco com a Secretaria de Meio Ambiente do Estado do Maranhão. Fizeram várias denúncias ao Conselho Nacional dos Direitos Humanos, a Secretaria Estadual de Direitos Humanos, ao Ministério Público e a Defensoria Pública e esperam providências urgentes diante da grave situação que enfrentam”, relatou Diogo Cabral.

A situação é mais comum do que se imagina. A violência no campo passa por despejos, expulsões, ameaças, invasões, ações de pistolagem e, às vezes, até morte. Na raiz desse conflito, está, na maior parte, a grilagem de terras em diversas regiões do estado.

José Francisco Araújo foi morto a tiros em julho de 2021 em Codó em virtude de conflitos de terra — Foto: Reprodução/TV Mirante

A produtora rural Joana Darc, que pertence ao quilombo Tanque da Rodagem, situado no município de Matões, revelou que por causa dos conflitos muitas pessoas da comunidade estão adoecendo. “Estamos todos revoltados, tristes e adoecendo mesmo por questão desses conflitos que está havendo no nosso território. Nós estamos muito tristes, todos nós da comunidade”.

Para conter o avanço de conflitos no Maranhão, foi criada há seis anos, a Comissão Estadual de Prevenção à Violência no Campo e na Cidade, formada pelo poder público e pela sociedade civil organizada. Desde a sua criação, já foram registrados cerca de 700 casos de conflitos judicializados.

Para o secretário-adjunto de Direitos Humanos do Maranhão, que também, é coordenador da Comissão de Prevenção de Conflitos, Jonata Galvão, faltam política agrária e atuação de instituições pra prevenir práticas de violência nos territórios. “Você não pode permitir que uma pessoa que se diga proprietária de um campo natural, um campo inundável, não existe proprietário. Proprietário é o poder público e se é o poder público tem que ser de uso comum. Você não pode cercar área de campo inundável. Então ali aquela situação é diz respeito sobre uma dessas questões de cercamento ilegal, ao nosso ver, é claro que isso passa pelo crivo do judiciário, mas ao nosso ver é ilegal o cercamento dos campos naturais”.

Um levantamento feito pela Comissão Pastoral da Terra mostra uma realidade ainda mais preocupante. O relatório divulgado nessa quarta-feira (20) aponta que o Maranhão é o segundo estado com mais conflitos no país, fica atrás apenas do Pará.

A coordenadora da Comissão da Pastoral da Terra no Maranhão (CPT-MA), Lenora Rodrigues, revela o Estado já registrou um total de 203 conflitos envolvendo 20.864 famílias. “Foram 203 conflitos envolvendo 20.864 famílias, cinco assassinatos e 22 pessoas ameaçadas”

Em julho deste ano, José Francisco Araújo foi morto a tiros por dois homens, no município de Codó, a 290 km de São Luís. Isso, depois do trabalhador rural perder quatro parentes também em conflitos de terra. Segundo relatos, a vítima já havia sofrido um atentado contra vida dois anos antes de ser assassinado, e precisou ser afastado da comunidade, historicamente conhecida pelos conflitos agrários.

Ceprama: 32 anos de arte, cultura e história

Homenagem aos quase 50 artesãos 

Conhecido como a vitrine do artesanato maranhense, o Centro de Promoção Artesanal do Maranhão (Ceprama) completou 32 anos nessa quarta-feira (20), e a Secretaria de Estado do Turismo (Setur) realizou homenagem aos quase 50 artesãos que atuam no local.

Para Lúcia de Fátima, artesã há 31 anos da instituição, é de imensa gratidão fazer parte, poder observar e vivenciar as mudanças e evoluções que o Ceprama teve. “Essa aqui é a nossa casa, é uma família. O Ceprama acolhe todos, capacita, orienta e isso nos realiza.”, afirma a artesã.

No Ceprama, fundado em 1989, é possível encontrar produtos de todas as regiões do estado, com diversos artigos como cerâmica, azulejos, madeira, algodão, couro, madeira, argila, reciclados, sementes e até fibras de plantas.

O centro atrai turistas de várias partes do mundo durante o ano inteiro, em busca da riqueza e diversidade das peças. “São 32 anos de arte, luta e cultura. O Ceprama é até hoje e será por muitos anos a referência do Artesanato do Maranhão”, afirmou Domingos Junior, Diretor do Ceprama.

O Ceprama

O Ceprama funciona em um casarão de aproximadamente 3 mil m², nas antigas instalações da Companhia de Fiação e Tecelagem de Cânhamo. O local serve ainda de palco para apresentações artísticas e eventos.

O Centro de Artesanato se tornou referência no apoio e escoamento da produção de artesanato de artesãos de dezenas de municípios do estado. Além de abrigar também o único ponto de apoio do Programa de Artesanato Brasileiro no estado, onde é possível solicitar a Carteira Nacional do Artesão.

Serviço

Funcionamento: Segunda a sexta-feira: 9h às 17hSábado: 9h às 17h;

Endereço: Rua São Pantaleão, nº 1332, Madre Deus. São Luís (MA);

CAT no Ceprama em São Luís: Segunda a sábado, das 9h às 17h30; sábados 09h às 13h.

Fotos: Divulgação

Fonte: Setur

Morre o jornalista Cunha Santos, aos 69 anos

Por Jorge Vieira

Faleceu nesta manhã de quarta-feira (20) o jornalista e escritor Cunha Santos (69 anos), vítima de parada cardíaca  em um hospital de São Luís.

Ele fora internado às pressas , na UPA do Vinhas, com insuficiência respiratória ocasionada por um edema pulmonar, de acordo com informações dos médicos que o atenderam no Setor da Emergência.

Jornalista, poeta e escritor, Cunha Santos é autor de inúmeras obras literárias, ganhador de diversos prêmios e reconhecido como um dos mais importantes e expressivos autores contemporâneos do Maranhão.

Piauí: Lula lidera intenções de voto para 2022 com 63%; Bolsonaro tem 17%

No interior do Estado, preferência pelo ex-presidente sobe para 67%, segundo pesquisa PoderData

Foto: Ricardo Stuckert

Por Carolina Fortes

Revista Fórum – Se o primeiro turno das eleições de 2022 fosse hoje, o ex-presidente Lula (PT) concentraria 63% dos votos no Piauí. Segundo pesquisa PoderData realizada de 13 a 15 de outubro de 2021, o atual presidente Jair Bolsonaro (sem partido) teria 17% da preferência dos eleitores.

Ciro Gomes (PDT) vem atrás, com 9%, seguido de Eduardo Leite (PSDB), com 1%. Mais 4% declaram votam em algum outro candidato, enquanto 3% dizem pretender votar em branco ou nulo e 3% não sabem como responder.

Na capital Teresina, Lula tem 51% das intenções de voto, enquanto Bolsonaro apenas 20%. Já no interior, o índice aumenta: 67% contra 16% do atual presidente.

A pesquisa foi realizada pelo PoderData em parceria com a TV Antena 10 por meio de ligações para telefones celulares e fixos. Foram 2 mil entrevistas em 113 municípios no Piauí de 13 a 15 de outubro de 2021. A margem de erro é de 2 pontos percentuais.

Lula tem menor rejeição entre os candidatos

Pesquisa feita pelo PoderData entre 27 e 29 de setembro indicou também que Lula apresenta a menor rejeição entre os candidatos. Os mais rejeitados, por sua vez, são o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM), e o presidente Jair Bolsonaro.

Apenas 38% afirmam que não votariam de jeito nenhum no ex-presidente, segundo o levantamento. Dessa maneira, Lula é, de longe, o candidato com menor rejeição entre os pesquisados. Em agosto, esse índice era 39%.

Sargento da Polícia Militar é morto a tiros no Jardim São Cristóvão

Moisaniel Jesus Amorim Pinheiro, foi morto a tiros, na noite dessa quarta-feira (20), no Jardim São Cristóvão, em São Luís. (Foto: Reprodução).

O Imparcial – Um sargento da Polícia Militar do Maranhão, identificado como Moisaniel Jesus Amorim Pinheiro, foi morto a tiros, na noite dessa quarta-feira (20), no Jardim São Cristóvão, em São Luís. A vítima era lotada no Batalhão de Polícia Ambiental (BPA).

De acordo com informações da polícia, Moisaniel foi abordado por criminosos, que estavam em um veículo Fiat Mobi, de cor prata, próximo ao Terminal de Integração do São Cristóvão. A vítima tentou reagir ao assalto, mas foi atingida por disparos de arma de fogo no tórax e na mão esquerda.

O sargento ainda chegou a ser socorrido e levado para o Hospital Clementino Moura (Socorrão II), porém morreu ao dar entrada na unidade. Os assaltantes fugiram e levaram a arma do PM.

Ainda de acordo com a polícia, buscas foram realizadas para identificar e prender os criminosos.

No último sábado (16), o subtenente da Polícia Militar, Israel Silva, que era lotado na Assembleia Legislativa do Maranhão, foi morto a tiros por dois criminosos no bairro Coroado, em São Luís.