Forasteiros são os ‘Coveiros de Araioses’

As correntes que no Brasil Colonial foram símbolos da escravidão – essas que impedem a entrada na prefeitura de Araioses – simbolizam o DNA de uma das mais desastrosa e nocivas gestões de nossa história

A crônica – Como os forasteiros tomaram conta de Araioses – divulgada dia 28 aqui no blog me rendeu críticas, ofensas e em doses gratificantes muitos apoios e reconhecimento sobre o que foi publicado, pois tem tudo a ver com a situação pela qual se encontra nossa querida Araioses, nos dias de hoje.

Confesso que fui muito além do que costumo ser, a ponto da crônica parecer depreciativa, até para amigos que me consideram e eu os considero também muito.

Porém, foi essa mesma a intenção, ou seja, bater firma para chamar a atenção da situação grave na qual vivemos e que pode ficar ainda pior, se não tivermos o devido cuidado para não repetir erros do passado.

Também, que fique bem claro que cansei disso tudo que está aí. Para tudo tem um limite e o meu chegou ao fim. Não dá para ficar calado e não bater de frente, de não enfrentar os demagogos, os oportunistas, os lobos com pele de cordeiro que já se apresentam como pré-candidatos a prefeito de Araioses, como se eu não os conhecesse, e que o que mais peço na vida é que Deus ilumine nosso povo, na hora que tiver de se manifestar para não correr o risco de continuar sofrendo como está ou até mais, pois isso será possível sim, já que para piorar o capeta sempre dá um jeito.

Mas, voltando ao tema forasteiro peço que não entendam a palavra ao pé da letra, da forma como se encontra no dicionário. Eu a usei no sentido figurado.

Esses forasteiros aos quais me refiro não tem nada a ver com o que está no RG de cada um, até porque eu teria que aplicar esse termo a milhares de araiosenses, que por falta de condições da rede pública de saúde de Araioses nasceram em outas cidades sendo a maioria nasceu em Parnaíba/PI.

Também não estão nesse contexto os profissionais liberais e afins, que mesmo não morando em nossa cidade prestam relevantes serviços profissionais e até assistências aqui para inúmeros araiosenses.

O termo forasteiros eu aplico não em quem não mora aqui nem em quem não nasceu aqui, mas sim naqueles que têm tido uma nociva conduta ao logo de suas vidas como representantes públicos, seja como gestores ou apoiadores e cumplices desses desatinos que levaram Araioses ao fundo poço.

“Esses forasteiros, são os que ao longo da minha militância na defesa de nossa terra e de seu povo eu os chamo de ‘Coveiros de Araioses”.

São eles os grandes responsáveis pelo nosso atraso, pois nunca tiveram em mente corresponder com dedicado trabalho, os votos e o apoio de parte dos araiosenses que foi suficiente para leva-los ao poder.

Vivemos em uma terra com amplos potenciais para seu desenvolvimento, mas infelizmente, na mão desses coveiros que nunca se importaram com isso, a cada gestão se afunda mais nesse buraco do atraso, que se uma mudança de rumo não ocorrer, nosso fim será decretado.

Como disse lá em cima, já me cansei disso tudo que está aí e que tudo tem um limite e o meu chegou ao fim.

Eu sei o que tem que ser feito para tirar nosso Araioses dessa situação vergonhosa que esses coveiros colocaram, porém isso não é tarefa para ser feita apenas por um.

Já disse em outras postagens e reafirmo novamente que sou pré-candidato a prefeito de Araioses e – desculpem a minha franqueza – conheço de sobra os que serão, não só meus adversários, como do povo também, para lhes afirmar que nenhum deles vai mudar para melhor a vida de ninguém que não seja a deles próprios.

Estão de olho na prefeitura porque querem o dinheiro dela, para depois não olharem mais para ninguém, se achando que são os donos de tudo, inclusive de nossas vontades.

Dos que estão aí, eu sou o único que pode libertar Araioses da sanha desses coveiros e conduzir – na hora certa – seu povo por um caminho que o leve a ter uma vida digna.

Encaro isso como uma missão. Tenho conhecimento, competência e coragem para isso fazer, porém se o povo, em sua maioria não entender isso, nada posso fazer.

Afinal, quem nunca teve o que é bom não sabe como ele é.

Covid-19: Fiocruz projeta necessidade global de isolamento até 2024

247 – A Fiocruz acredita na alta propagação do novo coronavírus por um longo tempo. De acordo com a instituição, o processo de isolamento social pode chegar até 2024.

“A adoção das medidas de distanciamento social resulta em custos econômicos, mas adotá-las parcialmente ou renunciar a elas pode significar não só custos maiores, mas também graves impactos para a saúde. Podem gerar dezenas de milhares de óbitos que seriam evitáveis”, diz o estudo.

O estudo apontou para a escassez de leitos de UTI não só na capital fluminense como no estado do Rio de Janeiro, com cerca de 300 pacientes na espera por um leito de internação e 220 para a UTI.

“Na capital, alguma redução na fila tem sido alardeada como melhoria no quadro, mas efetivamente, o alto número de mortes mostra que o problema não está resolvido”, alerta a pesquisa, acrescentando que cerca de 20% das pessoas contaminadas estão precisando de cuidados médicos.

De acordo com o site do governo federal disponibilizado para atualizações de casos da Covid-19, o estado do Rio de Janeiro tem 53.388 casos e 5.344 mortes provocadas pelo coronavírus. Em nível nacional são 514,8 mil confirmações e 29,3 mil óbitos.

Prefeitos ainda não botaram as mãos no dinheiro federal para enfrentar a Covid-19

Antes terão de preencher declarações no Siconfi para receberem auxílio financeiro. A cota de Araioses é R$ 3.916.573,39

Os prefeitos estão sendo acusados de já terem recebido os recursos do Programa Federativo de Enfrentamento ao Coronavírus e outros benefícios, no total, R$ 23 bilhões que serão distribuídos entre os municípios, porém, antes terão de preencher declarações no Siconfi para receberem auxílio financeiro.

A cota de Araioses é R$ 3.916.573,39, porém para o prefeito Cristino Gonçalves ter esse dinheiro em seu poder, antes terá de preencher declarações no Siconfi o que não sabemos se já foi feito.

Essas informações são da Secretaria do Tesouro Nacional (STN) que foi comunicada a os todos os governos estaduais e municipais. O Tesouro reforça ainda o prazo de 10 dias, contados da data de publicação da legislação, o que ocorreu em 28 de maio, para os devidos procedimentos.

Baseado nessas informações é bem provável que os gestores estaduais e municipais tenham esses dinheiros disponíveis, a partir da próxima semana.

Veja abaixo como vão ser distribuídos os R$ 596 milhões para as prefeituras do Maranhão

Açailândia R$ 9.483.184,65

Afonso Cunha R$ 550.209,41

Água Doce do Maranhão R$ 1.060.190,44

Alcântara R$ 1.863.577,14

Aldeias Altas R$ 2.237.608,21

Altamira do Maranhão R$ 685.484,68

Alto Alegre do Maranhão R$ 2.281.547,3

Alto Alegre do Pindaré R$ 2.691.927,35

Alto Parnaíba R$ 943.722,14

Amapá do Maranhão R$ 587.148,66

Amarante do Maranhão R$ 3.494.470,68

Anajatuba R$ 2.260.463,32

Anapurus R$ 1.326.777,19

Apicum-Açu R$ 1.453.871,85

Araguanã R$ 1.300.970,31

Araioses R$ 3.916.573,39

Arame R$ 2.757.878,26

Arari R$ 2.517.267,07

Axixá R$ 1.022.998,17

Bacabal R$ 8.851.000,45

Bacabeira R$ 1.438.353,99

Bacuri R$ 1.567.135,37

Bacurituba R$ 475.993,54

Balsas R$ 8.002.409,55

Barão de Grajaú R$ 1.587.207,39

Barra do Corda R$ 7.439.465,38

Barreirinhas R$ 5.273.374,27

Bela Vista do Maranhão R$ 945.324,53

Belágua R$ 629.907,12

Benedito Leite R$ 474.981,51

Bequimão R$ 1.794.674,46

Bernardo do Mearim R$ 509.643,69

Boa Vista do Gurupi R$ 783.230,34

Bom Jardim R$ 3.510.916,24

Bom Jesus das Selvas R$ 2.869.792,41

Bom Lugar R$ 1.374.174,14

Brejo R$ 3.069.584,88

Brejo de Areia R$ 774.881,06

Buriti R$ 2.418.593,71

Buriti Bravo R$ 2.014.285,94

Buriticupu R$ 6.102.399,17

Buritirana R$ 1.301.307,65

Cachoeira Grande R$ 795.374,76

Cajapió R$ 942.625,77

Cajari R$ 1.634.351,33

Campestre do Maranhão R$ 1.212.248,62

Cândido Mendes R$ 1.701.735,96

Cantanhede R$ 1.854.974,84

Capinzal do Norte R$ 922.132,07

Carolina R$ 2.051.225,19

Carutapera R$ 2.007.792,05

Caxias R$ 13.905.353,59

Cedral R$ 900.289,00

Central do Maranhão R$ 731.447,91

Centro do Guilherme R$ 1.134.996,66

Centro Novo do Maranhão R$ 1.823.517,44

Chapadinha R$ 6.719.487,19

Cidelândia R$ 1.239.489,21

Codó R$ 10.361.461,89

Coelho Neto R$ 4.169.160,33

Colinas R$ 3.472.796,28

Conceição do Lago-Açu R$ 1.369.366,97

Coroatá R$ 5.506.816,89

Cururupu R$ 2.757.372,24

Davinópolis R$ 1.088.611,74

Dom Pedro R$ 1.969.250,40

Duque Bacelar R$ 957.131,60

Esperantinópolis R$ 1.454.040,52

Estreito R$ 3.537.566,48

Feira Nova do Maranhão R$ 717.195,09

Fernando Falcão R$ 873.723,09

Formosa da Serra Negra R$ 1.609.893,83

Fortaleza dos Nogueiras R$ 1.065.250,61

Fortuna R$ 1.311.596,67

Godofredo Viana R$ 996.769,61

Gonçalves Dias R$ 1.512.485,51

Governador Archer R$ 914.204,47

Governador Edison Lobão R$ 1.543.015,22

Governador Eugênio Barros R$ 1.419.209,67

Governador Luiz Rocha R$ 658.412,76

Governador Newton Bello R$ 858.542,57

Governador Nunes Freire R$ 2.157.067,13

Graça Aranha R$ 528.113,32

Grajaú R$ 5.863.643,37

Guimarães R$ 1.014.564,55

Humberto de Campos R$ 2.421.882,82

Icatu R$ 2.286.607,54

Igarapé do Meio R$ 1.195.634,39

Igarapé Grande R$ 954.685,85

Imperatriz R$ 21.816.258,36

Itaipava do Grajaú R$ 1.354.186,45

Itapecuru Mirim R$ 5.751.982,24

Itinga do Maranhão R$ 2.192.741,35

Jatobá R$ 856.265,50

Jenipapo dos Vieiras R$ 1.392.812,44

João Lisboa R$ 1.993.033,21

Joselândia R$ 1.363.547,77

Junco do Maranhão R$ 289.441,86

Lago da Pedra R$ 4.239.243,71

Lago do Junco R$ 914.204,47

Lago dos Rodrigues R$ 748.315,15

Lago Verde R$ 1.371.053,70

Lagoa do Mato R$ 948.782,31

Lagoa Grande do Maranhão R$ 960.926,73

Lajeado Novo R$ 636.738,35

Lima Campos R$ 1.003.010,49

Loreto R$ 1.025.275,25

Luís Domingues R$ 586.220,97

Magalhães de Almeida R$ 1.672.049,61

Maracaçumé R$ 1.804.373,12

Marajá do Sena R$ 657.147,71

Maranhãozinho R$ 1.371.728,39

Mata Roma R$ 1.419.294,01

Matinha R$ 1.970.937,13

Matões R$ 2.849.045,70

Matões do Norte R$ 1.412.209,76

Milagres do Maranhão  R$ 713.821,64

Mirador R$ 1.772.325,36

Miranda do Norte R$ 2.393.545,85

Mirinzal R$ 1.261.838,31

Monção R$ 2.819.696,70

Montes Altos R$ 772.519,64

Morros R$ 1.638.905,49

Nina Rodrigues R$ 1.218.995,52

Nova Colinas R$ 454.066,13

Nova Iorque R$ 394.946,45

Nova Olinda do Maranhão R$ 1.764.988,11

Olho d’Água das Cunhãs R$ 1.644.977,69

Olinda Nova do Maranhão R$ 1.239.826,56

Paço do Lumiar R$ 10.305.631,33

Palmeirândia R$ 1.663.278,65

Paraibano R$ 1.803.614,09

Parnarama R$ 2.943.923,93

Passagem Franca R$ 1.603.990,30

Pastos Bons R$ 1.642.194,60

Paulino Neves R$ 1.352.331,06

Paulo Ramos R$ 1.774.433,77

Pedreiras R$ 3.308.425,01

Pedro do Rosário R$ 2.120.549,56

Penalva R$ 3.244.413,83

Peri Mirim  R$ 1.207.525,79

Peritoró R$ 1.956.262,63

Pindaré-Mirim R$ 2.778.118,95

Pinheiro R$ 7.032.543,18

Pio XII R$ 1.811.963,38

Pirapemas R$ 1.570.761,83

Poção de Pedras R$ 1.507.341,00

Porto Franco R$ 2.014.370,27

Porto Rico do Maranhão R$ 503.908,83

Presidente Dutra R$ 4.031.607,98

Presidente Juscelino R$ 1.073.937,24

Presidente Médici R$ 591.618,48

Presidente Sarney R$ 1.595.472,34

Presidente Vargas R$ 943.975,15

Primeira Cruz R$ 1.291.608,99

Raposa R$ 2.594.266,02

Riachão R$ 1.703.169,67

Ribamar Fiquene R$ 657.063,38

Rosário R$ 3.604.529,43

Sambaíba R$ 478.270,62

Santa Filomena do Maranhão  R$ 655.545,33

Santa Helena R$ 3.553.084,35

Santa Inês R$ 7.509.633,10

Santa Luzia R$ 6.128.459,06

Santa Luzia do Paruá R$ 2.129.826,54

Santa Quitéria do Maranhão R$ 2.162.548,99

Santa Rita R$ 3.192.547,07

Santana do Maranhão R$ 1.128.924,45

Santo Amaro do Maranhão R$ 1.336.391,52

Santo Antônio dos Lopes R$ 1.225.236,40

São Benedito do Rio Preto R$ 1.573.966,61

São Bento R$ 3.812.924,20

São Bernardo R$ 2.404.172,22

São Domingos do Azeitão R$ 623.413,23

São Domingos do Maranhão R$ 2.899.141,41

São Félix de Balsas R$ 386.681,50

São Francisco do Brejão R$ 994.998,55

São Francisco do Maranhão R$ 1.029.745,07

São João Batista R$ 1.742.807,69

São João do Carú R$ 1.333.186,74

São João do Paraíso  R$ 942.625,77

São João do Soter R$ 1.563.846,26

São João dos Patos R$ 2.186.753,48

São José de Ribamar R$ 14.985.447,38

São José dos Basílios R$ 644.412,95

São Luís R$ 92.928.715,66

São Luís Gonzaga do Maranhão R$ 1.590.243,49

São Mateus do Maranhão R$ 3.502.398,29

São Pedro da Água Branca R$ 1.070.226,45

São Pedro dos Crentes R$ 393.681,41

São Raimundo das Mangabeiras R$ 1.591.255,53

São Raimundo do Doca Bezerra R$ 441.668,71

São Roberto R$ 566.654,97

São Vicente Ferrer R$ 1.876.227,57

Satubinha R$ 1.173.453,97

Senador Alexandre Costa R$ 939.589,67

Senador La Rocque R$ 1.205.417,39

Serrano do Maranhão R$ 864.699,12

Sítio Novo R$ 1.524.882,93

Sucupira do Norte R$ 896.999,88

Sucupira do Riachão R$ 477.342,92

Tasso Fragoso R$ 718.628,81

Timbiras R$ 2.456.207,65

Timon R$ 14.261.842,73

Trizidela do Vale R$ 1.855.227,85

Tufilândia R$ 492.523,44

Tuntum R$ 3.527.952,16

Turiaçu R$ 3.002.706,27

Turilândia R$ 2.160.609,25

Tutoia R$ 4.964.029,07

Urbano Santos R$ 2.793.383,80

Vargem Grande R$ 4.765.838,98

Viana R$ 4.422.674,96

Vila Nova dos Martírios  R$ 1.129.430,47

Vitória do Mearim R$ 2.763.191,44

Vitorino Freire R$ 2.658.530,21

Zé Doca R$ 4.361.362,54

SUBTOTAL R$ 596.693.920,07

Fonte: Agência Senado e Agência CNM de Notícias

Protestos contra saída de médico do Hospital Municipal de Araioses

O prefeito de Araioses Cristino Gonçalves Araújo precisa fazer um esclarecimento à população sobre o afastamento do Dr. Igor Mello das atividades que ele desenvolvia no Hospital Municipal, pois o que estão dizendo nas redes sociais é que ele teria sido demitido, o que é improvável – já que o mesmo é concursado – pelo que se sabe até agora.

A repercussão negativa está sendo enorme e ninguém sabe por que o prefeito teria afastado – pelo celular – o médico que é tido como um bom prestador dos serviços em sua área e muito querido também.

Uns comentam que o afastamento se de porque o medico não queria atender pacientes com a Covid-19 o que é algo não impossível, porém muito difícil de ser verdade.

O médico que é concursado iria dar expediente agora apenas no Posto de Saúde, no povoado Mariquita.

O se sabe também é que muitos dos profissionais da saúde de Araioses tem se queixado da falta de equipamentos adequados para que esses possam atender as pessoas com esse perfil.

Portanto, é de obrigação do senhor prefeito dizer ao povo, porque ele afastou Dr. Igor do Hospital do Município, em plena crise de pandemia da Covid-19.

Passeata contra o coronavírus em duas cidades do Maranhão

Centenas de manifestantes que estavam na passeata circularam em protesto pelas duas cidades — Foto: Reprodução

Neste domingo, 31 de maio, teve uma passeata contra o coronavírus no Maranhão.

Os manifestantes saíram da cidade de Turilândia até Santa Helena, a maioria sem máscaras desobedecendo o isolamento social.

Os líderes do protesto convocaram as pessoas a retirarem e queimarem as máscaras. “Jesus não quer ver ninguém mascarado, Deus não se agrada de medrosos”. Afirmou um dos manifestantes.

Assista ao vídeo:

Fonte: blog Barra do Corda Notícia

Famem publica carta sobre adiamento e unificação das eleições

A Federação dos Municípios do Estado do Maranhão, Famem, e a Confederação Nacional de Municípios, CNM, publicaram nesta terça-feira, 26, documento em que propugnam a unificação das eleições em 2022.

Na “Carta aberta ao Congresso e à Nação Brasileira” são enumeradas as razões que justificam a transferência do pleito, destacando-se o atual momento de enfrentamento da pandemia da Covid-19.

Assinada pelo presidente da Famem, Erlanio Xavier, a carta esclarece aspectos de ordem política e também administrativas que tornam o adiamento compulsório.

O tema deverá ser debatido pela entidade com a bancada federal do Maranhão.

Clique aqui para ler a carta.

Fonte: FAMEM

Aulas presenciais poderão ser retomadas gradativamente a partir do dia 15 de junho

Anúncio de retorno gradual das aulas foi feito em coletiva (Reprodução)

“Em processo participativo, editamos um decreto com proposta inicial de que as aulas sejam retomadas gradativamente a partir do dia 15 de junho, começando pelos cursos de Graduação e Pós-Graduação, até chegar nos estudantes de Ensino Fundamental e Educação Infantil”, disse o governador Flávio Dino em coletiva virtual realizada nesta sexta-feira (29).

O processo de retorno às aulas será sequencial, iniciando das séries mais avançadas – terceiras séries do Ensino Médio e períodos finais das faculdades e universidades- até as séries iniciais. Protocolos de higiene sanitária, como kits de higiene, máscara de proteção, álcool 70% passam a fazer parte da rotina dos estudantes.

Novas medidas

Para evitar aglomeração, as instituições de ensino deverão alternar horários de entrada e saída dos estudantes e ainda reduzir a quantidade de alunos por turma, respeitando a distância de 1,5m entre estudantes e profissionais.

As avaliações dos cursos de graduação e pós-graduação deverão ser realizadas virtualmente. Quando necessárias, as avaliações presenciais deverão ser feitas de acordo com medidas sanitárias estabelecidas. Atividades esportivas presenciais estão suspensas e as solenidades de formatura do Ensino Médio e Superior ocorrem de forma virtual.

Anúncio de retorno gradual das aulas foi feito em coletiva (Reprodução)

“Precisamos buscar meio termo e é isso que estamos buscando em meio a uma conjuntura inédita, em que não há literatura, não há padrões científicos que apontam o caminho perfeito”, disse o governador Flávio Dino ao afirmar que o retorno das atividades educacionais e comerciais está sujeito a antecipação ou postergação de acordo com os indicadores epidemiológicos no Maranhão.

Atividades econômicas

No dia 25 de maio iniciou o processo de abertura de pequenas empresas familiares nos municípios da Ilha de São Luís. Na coletiva nesta sexta-feira (29), o governador afirmou que serão publicadas portarias editadas pela Casa Civil com as atividades econômicas que estão autorizadas a funcionar a partir de segunda-feira (1º) de acordo com protocolos sanitários.

“Há previsão em relação a outros setores econômicos até dia 29 de junho. De maneira gradativa iremos retomando as atividades comerciais, sempre lembrando que pode haver mudanças de acordo com os dados epidemiológicos do nosso estado”, assegurou o governador.

Boletim Epidemiológico da Secretaria de Saúde diz que há 70 pacientes recuperados da Covid-19 em Araioses

A Secretaria Municipal de Saúde de Araioses divulgou às 19 horas de hoje (29), novo Boletim Epidemiológico que diz haver 70 pacientes recuperados da Covid-19 em Araioses.

Veja os números atualizados da Covid-19 em Araioses:

Notificados 256 casos;

Suspeitos 25;

Descartados 108;

Confirmados 123;

Casos em isolamento 76;

Recuperados 70; e 2 óbitos.

O isolamento social extremamente importante na prevenção e no combate ao Covid-19. Faça sua parte. Se for sair de casa use máscara.

Socorro Prado se afasta da direção do Parnahyba S C para disputar mandato de vereadora por Água Doce

Socorro Prado deixa – por um tempo – o esporte para se dedicar ao projeto dese eleger vereadora por Água Doce do Maranhão

A microempreendedora e desportista Maria do Socorro Prado da Rocha, liderança política de Água Doce do Maranhão, com base na região do povoado Frexeiras pediu afastamento do cargo de vice-presidente do Parnahyba Sport Club – uma das equipes mais fortes do campeonato piauiense – para disputar um mandato de vereadora por aquela cidade na eleição deste ano.

Socorro Prado também é a mentora de um Complexo Esportivo e do Instituto Aciria Prado, instituições sem fins lucrativos, ambas na comunidade de Frexeiras.

O complexo esportivo que já teve suas obras concluídas está no momento com suas atividades paralisadas, em função da pandemia da Covid-19.

Socorro vai disputar o mandato pelo Partido Republicano, porém não sobe dizer se o partido vai ter candidato próprio a prefeitura de Água Doce do Maranhão ou se vai compor com outras legendas.

Pelo dinamismo e pela seriedade que ela tem na execução de seus trabalhos, a pré-candidata a vereadora será uma das melhores opções para o poder legislativo daquela cidade, na eleição de 4 de outubro.

Se Gentil Lima ainda estivesse entre nós, certamente a história de Araioses poderia seria outra

A morte precoce do ex-vereador Gentil Lima adiou por tempo – indeterminado – a volta de um araiosense ao comando da prefeitura araiosense

No início de 2010, poucos dias antes do vereador Gentil Pereira Lima Neto morrer – fato ocorrido no dia 7 de fevereiro daquele ano em São Bernardo/MA – estive em São Luís, onde me encontrei com Marcio Machado que tinha profundo interesse no que ocorria na apolítica de Araioses, já que alimentava o sonho de vim a ser – um dia – o prefeito da cidade.

Nosso encontro ocorreu no escritório de sua empresa, que fica no centro da capital maranhense, em uma manhã de janeiro daquele ano. O assunto da política em Araioses foi o tema central e disse-lhe naquela ocasião – mesmo sabendo das pretensões de Marcio Machado – que o vereador Gentil Lima era o melhor nome da oposição para disputara prefeitura de Araioses em 2012 e impedir a reeleição de Luciana Trinta.

Márcio Machado sorriu e não demostrou nenhuma ação que mostrasse discordar do que lhe dissera, até porque fui muito claro em lhe dizer que minha opinião se baseava no que eu ouvia falar nos quatro cantos da cidade, onde muitos já viam nele o melhor nome da oposição para enfrentar uma prefeita que no alto da sua arrogância menosprezava o povo, não dava a mínima para quem lhe servia aos seus interesses e sequer na cidade morava, vindo aqui de vem em quando para dar – a noite – expediente na prefeitura.

Naqueles dias apenas dois vereadores – Gentil Lima e Dadá Coutinho – ousavam enfrentar a toda poderosa, porém era o bravo e guerreiro Gentil quem mais tirava o sono da mulher do Remi Trinta, já que sua atuação na Câmara de Vereadores era impecável e contundente em defender os interesses do povo e tornar público as mazelas daquele governo.

Gentil era um vereador que se preparava para exercer a sua função pública. Por várias vezes cheguei a sua casa – véspera do dia das sessões – e lá estava ele debruçado em um monte de documentos, se preparando para o que ia fazer e falar no dia seguinte.

Esse posicionamento fazia dele uma esperança de vermos de volta um araiosense no comando de nossa prefeitura. Sua morte foi como se uma bomba – de alto poder de destruição – tivesse caído no coração da cidade. O lamento não foi só de seus familiares e amigos, o lamento, a dor e o sofrimento foi de todos que sonhavam com a possibilidade de Araioses voltar a ser de seus filhos.

Quando eu disse ontem (28), que talvez a história de Araioses fosse outra se o saudoso ex-vereador Gentil Lima não tivesse morrido no post Como os forasteiros tomaram conta de Araioses é porque sei o quanto ele se identificava com o povo e amava a cidade.

Gentil queria que Araioses fosse uma terra respeitada e um lugar bem melhor para se morar. A sua morte pode ter interrompido essa luta, mas não quer dizer que tudo está perdido. A hora não é de o araiosense servir de instrumento para colocar no poder gente que já não deu certo e muito menos gente que despreza a cidade a ponto de que não a vê como digna de sua moradia.

Araioses precisa de nosso respeito e de nosso amor, porém fica difícil contar com quem não tem amor próprio como tinha Gentil, que se ainda estivesse entre nós, tenho certeza de que a história de nossa terra e de nossa gente seria outra. Bem melhor e digna de termos orgulho dela.

Em tempo: alguns já se precipitaram e não entenderam o verdadeiro sentido que dou a forasteiros, mas em breve postagem direi – com mais detalhes – que são  os que deram uma enorme contribuição para jogar Araioses dentro do buraco em que se encontra. Para mim, quem não tem nada com isso não é forasteiro, independente do que diz o RG.

MP descobre transferências milionárias em contas operadas por Ricardo Salles

Ricardo Salles (Reprodução)

Revista Fórum – O Ministério Público de São Paulo (MP-SP) quebrou o sigilo do ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, e descobriu transferências milionárias entre contas controladas por ele. As informações são da Revista Crusoé. A reportagem afirma ainda que as investigações do MP agora tentam avançar nas suspeitas de sonegação fiscal e lavagem de dinheiro.

De acordo com as informações, Salles repassou R$ 2,75 milhões da conta de seu escritório de advocacia para a sua conta pessoal em 54 transferências, feitas entre 2014 e 2017.

No período, Salles exerceu dois cargos públicos na gestão do ex-governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), secretário particular do governador e secretário do Meio Ambiente, além de atuar como advogado na iniciativa privada.

Deve ter mais

O inquérito foi aberto pelo MP em agosto do ano passado para investigar a suspeita de enriquecimento ilícito de Ricardo Salles. A investigação ainda não acabou e deve aparecer mais por aí. O período todo a ser analisado pelo MP é de 2012 a 2017, quando Salles deixou de atuar como advogado para ocupar cargos no governo paulista. O ministro teria acumulado R$ 7,4 milhões em cinco anos.

Com base na declaração de bens que o ministro prestou à Justiça Eleitoral em 2012, quando foi candidato a vereador pelo PSDB, Salles declarou possuir R$ 1,4 milhão em bens. A maior parte era em aplicações financeiras, 10% de um apartamento, um carro e uma moto. Porém, em 2018, quando saiu a deputado federal pelo Novo, foram R$ 8,8 milhões, sendo dois apartamentos de R$ 3 milhões cada, R$ 2,3 milhões em aplicações e um barco de R$ 500 mil, correspondendo a uma alta de 335% em cinco anos, corrigindo o valor pela inflação.

Salles nega

O ministro do governo do presidente Jair Bolsonaro (Sem Partido-RJ) rebateu as acusações, na manhã desta sexta-feira (29), na sua conta do Twitter. Segundo ele, a matéria é mentirosa. “Todos os meus rendimentos ditos ‘repassados’ são honorários declarados e decorrentes da minha atividade privada como advogado, fora do Governo, a qual muito me orgulho. Não tenho nada a esconder, de ninguém”, afirmou.

Escândalo internacional

Salles virou escândalo internacional recentemente. Até a ativista sueca Greta Thunberg se manifestou sobre a fala do ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, na reunião ministerial do governo Bolsonaro, que foi divulgada pelo Supremo Tribunal Federal (STF). Greta cita trecho da declaração de Salles, onde ele defende “fazer um esforço enquanto estamos neste momento calmo em termos de cobertura da imprensa, porque eles estão falando apenas do Covid-19″. E completa:”Imagine as coisas que foram ditas fora da câmera… nosso futuro comum é apenas um jogo para eles. #SalvemAAmazônia”.

Morre o jornalista Gilberto Dimenstein

O colunista completaria 64 anos em agosto (foto: pt.wikipedia)

Por Elian Guimarães

Estado de Minas – Amigos do jornalista, colunista e escritor Gilberto Dimenstein, 63 anos, confirmaram seu falecimento na manhã desta sexta-feira (29), em São Paulo. Ele lutava contra um câncer no pâncreas, descoberto no início de 2019. Filho de um pernambucano de origem polonesa e uma paraense morou em Vila Mariana, distrito de São Paulo

Formado na Faculdade Cásper Líbero foi colunista da Folha de São Paulo, onde também foi diretor na sucursal de Brasília, e correspondente em Nova Iorque e na rádio CBN. Atuou no Jornal do Brasil, Correio Braziliense, Última Hora, Visão e Veja, além de ter sido acadêmico visitante do programa de Direitos Humanos na Universidade de Columbia.

Recebeu o  Prêmio Nacional de Direitos Humanos junto com Paulo de Evaristo Arns, o Prêmio Criança e Paz, do Unicef, Menção Honrosa do Prêmio Maria Moors Cabot, da Faculdade de Jornalismo de Columbia, em Nova York. Também ganhou os prêmios Esso (categoria principal) e Jabuti, em 1993, de melhor livro de não-ficção, com a obra “Cidadão de Papel”.

Foi um dos criadores da ANDI – Comunicação e Direitos, uma organização não-governamental que tem como objetivo utilizar a mídia em favor de ações sociais. Em 2009, um documento preparado na Escola de Administração de Harvard, apontou-o como um dos exemplos de inovação comunitária, por seu projeto de bairro-escola, desenvolvido inicialmente em São Paulo, através do Projeto Aprendiz. O projeto foi replicado através do mundo via Unicef e Unesco.

Gilberto Dimenstein também foi o criador do site CatacraLivre, considerado o melhor blog de cidadania em língua portuguesa pela tv alemã Deutsche Welle.

Recorde de casos, e estamos “relaxando” quarentenas…

Por Fernando Brito, editor do TIJOLAÇO

O Brasil bateu ontem (28) o recorde de novos casos de pessoas infectadas pelo novo coronavírus e vai se aproximando dos 30 mil mortos, número ao qual que veremos chegar até domingo.

Foram 26.417 casos novos, e 1.156 novas mortes em 24 horas, somando 26.754 óbitos quantidades que nem sequer incluem a correção dos casos registrados no Pará, 907 mortes que estão fora da contabilidade.

Com 438.238 casos, vamos chegar, como já se disse aqui, a meio milhão de pessoas infectadas.

Somos o segundo país em número de pessoas contaminados e em uma semana seremos também o segundo em mortos.

Mas governos dos Estados e dos municípios competem por quem vai “flexibilizar mais”, liberar o comércio e o trânsito de pessoas nas cidades.

Claro, é a pressão do dinheiro, seja pela arrecadação, seja pela ajuda federal que, aprovada há um mês, não saiu e nem sairá tão cedo.

Mas isso não é o grande assunto. É o “acabou, porra” presidencial e a crise que ele alimenta por não admitir que a racionalidade volte.

Voltar? Não, o que tem de voltar são os shoppings e as academias de ginástica.

Boletim Epidemiológico COVID-19 não confirma nenhum óbito nas últimas 24 em Araioses

De acordo com o Boletim Epidemiológico COVID-19 divulgado às 19 horas de hoje (28) pela Secretaria Municipal de Saúde não há confirmação de nenhum óbito nas últimas 24 hora, como chegou a ser comentado durante o dia pela cidade.

Veja os números atualizados da Covid-19 em Araioses:

Notificados 238 casos;

Suspeitos 19;

Descartados 106;

Confirmados 113;

Casos em isolamento 92;

Recuperados 38; e 2 óbitos.

O isolamento social extremamente importante na prevenção e no combate ao Covid-19. Faça sua parte. Se for sair de casa use máscara.

Como os forasteiros tomaram conta de Araioses

O ex-prefeito Vicente de Paula Moura, diante de uma eleição dificílima para eleger seu amigo Chagas Paixão – que viria a romper com ele depois – teve que fazer um acordo com um grupo político de Parnaíba/PI

Dias atrás ouvi um araiosense – que gostaria muito que Araioses fosse um lugar melhor para se morar – que essa avacalhação que tomou conta da política que hoje se pratica aqui começou no desgoverno – de 7 de maio de 2001 a 31 de dezembro de 2004 – do ex-prefeito Pedro Henrique Silva Santos.

Não há dívida de que o Pepê (apelido de Pedro Henrique desde criança) deu uma enorme contribuição para o caos político que hoje se vive, porém – mesmo que não tenha sido essa a sua intenção – quem na verdade deu condições para a entrada de forasteiros se firmarem na política do município foi o ex-prefeito Vicente de Paula Mora, que fez uma boa gestão no seu primeiro mandato exercido de 1º de Janeiro de 1993 a 31 de dezembro de 1996. No segundo ele só governou 4 meses e 4 dias.

Ele queria eleger seu amigo Chagas Paixão como seu sucessor e para isso teve que fazer acordo com um grupo político de Parnaíba/PI liderado por Bruno Pires, que tinham sido adversários seus na eleição anterior ao lado do Dr. Kleber Coutinho – uma grande liderança popular –  que na eleição de 1996 foi candidato a vice do ex-prefeito José Cardoso do Nascimento – o Zé Tude.

Era uma chapa que reunia Zé Tude, a maior liderança política de Araioses naqueles dias e Dr. Kleber, a maior liderança popular, portanto uma parada dura e difícil de ser derrotada, o que certamente fez Vicente Moura topar um acordo, que em circunstâncias um pouco mais favoráveis, jamais aceitaria.

Como diz a história, Vicente elegeu seu amigo Chagas Paixão, porém não teve a influência que imaginava com seu protegido, porque esse sucumbiu e seu governo acabou entregue aos interesses do vice-prefeito Bruno Pires e de seu filho Orlando, que morava e mora em Teresina, mas tão logo o pai se elegeu, cá estava para dar sua “contribuição”.

Depois de Vicente Moura não tivemos mais um governo que tivesse suas ações voltadas para uma política de valorização do município, até porque a administração de Zé Tude – último prefeito araiosense – no período de 2005 a 2008 não teve mais o seu verdadeiro perfil de administrador, já que devido à debilidade de sua saúde a administração do município fugiu de seu controle o que acabou facilitando a eleição de Luciana Trinta – que já tinha sido derrotada por ele em 2004.

Foi um governo que o povo não teve vez nem voz e acabou por implantar uma nova mentalidade política no povo fazendo com se acostumassem com  esse tipo de gestor, que dos araiosenses querem apenas o poder para atender seus interesses pessoais.

De lá para cá os araiosenses não mais chegaram ao poder. O desastre administrativo de Luciana Trinta, caracterizado por desprezo aos araiosenses e a perseguição aos seus adversários foi tamanho que o clima de revolta popular chegou a ponto de uma Cabritinha – era assim que ela chamava Valéria do Manin – que ainda não tinha completado 22 anos, lhe impusesse uma histórica derrota ainda não registrada em tempos contemporâneos da política araiosense.

Assim como Chagas Paixão – o prefeito eleito em 1996 – Valéria Do Manin também não governou. Seu pai o Manin Leal, era quem dava as cartas no jogo e quem decidia sobre tudo.

A receita não deu certo, o que mais uma vez permitiu que a revolta popular – e tem tudo a ver com a falta de opções – criasse um clima para que Cristino Gonçalves de Araújo, na verdade mais um forasteiro, mais um aventureiro chegasse ao poder.

Talvez a história de Araioses fosse outra se o saudoso ex-vereador Gentil Lima não tivesse morrido…

Mas, esse capítulo, escrevo depois.