Veja quais agências do Banco do Brasil serão fechadas no Maranhão

A projeção é que 130 funcionários do Banco do Brasil no Maranhão sejam afetados de forma direta ou indireta pelo processo de reestruturação da instituição

Foto: Honório Moreira

Por Natasha Olenka/O Imparcial

O Banco do Brasil anunciou no último dia 11 que 361 unidades serão fechadas em todo o país. A medida faz parte de um plano de reestruturação que englobam ações, tais como: a transformação de agências em postos de atendimento e um plano de aposentadoria incentivada. Segundo o BB, a unidades serão desativadas até junho.

Nesse processo, 243 agências bancárias serão transformadas em postos de atendimento e outros oito postos serão transformados em agências. Além disso, 145 unidades de negócios em Lojas BB, sem a oferta de guichês de caixa, com maior vocação para assessoria e relacionamento.

“A reorganização da rede de atendimento objetiva a sua adequação ao novo perfil e comportamento dos clientes e compreende, além das medidas de otimização de estrutura, outros movimentos de revisão e redimensionamento nas diretorias, áreas de apoio e rede, privilegiando a especialização do atendimento e a ampliação da oferta de soluções digitais”, segundo comunicado do BB.

Entre as medidas também estão duas modalidades de desligamento incentivado voluntário aos funcionários. Os programas possuem regulamentos específicos que estabelecem as regras para adesão. A expectativa estimativa é que cerca de 5 mil funcionários venham a aderir aos dois programas de desligamento. O número final de adesões, assim como o respectivo impacto financeiro, serão informados ao mercado após o encerramento dos períodos de adesão que ocorrerá até 5 de fevereiro.

 Maranhão

No Maranhão, cinco agências serão fechadas, sendo duas em São Luís (Cohatrac e Reviver), Bacabal (Agência Texeira Mendes), Imperatriz (Praça da Cultura) e Caxias (Volta Rendonda). Além dessas agências, dois postos de atendimentos também estão sob ameaça de fechamento nas cidades Governador Archer e Santa Quitéria.

Eloy Natan, presidente dos sindicatos dos bancários, falou sobre o processo de reestruturação do Banco do Brasil neste ano de 2021. “Diferente de reestruturações anteriores, o banco faltou com a transparência e dessa vez não divulgou uma lista geral de agências que serão fechadas em todo país. Nós ficamos sabendo quais as unidades que serão fechadas, através dos próprios bancários que, ao consultar ao consultar o sistema interno do banco verificaram que a agência em que trabalham seriam fechadas”, relatou.

O presidente do sindicato ainda destacou sobre os impactos da reestruturação na economia das localidades que serão afetadas. “Ainda que haja agências de outros bancos nessas localidades, essas agências são limitadas porque não possuem todos os tipos de serviços bancários, em especial, o guichê de caixa”, disse Eloy.

Sobrecarga

Outro ponto alarmante sobre o processo de reestruturação do banco é a sobrecarga de demandas a outras agências que incorporarão, de forma automática, os clientes das agências que foram afetadas durante o procedimento. De acordo com Eloy Natan, agências como Deodoro e Palácio do Leões em São Luís poderão ser sobrecarregadas pois receberão um fluxo maior de clientes e contingente de funcionários não corresponderá à demanda.

A projeção é que, pelo menos, 130 funcionários do Banco do Brasil no Maranhão sejam afetados de forma direta ou indireta pelo processo de reestruturação da instituição.

Funcionaria da UBS de Água Doce é a primeira a receber a vacina contra a Covid-19

Na tarde de hoje (20), foi feita a aplicação da primeira dose da vacina contra a Covid-19 em Água Doce do Maranhão. Maria Aparecida, de 48 anos, funcionaria da Unidade Básica de Saúde (UBS) daquela cidade e que atua há mais de 20 anos em campanhas de vacinação no município, foi a primeira a receber a dose da vacina.

Segundo publicou em seu Facebook a prefeita Thalita Dias, “ela representa a luta incansável dos nossos profissionais de saúde durante toda a pandemia. Esse foi o primeiro passo para alcançarmos a vitória definitiva contra essa nova doença”.

Presos três suspeitos de tráfico de drogas e corrupção ativa em São José de Ribamar

Foto: Reprodução

O Imparcial

Na última terça-feira (19), três pessoas foram presas por suspeita de praticarem os crimes de tráfico de drogas, associação e apetrechos para o tráfico de drogas, corrupção ativa e crime ambiental no município de São José de Ribamar, na região metropolitana de São Luís.

Após investigações, a residência de um dos suspeitos foi abordada, sendo apreendidos no local 1 quilograma de substância semelhante à maconha, além de porções de substâncias semelhantes ao crack e à cocaína. Também foram encontrados uma balança de precisão pra medir as drogas ilícitas e quantia de dinheiro em espécie.

Duas outras pessoas, apresentadas como familiares do suspeito (que possui antecedentes criminais e deixou a prisão recentemente), recorreram à delegacia, apresentando cerca de R$ 6 mil para liberdade do indivíduo.

As prisões foram realizadas pela equipe da Polícia Civil do Maranhão, por meio das ações da Delegacia Especial de São José de Ribamar, contando com a parceria da Guarda Municipal.

Gêmeas ricas, prefeitos, secretária: promotorias de 4 estados investigam fura filas de vacina

Denúncias de pessoas fora do grupo prioritário que receberam vacina contra a Covid-19 foram registradas em Pernambuco, Sergipe, Amazonas e Bahia

Os fura filas de vacina (Reprodução)

Por Ivan Longo/Revista Fórum

Os primeiros dias da vacinação contra a Covid-19 no Brasil vêm sendo marcados, para além da empolgação de parte da população com o que pode ser o início do fim da pandemia, por casos de pessoas furando a fila da imunização.

Em ao menos quatro estados foram registradas denúncias, sob investigação dos Ministérios Públicos locais, de pessoas que não pertencem ao grupo prioritário da vacinação e que, mesmo assim, receberam a dose.

É o caso das gêmeas milionárias de Manaus (AM), Gabrielle Kirk Lins e Isabelle Kirk Lins, que receberam a vacina na terça-feira (19). Logo após, começou a circular em grupos de WhatsApp de profissionais da Saúde imagens da vacinação das duas acompanhada da nomeação de ambas em cargos da secretaria de Saúde, no Diário Oficial de Manaus. Elas são médicas, mas foram nomeadas às pressas em cargos que dariam prioridade à vacinação contra a Covid. A nomeação de Gabrielle foi publicada no dia 18 de janeiro, um dia antes do início da imunização, como gerente de projetos da pasta. A irmã dela foi nomeada no dia 19 de janeiro.

Gabrielle e Isabelle são da família de Nilton da Costa Lins Júnior, presidente da mantenedora da Universidade Nilton Lins, uma das maiores de Manaus. Além da Universidade, a família tem membros com carreira política. Dentro do terreno da Universidade Nilton Lins, há uma Unidade Básica de Saúde (UBS). O MP do Amazonas apura o caso.

Situação parecida, também investigada pelo MP, aconteceu na cidade de Itabi (SE). O prefeito do município, Júnior de Amynthas (DEM), recebeu a vacina sendo que tem 46 anos, não fazendo parte do grupo prioritário, que inclui, neste caso, somente idosos. Como justificativa, ele afirmou que o objetivo era “incentivar a população”.

O mesmo fez Reginaldo Martins Prado (PSD), prefeito de Candiba, no Sudoeste da Bahia. Aos 60 anos, ele não faz parte do grupo prioritário para receber a dose. A imagem do mandatário municipal sendo vacinado foi divulgada por um perfil oficial da prefeitura nas redes sociais. Em nota, o MP baiano informou que “tomará as medidas cabíveis para apuração do mesmo, que, a princípio, pode se configurar como crime de prevaricação e ato de improbidade administrativa”.

Já na cidade de Jupi (PE), foram vacinados indevidamente, segundo o jornal Folha de S. Paulo, a secretária de Saúde do município, Maria Nadir Ferro, e um fotógrafo da prefeitura. A gestão municipal informou que afastou a titular da pasta e o MP também investiga.

*Com informações do G1, Folha de S. Paulo e O Dia

Governo do Maranhão entrega vacinas para os 217 municípios em 36 horas

Transporte das vacinas (Foto: Jardel Scot)

O Governo do Maranhão concluiu nesta quarta-feira (19) a distribuição das vacinas contra coronavírus para os 217 municípios do estado. Os imunizantes foram levados para as 19 Unidades Regionais de Saúde e, de lá, seguiram para as demais cidades.

Normalmente, a distribuição de vacinas para todos os municípios levaria três semanas. Desta vez, porém, foi feito um esforço adicional. O resultado foi a entrega em tempo recorde.

“Concluímos o transporte aéreo das vacinas para todas as regiões do Maranhão. Parabéns a todas as equipes, especialmente às Secretarias de Saúde e de Governo, bem como ao Centro Tático Aéreo”, afirmou o governador Flávio Dino, que também agradeceu às prefeituras.

Quinze das 19 Regionais já tinham recebido as vacinas na terça-feira, quando o Governo do Estado começou, às 7h, a missão. As outras quatro não tinham recebido por causa da chuva, que impediu a chegada das aeronaves. E receberam nesta quarta-feira.

“É uma sensação de dever cumprido. Esse alívio é pensar principalmente nas mortes dos profissionais que não vai mais acontecer. Temos um alívio muito grande, chegando a todos os municípios em tempo recorde. É uma alegria muito grande, uma emoção muito grande”, afirmou Aristeu Marques, coordenador das Regionais de Saúde do Maranhão.

Três aviões, três helicópteros e 30 automóveis fizeram o trabalho.

“É uma sensação de dever cumprido. Esse alívio é pensar principalmente nas mortes dos profissionais que não vão mais acontecer. Temos um alívio muito grande, chegando a todos os municípios em tempo recorde. É uma alegria muito grande, uma emoção muito grande”, afirmou Aristeu Marques, coordenador das Regionais de Saúde do Maranhão.

O responsável pelo transporte até os municípios é o Governo do Estado. E depois a aplicação fica sob responsabilidade das prefeituras.

Públicos

Nesta primeira etapa, são vacinados os grupos determinados pelo Ministério da Saúde. Existem três fases nesta etapa. Na primeira fase, são trabalhadores de saúde; pessoas de 75 anos ou mais; pessoas de 60 anos ou mais em asilos; população em situação de rua; população indígena, povos e comunidades tradicionais ribeirinhas e quilombolas.

Na segunda fase, são os idosos de 60 a 74 anos. Na terceira fase, são pessoas com diabetes mellitus; hipertensão arterial grave; doença pulmonar obstrutiva crônica; doença renal; doenças cardiovasculares e cerebrovasculares; indivíduos transplantados de órgão sólido; anemia falciforme; câncer; e obesidade grave, com Índice de Massa Corporal igual ou maior que 40 (IMC≥40).

Neste primeiro lote, são 164 mil doses para vacinar 78 mil pessoas. Cada uma vai receber duas doses.

MPMA emite Recomendação sobre proteção de praias, dunas e mangues em Tutóia

O Ministério Público do Estado do Maranhão encaminhou, no último dia 17, uma Recomendação ao prefeito de Tutóia, Raimundo Baquil (mais conhecido como Diringa), a respeito da proteção de áreas de praias, dunas e mangues do município.

O documento baseou-se em informações trazidas à Promotoria de Justiça de Tutóia pela Associação Comunitária dos Moradores e Pescadores do Povoado Arpuador de que, desde 2019, alguns moradores da região passaram a desmatar cercar manguezais e áreas de dunas. Alguns dos moradores alegariam ter cartas de concessão, emitidas pela Prefeitura de Tutóia, para cercarem as áreas.

Foi recomendado que a Prefeitura de Tutóia exerça o controle e fiscalização imediatos das áreas para coibir a retirada de dunas e vegetação nativa e o aterramento de mangues, bem como determine a recomposição das áreas degradadas, a ser feita pelos infratores.

No documento, assinado pelo promotor de justiça Fernando José Alves Silva, o Ministério Público também recomenda a demolição de qualquer construção ilegal, seja residencial ou empresarial, em toda a extensão das áreas de dunas e manguezais, também com o desaterramento e recomposição da vegetação.

Também deverão ser retiradas cercas ou qualquer forma de restrição nas áreas de mangue, praias e dunas, devolvendo as áreas públicas à comunidade. Além disso, a Prefeitura de Tutóia deverá divulgar amplamente as medidas adotadas para o cumprimento da Recomendação.

Em até cinco dias úteis o Município deverá encaminhar à Promotoria documentos comprobatórios das ações realizadas.

Por Rodrigo Freitas (CCOM-MPMA)

Biden não vai entrar de “bom moço” no governo. Bolsonaro se prepare

Por Fernando Brito, editor do TIJOLAÇO

É provável que esteja enganado aquele que ache que Joe Biden vai entrar em ritmo de “água morna” no Governo dos Estados Unidos, amanhã, achando que será isso o que reconciliará um pais dividido e radicalizado.

Biden não é um velhinho bonachão, imagem que talvez tenha sido interessante sustentar durante a campanha, exatamente pelo contraste que isso traria com a agressividade de Donald Trump.

Chegar à Casa Branca, porém, num quadro em que os Estados Unidos enfrentam sua pior crise nas décadas recentes, um dia depois de somarem-se 400 mil mortes no país, que passa, assim, o número de mortos na 2ª Guerra Mundial, exigirá muito mais energia e decisão.

E Biden o fará.

O seu primeiro dia de governo será de ordens executivas – uma espécie de decreto, não sujeito à aprovação do Congresso, abrangendo praticamente todos os pontos odiosos da “Era Trump”.

É certo que vai marcar logo as diferenças em campos onde o radicalismo trumpista se impôs: o negacionismo científico na pandemia, as questões raciais, imigratórias, ambientais e na reintegração dos EUA na diplomacia mundial, desprezada pelo presidente republicano.

No enfrentamento da pandemia, é provável que ele expanda as atribuições federais na vacinação – talvez mesmo com o emprego das Forças Armadas – para alcançar suas metas de vacinar 100 milhões de pessoas em 100 dias, e ninguém espere que venham a sobrar vacinas para a exportação das fábricas instaladas em território norte-americano, como as da Pfizer, Moderna e Janssen.

O pacote de ajuda de US$ 1,9 trilhão que pretende anunciar aponta numa direção claramente anti-recessiva, mas que ajudará o manter o dólar longe de aventuras ultramarinas até que a economia tenha um panorama mais claro.

Biden tem um vasto leque de medidas simbólicas a tomar, a começar pela reunião das famílias de migrantes separadas de seus filhos pela política de Trump, que lhe vão render manchetes positivas nos primeiros dias, bem como o já anunciado retorno dos EUA ao Tratado de Paris e a proibição do “fracking” – explosões subterrâneas para a liberação de gás e óleo de xisto – em terras públicas do país.

As consequências para o Brasil não serão, claro, apenas a nova proibição de voos, revogada ao apagar das luzes por Trump. Jair Bolsonaro, o vilão mundial, é um alvo fácil e desejado por Biden, que não citou eventuais sanções ambientais ao nosso país no debate presidencial da campanha por acaso. Amazônia deixa de ser um tema para governantes europeus, apenas e vai estar permanentemente na agenda da Casa Branca.

Não descartem a possibilidade até de adoção de sanções econômicas, como sobretaxação de produtos brasileiros como forma de aparentar políticas de defesa do meio-ambiente.

Cartórios maranhenses registram aumento de 75% nos óbitos por causas respiratórias em 2020

Cartórios maranhenses registram aumento de 75% nos óbitos por causas respiratórias em 2020 – Foto: Divulgação

Por G1 MA – São Luís

O número de óbitos por doenças respiratórias no Maranhão aumentou em 75% na comparação entre 2019 e 2020, em razão da pandemia causada pelo novo coronavírus (Covid-19), que já causou a morte de 4.613 pessoas no estado.

Entre as doenças deste tipo, a Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) explodiu, registrando crescimento de 12.271%, seguida pelas Causas Indeterminadas, que registraram aumento de 48,9%.

De acordo com dados do Portal da Transparência, as mortes registradas pelos Cartórios do Maranhão em 2020 totalizaram 28.847. O número de óbitos em 2020 pode aumentar, assim como a variação da média anual, uma vez que os prazos para registros chegam a prever um intervalo de até 15 dias entre o falecimento e o lançamento do registro no Portal da Transparência.

Entre os óbitos causados por doenças cardíacas, muitas vezes relacionadas à Covid-19, a comparação entre 2019 e 2020 aponta um aumento de 12,7%, passando de 4.826 para 5.439. O registro que apontou maior crescimento foi o de mortes por Causas Cardiovasculares Inespecíficas, que cresceu 37,9% entre os anos, sendo que o aumento dos óbitos em domicílio é uma das explicações para o diagnóstico inespecífico das mortes causadas por doenças do coração.

Mortes em casa

Quando comparado ao ano de 2019, o número de mortes em domicílio cresceu em 37,2%, por conta do receio das pessoas frequentarem hospitais ou mesmo realizarem tratamentos de rotina durante a pandemia, assim como a falta de leitos em momentos críticos da Covid-19 no Brasil.

Prazos do registro

Mesmo a plataforma sendo um retrato real de todos os óbitos registrados pelos Cartórios de Registro Civil do país, os prazos legais para a realização do registro e para seu envio à Central de Informações do Registro Civil (CRC Nacional), regulamentada pelo Provimento nº 46 do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), podem fazer com que os números sejam ainda maiores.

Isto por que a Lei Federal 6.015/73 prevê um prazo para registro de até 24 horas do falecimento, podendo ser expandido para até 15 dias em alguns casos. Durante a pandemia, normas excepcionais em alguns Estados expandiram ainda mais este prazo. A Lei 6.015/73 prevê um prazo de até cinco dias para a lavratura do registro de óbito, enquanto a norma do CNJ prevê que os cartórios devam enviar seus registros à Central Nacional em até oito dias após a efetuação do óbito.

Vacina contra a Covid-19 chega à Araioses

Tão desproporcional quanto o tamanho do volume de vacinas se comparado ao restante da composição da foto, só o mínimo de informações que se tem para um assunto tão importante, como é a vacinação contra a Covid-19

A vacina da Covid-19 já chegou a Araioses. Quantas dozes e quem serão os primeiros a serem vacinados não podemos informar.

Nos órgãos de divulgação da prefeitura – site e Facebook – o que já foi publicado é pouco esclarecedor.

No site da prefeitura a única publicação (data do último dia 12) sobre o assunto é uma notícia compartilhada da Agência Brasil – Anvisa divulga orientações para vacinação em farmácias – e nada mais.

Na página do Facebook da prefeitura de Araioses, apenas uma foto em que aparece a vereadora Jesus Enfermeira, o vereador Luís Fernando Marão Feliz – o Luisão e o vice-prefeito Bernardinho Almeida (BBA) exibindo um volume da vacina que chegou aqui transportada em um helicóptero.

Pelo que se tem conhecimento, baseado no procedimento adotado em outras cidades, provavelmente esse primeiro lote de vacina seja para os profissionais que atuam na saúde.

Por enquanto é isso que podemos publicar em função da carência de informações.

Polícia de Araioses prende suposto homicida no Baixão das Porteiras

Reprodução ilustrativa da Internet

A Polícia Civil do Maranhão, por intermédio da Delegacia de Polícia Civil de Araioses, efetuou na data de hoje (19), a prisão de F.R.G.S  pelo crime de Homicídio qualificado em desfavor de F.E.C.S, fato ocorrido no dia 12 de dezembro de 2020.

Na manhã de hoje, após um mês de intensas investigações, a equipe dirigiu-se ao Povoado Baixão das Porteiras, zona rural de Araioses, onde efetuou a prisão do investigado, o qual, após as formalidades legais, será encaminhado ao sistema prisional.

Secretário da Saúde recebe o 1º lote de vacinas destinadas ao Maranhão

O secretário da Saúde do Maranhão, Carlos Lula, recebeu nesta segunda-feira (18) o primeiro lote de vacinas destinadas ao estado. Ele está em São Paulo acompanhando a entrega dos produtos.

“É um dia histórico que vai nos permitir, enfim, vencer a pandemia”, disse Lula. As vacinas estão armazenadas em câmaras frias para preservá-las.

Primeiro lote de vacinas para o Maranhão

O governador Flávio Dino afirmou pelas redes sociais que “assim que elas chegarem, iniciaremos o transporte e entrega às prefeituras. Também entregaremos seringas e agulhas para as prefeituras que precisarem”.

Vigarista que deu golpes em São Mateus/MA tem nome e não é Antonio

O vigarista da foto não se chama Antonio e muito menos professor de Matemática. Ele conhecido por Bernardinho

O vigarista que disse ser meu amigo e deu uma série de golpes na virada do Ano Novo em São Mateus/MA tem nome e não é Antonio, como ele se registrou em uma pousada daquele lugar.

Ele é realmente do município de Araioses, mas do povoado João Peres distante 6 km da sede da cidade. E lá naquele povoado ele é conhecido por Bernardinho, mas seu nome deve ser Bernardo Filho.

Bernardo é seu pai, só que ainda não foi possível saber o sobrenome e mora na Rua Santa Barbara, em João Peres/Araioses. A informação me foi passada hoje pela manhã, por um morador daquela comunidade que o conhece bem.

Bernardinho tem como única ocupação na vida aplicar trambiques, com um farto histórico pilantragens. Dificilmente vem a João Peres, pois sua vida é no mundo a procura de vítimas para enganar. Para seus familiares ele é uma vergonha.

Entre os golpes que aplica – como os noticiados aqui – ele costuma se passar por um homem rico – endinheirado – para enganar mulheres que acabam sendo depenadas por ele.

Ele já passou um bom tempo sem aparecer por aqui, após aplicar um golpe no troca-troca de Parnaíba/PI. De lá veio uns a João Peres para mata-lo, porém quando chegaram lá, ele já tinha sumido para rumo ignorado.

Soube que da última vez que ele visitou a família trouxe vários aparelhos de celular e um sistema de som que valia cerca de três mil reais e ele o vendeu por 500 reais.

Meu informante disse que agora, após a publicação da reportagem do TV Difusora de São Mateus e aqui no blog, ele corre sério risco de ser alcançado pela polícia ou por suas vítimas.

Só que dificilmente ele terá João Peres como destino.

Ex-doméstica, maranhense é classificada na primeira fase do ‘The Voice +’

Ex-doméstica, maranhense é classificada na primeira fase do ‘The Voice +’ — Foto: Reprodução/TV Globo

Por G1 MA – São Luís

Yeda Maranhão é o nome da maranhense de 76 anos que participou da primeira audição às cegas do “The Voice +”, novo reality show da TV Globo. A cantora escolheu a música “Nem Morta”, interpretada originalmente por Alcione, onde três cadeiras viraram para a artista.

A maranhense revelou que teve uma infância difícil, que onde morava nem tinha luz elétrica: “Tive meus filhos e o pai deles me abandonou, então fui para o Rio de Janeiro trabalhar em casa de família e ajudar minha mãe que ficou com eles lá. Encontrei uma grande patroa, Dona Beatriz, que me ensinou tudo e que me levou em um lugar para me apresentar. Ali, foi me dando mais vontade de cantar.”

Yeda, que estava usando um look confeccionado por ela própria, escolheu escolheu o Time Mumuzinho para disputar as próximas fases do reality show.

Quando trabalhava como doméstica, a artista lavava roupa cantando e foi aí que a patroa viu seu talento. Ela também já foi cabeleireira, manicure e costureira. Hoje, integra a ala de compositores do Salgueiro e já foi até indicada ao Grammy Latino.

“Comecei a andar em escolas de samba e fiz um samba para o Salgueiro, o presidente gostou e disse que dali para frente eu seria batizada na ala de compositores, como sou até hoje. Fiz parte do grupo musical da Velha Guarda. Em 2004, fomos indicados ao Grammy Latino. Sou uma cantora do povo”, vibrou Yeda, aplaudida pelos técnicos.

Após sua apresentação, a maranhense ainda recebeu elogios da jurada Claudia Leitte. “Sua história é inspiradora, seu vestido é lindo”, comentou.

Yeda Maranhão é participante da 1ª temporada do ‘The Voice +’                              Foto: Divulgação/TV Globo

Governo inicia distribuição de insumos aos municípios para a vacinação contra a Covid-19

Distribuição de insumos para vacinação aos municípios já começou (Foto: Rogério Sousa)

O Governo do Estado iniciou neste fim de semana a distribuição de seringas e agulhas aos municípios para a primeira fase da Campanha de Vacinação contra a Covid-19 no Maranhão. No sábado (16), foram beneficiadas as Regiões de Saúde de Itapecuru e Rosário.

O secretário de Estado da Saúde, Carlos Lula, destaca que o trabalho é intenso até a chegada da vacina. “Estamos preparando nossas equipes, distribuindo os insumos aos municípios e trabalhando em conjunto para, assim que as vacinas chegarem, iniciarmos a imunização no Maranhão. Com um planejamento previamente elaborado, o Governo vem se organizando para este momento que é tão esperado por todos nós”, ressalta.

A ação faz parte da execução do Plano Estadual de Vacinação contra a Covid-19. A distribuição diz respeito a primeira fase do Plano Estadual de Vacinação contra a Covid-19.

Para Itapecuru foram entregues 6 mil insumos, Rosário outros 4.500. A Secretaria de Estado da Saúde (SES) também se colocou à disposição para auxiliar os municípios menores e mais distantes. Caso seja necessário, serão enviados equipamentos de segurança, desde que sinalizem a necessidade para as Regionais de Saúde à qual pertencem.

De acordo com o coordenador das Unidades Regionais de Saúde, Aristeu Marques, a distribuição dos insumos está sendo feita de modo estratégico. “O transporte está sendo feito através dos nossos caminhões com destino às Unidades Regionais de Saúde, que ao receberem imediatamente encaminharão para as Centrais Municipais de Imunização. Essa logística já foi traçada e a nossa expectativa é que até esta quarta-feira todas tenham sido atendidas”, explicou.

Maranhão é o estado com menos mortes de Covid-19 por 100 mil habitantes no Brasil, segundo pesquisa

Gráfico sobre óbitos de Covid-19 por estados brasileiros (Reprodução)

Uma pesquisa da Fiocruz mostra que o Maranhão é o estado com menos mortes causadas pela Covid-19 no Brasil. O estudo elenca os óbitos por 100 mil habitantes com base de cálculo aplicada pelos organismos que monitoram a doença no país. No levantamento, o Maranhão está em último lugar na escala de mortes, resultado da eficiência das ações do Governo do Estado no controle da doença e do comprometimento dos profissionais de saúde no atendimento aos maranhenses.

O pesquisador Leo Bastos, da Fiocruz, mostra em estudo que o Maranhão é o estado com menos mortes por 100 mil habitantes causadas pela Covid-19 no Brasil. O estudo tem base de cálculo aplicada pelos organismos que monitoram a doença no país. No levantamento, o Maranhão está em último lugar na escala de mortes, resultado da eficiência das ações do Governo do Estado no controle da doença e do comprometimento dos profissionais de saúde no atendimento aos maranhenses.

O governador Flávio Dino se manifestou sobre o estudo, lembrando a importância e dedicação de todos os profissionais da saúde do estado e municípios, neste cenário de combate à doença. “Mais uma vez, complemento as equipes da Secretaria de Saúde do Estado e dos municípios e, especialmente, os nossos profissionais de saúde pelo desempenho”, pontuou o governador. No Maranhão, já foram registrados 203.156 casos da doença, sendo 4.549 óbitos e mais de 489,9 mil testes realizados pelo Governo do Estado.

“O Maranhão está entre os estados que menos têm mortes por 100 mil habitantes, que é a prevalência epidemiológica interpretada de maneira correta e um alento para nós. Obviamente, não gostaríamos de ter perdido nenhum maranhense, mas todos os nossos esforços são no sentido de garantir a vida e que o estado reconforte seus habitantes. Esperamos que a vacina chegue, que esses números zerem e que esse episódio fique como um período obscuro de nossa história”, ressaltou o secretário de Estado da Saúde, Carlos Lula.

Para a pesquisa foram utilizados todos os dados de óbitos notificados em 2020, com correção do atraso de notificação e previsão para a primeira semana de 2021. O levantamento mostra que o Rio de Janeiro é o estado com maior número de mortes por 100 mil habitantes provocadas pela Covid-19. O estudo é do pesquisador da University ir Sheffield, da Inglaterra e da Fiocruz, Leo Bastos. Na Fiocruz, o estudioso atua em pesquisas nas áreas de Saúde Pública, Estatística Aplicada e Epidemiologia das Doenças Transmissíveis.

Uma pesquisa da Fiocruz mostra que o Maranhão é o estado com menos mortes causadas pela Covid-19 no Brasil. O estudo elenca os óbitos por 100 mil habitantes com base de cálculo aplicada pelos organismos que monitoram a doença no país. No levantamento, o Maranhão está em último lugar na escala de mortes, resultado da eficiência das ações do Governo do Estado no controle da doença e do comprometimento dos profissionais de saúde no atendimento aos maranhenses.

O governador Flávio Dino se manifestou sobre o estudo, lembrando a importância e dedicação de todos os profissionais da saúde do estado e municípios, neste cenário de combate à doença. “Mais uma vez, complemento as equipes da Secretaria de Saúde do Estado e dos municípios e, especialmente, os nossos profissionais de saúde pelo desempenho”, pontuou o governador. No Maranhão, já foram registrados 203.156 casos da doença, sendo 4.549 óbitos e mais de 489,9 mil testes realizados pelo Governo do Estado.

“O Maranhão está entre os estados que menos têm mortes por 100 mil habitantes, que é a prevalência epidemiológica interpretada de maneira correta e um alento para nós. Obviamente, não gostaríamos de ter perdido nenhum maranhense, mas todos os nossos esforços são no sentido de garantir a vida e que o estado reconforte seus habitantes. Esperamos que a vacina chegue, que esses números zerem e que esse episódio fique como um período obscuro de nossa história”, ressaltou o secretário de Estado da Saúde, Carlos Lula.

Para a pesquisa foram utilizados todos os dados de óbitos notificados em 2020, com correção do atraso de notificação e previsão para a primeira semana de 2021. O levantamento mostra que o Rio de Janeiro é o estado com maior número de mortes pela Covid-19. O estudo é do pesquisador da University ir Sheffield, da Inglaterra e da Fiocruz, Leo Bastos. Na Fiocruz, o estudioso atua em pesquisas nas áreas de Saúde Pública, Estatística Aplicada e Epidemiologia das Doenças Transmissíveis.