Flávio Dino, governador do Maranhão, anuncia: “Estou me preparando para 2022”

Em seu segundo mandato a frente do governo do Maranhão e considerado o melhor governador do país, o comunista Flávio Dino anunciou planos para concorrer à presidência em 2022: “Vamos enfrentar o laranjal e a turma do mal”

Revista Fórum

Foto: Reprodução/Facebook

O governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), sinalizou nesta sexta-feira (22) que pretende disputar a presidência da República em 2022. ““Estou mesmo me preparando para 2022. Vocês nem notaram, já estou até com cinco quilos a menos. Vamos enfrentar o laranjal e a turma do mal”, disse o comunista. A declaração foi dada durante uma conferência estadual extraordinária de seu partido no estado.

Protagonista de uma trajetória história, que quebrou a oligarquia de décadas da família Sarney no Maranhão, Dino é considerado o melhor governador do país. Em dezembro, o comunista foi eleito pelo ranking do G1, pela terceira vez consecutiva, o governador que mais cumpriu metas. Sob sua primeira gestão, o Maranhão viu seus níveis sócio-econômicos dispararem, a violência cair e a educação ser valorizada, se tornando o estado com o maior piso para professores do país.

“Eu adoro uma eleição, estou doido para disputar mais uma, essa especial. A gente tem que plantar a coisa certa, para colher a coisa certa”, disse Dino em meio aos gritos de “Brasil, pra frente, Dino presidente” da platéia.

Na oportunidade, o governador fez mais uma vez duras críticas ao projeto da reforma da previdência do governo Bolsonaro e convidou todos para uma grande mobilização no Maranhão no dia 8 de março, Dia Internacional da Mulher, um movimento, segundo ele, para resguardar os direitos à aposentadoria.

*Com informações do Blog do John Cutrin, no Jornal Pequeno 

Policiais do Maranhão e do Piauí prende foragido das cidades de Araioses e São Paulo

Na data de hoje (22), após informações obtidas através de investigações realizadas por esta Delegacia de Polícia Civil de Araioses/MA repassadas às equipes do 2º Batalhão da Polícia Militar de Parnaíba/PI efetuaram a captura de Juarez da Silva Rodrigues, 36 anos, que possuía dois mandados de prisão em aberto expedidos pelas Comarcas de Araioses/MA e São Paulo/SP pelas práticas dos crimes de TENTATIVA DE HOMICÍDIO e ROUBO QUALIFICADO, respectivamente.

JUAREZ que ainda responde a outro Inquérito Policial nesta Delegacia de Araioses/MA pela prática do crime de DISPARO DE ARMA DE FOGO, estava foragido desde de 2017 após ter rompido a tornozeleira eletrônica que utilizava em virtude de medida cautelar deferida em processo-crime, também em trâmite nesta Comarca no qual respondia pelo CRIME DE TRÁFICO DE DROGAS.

O criminoso já foi recambiado de Paraíba/PI para a Delegacia de Araioses/MA de onde seguirá para a Unidade Prisional de Ressocialização de Tutoia/MA.

Coordenaram os trabalhos o Delegado Titular Raphael Reis, pela Polícia Civil do Maranhão, o Comandante TC Pacífico e o Ten. Souza Filho, pela Polícia Militar do Piauí.

Por Raphael Reis – Delegado Titular de Araioses

Ex-diretor do FBI afirma que Trump quer guerra na Venezuela por causa do petróleo

Declaração, que teria sido feita pelo presidente em 2017, está em livro Andrew McCabe, demitido dias de se aposentar

Andrew McCabe durante conferência em 2017 Foto: JIM WATSON / AFP

O Globo e Agências internacionais

WASHINGTON —  Em julho de 2017, em um encontro particular com funcionários de Inteligência, o presidente Donald Trump teria questionado por que os EUA não estavam em guerra com a Venezuela, observando que “eles têm todo esse petróleo e estão na nossa porta dos fundos”. A afirmação aparece em uma passagem de um livro do ex-diretor do FBI, Andrew McCabe — que tem um relacionamento conturbado com o presidente.

“Eu não entendo porque não estamos olhando para a Venezuela. Por que não estamos em guerra com a Venezuela? Eles têm todo o petróleo e estão na nossa porta dos fundos”, teria dito o presidente dos EUA, segundo McCabe. Ele foi informado das declarações por outro agente do FBI, que estava presente na sala.

De acordo com os trechos do livro, o presidente fez os comentários durante uma reunião sobre espiões russos. “Esse (Venezuela) é o país com o qual deveríamos entrar em guerra”, teria dito Trump. Se as declarações forem verdadeiras, podem explicar, em parte, o forte interesse do presidente americano em derrubar o presidente do país, Nicolás Maduro.

Na última terça-feira, o ex-diretor do FBI explicou os comentários em uma entrevista a Lawrence O’Donnell, da MSNBC

“Essas declarações nos deixaram profundamente preocupados”.

McCabe e Trump tem um longo histórico de desavenças. O presidente criticou Jill McCabe, mulher de Andrew, por receber apoio do Partido Democrata da Virgínia e de um PAC ligado a Hillary Clinton quando ela concorreu a uma cadeira no Senado estadual. Trump também atacou o próprio McCabe no Twitter diversas vezes, chamando-o de mentiroso, “perdedor” e “fantoche”.

McCabe foi demitido em janeiro de 2017 pelo então procurador-geral dos EUA, Jeff Sessions, dias antes de se aposentar, decisão que lhe retirou parte da aposentadoria. A demissão aconteceu após mais de um ano de críticas de Trump e de líderes republicanos, que o acusavam de ser próximo dos democratas.

No comunicado oficial que justificava a decisão, Sessions esclarecia que uma investigação interna do FBI e do Departamento de Justiça concluira que McCabe deu informações, de forma não autorizada, a meios de comunicação e mentiu, mesmo sob juramento.

Em março de 2017, o próprio Sessions se declarou impedido de supervisionar a investigação sobre a campanha eleitoral de Trump, por ter feito parte da campanha.

Ameaças contínuas

Trump já fez várias ameaças de guerra contra a Venezuela. Em agosto de 2017, perguntou continuamente a seus principais assessores sobre uma opção militar para derrubar Maduro e reprimir a crescente crise política e econômica no país, de acordo com vários relatórios.

R. McMaster, então conselheiro de Segurança Nacional, foi contrário, explicando ao presidente que uma invasão provavelmente não funcionaria e colocaria aliados regionais contra os EUA.

Apesar disso, um dia depois de ter conversado com McMaster, Trump ameaçou publicamente uma “opção militar” para a Venezuela enquanto conversava com repórteres em seu clube de golfe em Bedminster, Nova Jersey.

O governp Trump continua dizendo “todas as opções estão na mesa” quando se trata da Venezuela, o que significa que uma opção militar ainda é viável.

Mistério envolve carro é interceptado pela polícia de Araioses e abandonado no povoado Santa Rosa, com explosivos no porta-malas

Fim de linha e fuga para o carnaubal – Foto: Polícia Civil de Araioses

Ainda sem poder contar com informações esclarecedoras, um mistério envolve a apreensão, por parte da Polícia de Araioses, de um Chevrolet Prisma, de cor branca, placa QNO-7520, Belo Horizonte/MG.

Pelo que já se sabe, o veículo foi perseguido pela polícia de Araioses, provavelmente por alguma atitude suspeita, que em fuga e por não conhecer a região seguiu naquela direção chegando a ponto de onde não poderiam mais seguir em frente.

No porta-malas do carro foi encontrado várias bananas de dinamite, o que leva a crer que os ocupantes tinham em mente explodir algo como, por exemplo, caixa eletrônico de algum banco.

Em contato com delegado de Araioses, Dr. Raphael Reis, ele disse que a operação está em andamento na captura dos ocupantes do veículo, que se evadiram no carnaubal.

Perseguido pela polícia o motorista do Prisma tentou escapar por uma estrada com muita lama, onde teve que abandonar o veículo e fugir para o carnaubal. No veículo, além de muita dinamite a PM conseguiu apreender um fuzil 7.62, uma espingarda Cal. 12 e munições. O material aprendido, assim como o veículo foi entregue na Delegacia de Polícia Civil de Araioses Foto: Plantão Araioses

No porta-malas do Prisma, bananas de dinamite – Foto: Polícia Civil de Araioses

Chevrolet Prisma abandonado – Foto: David Souza/Panorama

Juiz Substituto suspende votação da CP que poderia cassar o mandato do prefeito de Araioses

O juiz Francisco Eduardo Girão Braga – Juiz de Direito de Tutoia, que no momento responde como juiz substituto de Araioses, suspendeu na manhã de hoje (22) a votação da Comissão Processante que apura suposta improbidade administrativa praticada pelo prefeito de Araioses, Cristino Gonçalves de Araújo, que caso ocorresse provavelmente, lhe teria cassado o mandato.

Apesar do clima de terror – onde vereador foi ameaçado até de ser tirado de casa a força – caso não quisesse comparecer a sessão, todos os 13 edis araiosenses marcaram presença.

Por conta de uma decisão dúbia do desembargador Jamil de Miranda Gedeon Neto, sempre o mesmo, publicada no diário eletrônico pouco antes das cinco da manhã de hoje, criou-se um estado de dúvida se a votação iria ou não ocorrer.

Porém, poucos minutos antes do início da sessão, oficiais agentes do poder judiciário local entregaram a presidência da Câmara, uma liminar concedida pelo Dr. Francisco Eduardo Girão Braga, que acatando pedido do prefeito suspendeu a votação.

Eduardo Girão é juiz de Tutoia, mas está substituindo o Dr. Marcelo Fontenele Vieira, que se encontra de férias.

Segundo a sentença, que foi lida pelo secretário da Mesa Diretora, vereador Júlio César, a Comissões Processantes não é facultado o poder de aplicar qualquer sansão ao investigado, no caso o prefeito de Araioses.

Votação da CP suspensa, em seguida foi realizada a sessão ordinária, com momentos muitos tensos, que falaremos em outro post.

Sobre a CP, foi dito que será feito um agravo junto à justiça, porém seu futuro a essa altura parece incerto.

Tensão na fronteira fechada entre Venezuela e Brasil

Por Fernando Brito no TIJOLAÇO

A insensatez nos está levando para uma situação de conflito que só traz prejuízos para o Brasil.

Ontem, o porta-voz do Governo anunciou que se fariam depósitos de ajuda humanitária para abastecer “caminhões venezuelanos dirigidos por motoristas venezuelanos nas cidades de Pacaraima ( na verdade, uma pequena vila de 12 mil habitantes) e Boa Vista.

Não ficou esclarecido se esta ajuda estava sendo enviada dos Estados Unidos ou se daqui mesmo, e à conta de quem.

Na Folha de hoje, diz-se que os militares brasileiros resistem à uma pressão dos EUA para usar mos tropas contra o país vizinho e recusaram a operação da Força Aérea dos EUA em nosso território.

O líder da oposição, Juan Guaidó, anunciou que ia pessoalmente à fronteira supervisionar a entrada dos caminhões que diz ter sob controle.

Depois de uma manifestação de aopio expressiva, ontem, em Ciudad Bolívar, a cidade mais próxima à fronteira do Brasil – assim mesmo, a mais de 700 km – o presidente Nicolás Maduro mandou tropas para a região fronteiriça e, agora, teria ordenado o fechamento da fronteira a partir de 21 horas.

Deus nos livre de escaramuças militares, que nos seriam desastrosas.

Ainda mais no dia em que se divulgou o relato do  ex-diretor do FBI, Andrew McCabe em que ele afirma que  Donald Trum planejava uma guerra contra a Venezuela desde 2017, por causa do petróleo.

Estudo analisa povo que viveu no Maranhão há quase mil anos

Esses habitantes construíram moradias que em conjunto formaram aldeias sobre palafita.

EBC

Um povo de identidade ainda desconhecida habitou por quase mil anos as terras baixas do Maranhão. A região é onde os rios Pindaré, Pericumã e Turiaçu se alargam e inundam as planícies vizinhas.

Esses habitantes construíram moradias que em conjunto formaram aldeias sobre palafitas no leito dos rios ou no interior dos lagos. São as chamadas estearias.

Os primeiros estudos sobre esse povo datam de 150 anos. Em 1970 foram feitas algumas expedições e as pesquisas foram retomadas em dezembro de 2018, com a análise de quatro das 20 estearias conhecidas no estado.

O trabalho descreve a organização espacial e as datas prováveis de ocupação das estearias Boca do Rio, Cabeludo, Caboclo e Armíndio, situadas em um trecho do rio Turiaçu, próximo ao município de Santa Helena, a 200 quilômetros da capital, São Luís.

O arqueólogo Alexandre Navarro explica que se tratava de um povo sofisticado.

Segundo as pesquisas, o povo em estudo viveu entre o início da era cristã até o ano 1100 depois de Cristo. E, apesar de não ser possível confirmar influência na cultura dos índios atuais, é possível perceber características semelhantes em aldeias indígenas não apenas no Maranhão como na região do Xingu, no Alto Amazonas, no Amapá, além da Venezuela, Guianas e Caribe.

Participam dos estudos especialistas de várias instituições como a Universidade Federal do Amazonas, o CNPQ – Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico e uma universidade norte-americana.

Auditor Fiscal do Estado é preso em Araioses cobrando propina

Por: John Cutrim

A Polícia Civil e a Polícia Militar da cidade de Araioses/MA, prendeu em flagrante, o Auditor Fiscal do Estado, FRANCISCO VAZ REGO, ontem 19/02/2019, por volta das 19h30min., autuado pelo crime de Corrupção Passiva Majorada, previsto no artigo 317, §1º do Código Penal.

Segundo informações do delegado de Araioses, Dr. Raphael Reis, a Polícia Civil já tinha informação a respeito da prática do crime de corrupção passiva praticada pelos fiscais do Posto Fiscal do Povoado Pirangi, em Araioses/MA, localizado na divisa entre os estados do Maranhão e Piauí.

Diante das informações, a Polícia Civil passou a investigar o caso e, em reunião com os policiais militares lotados no Povoado, foram passadas instruções para que ficassem atentos e de como deveriam agir diante desse tipo de crime.

Na data de ontem, 19/02/2019, os policiais militares se depararam com uma situação de flagrante em que o Auditor Fiscal FRANCISCO VAZ REGO recebeu vantagem ilícita, valor em dinheiro para deixar de fiscalizar um veículo.

A conduta foi confessada pelo autor e confirmada por diversas testemunhas, tendo, uma delas, afirmado que entregou dinheiro ao Autor por mais de cem vezes.

PF prende 22 em operação contra tráfico internacional de drogas

Policiais têm 55 mandados de prisão contra suspeitos de transportar drogas para o Brasil, os EUA e a Europa. Em 2 anos, grupo transportou ao menos 9 toneladas de cocaína.

Por Vilma Nascimento, Ana Paula Rehbein e Camila Bomfim, TV Anhanguera e TV Globo

G1 Globo

Aeronaves que, segundo a PF, eram usadas por quadrilha especializada em tráfico internacional de drogas — Foto: Divulgação/PF

A Polícia Federal prendeu 22 pessoas na manhã desta quinta-feira (21), em uma operação contra uma quadrilha especializada em transportar drogas da Colômbia e da Venezuela para o Brasil, Estados Unidos e Europa. Ao todo, agentes cumprem 55 mandados de prisão contra envolvidos no esquema. Além das prisões, a PF tenta apreender 47 aeronaves usadas pela quadrilha.

João Soares Rocha, apontado como chefe da quadrilha, foi preso em Tucumã, no Pará. Aeronaves já foram apreendidas pela PF, mas um balanço de apreensões não havia sido divulgado até a última atualização desta reportagem.

Segundo a investigação, a quadrilha transportou mais de 9 toneladas de cocaína entre 2017 e 2018, em 23 voos que carregavam 400 quilos da droga, em média, cada um.

Números da operação até as 10h:

22 prisões;

18 buscas cumpridas;

Além de pilotos, a organização contava com mecânicos que adulteravam as aeronaves para aumentar a autonomia dos voos e ocultar o prefixo original dos aparelhos, para despistar as autoridades. O grupo usava Palmas e Porto Nacional, no Tocantins, como pontos de apoio.

As investigações indicam que a rota do transporte de drogas passava pelos países produtores (Colômbia, Bolívia), países intermediários (Venezuela, Honduras, Suriname e Guatemala) e países destinatários (Brasil, Estados Unidos e União Europeia).

Operação da PF mira tráfico internacional de drogas no DF e 7 estados – Captura de tela, TV Globo

A operação envolve 400 policiais e conta com o apoio da Força Aérea Brasileira (FAB) e do Grupamento de Rádio Patrulha Aérea da Polícia Militar de Goiás. Os mandados foram expedidos pelo juiz federal Pedro Felipe de Oliveira Santos, da 4ª Vara de Palmas. As investigações também tiveram apoio da agência americana DEA (Drug Enforcement Administration) e da agência surinamesa CTIU (CounterTerrorism Intelligence Unit).

Os mandados são cumpridos no Ceará, no Distrito Federal, em Goiás, no Pará, no Paraná, em Roraima, em São Paulo e no Tocantins. Além da apreensão das aeronaves, o juiz determinou o sequestro de 13 fazendas e de cerca de 10 mil cabeças de gado.

De acordo com as investigações um dos envolvidos na organização criminosa era o piloto Cristiano Felipe Rocha Reis, que morreu em Goiânia após uma queda de avião no Pará. Ele era sobrinho do empresário João Soares Rocha.

Cristiano Felipe Rocha, que morreu após acidente no Pará, também tinha envolvimento no esquema — Foto: Reprodução/Instagram

Outro citado como integrante da operação é Evandro Geraldo Rocha dos Reis, pai de Cristiano, e que morreu na queda do mesmo avião em que o filho estava.

Ainda segundo as investigações, o esquema teria ligações com traficantes como Fernandinho Beira-Mar e também Leonardo Dias Mendonça, que estava preso em Aparecida de Goiânia, mas ganhou progressão para o regime semiaberto.

Segundo a PF, os investigados devem responder por tráfico transnacional de drogas, associação para o tráfico, financiamento ao tráfico, organização criminosa, lavagem de dinheiro e atentado contra a segurança do transporte aéreo.

A operação foi batizada de Flak, termo que, de acordo com a PF, era usado durante a Segunda Guerra Mundial para identificar a artilharia antiaérea alemã.

O esquema

As investigações da Polícia Federal apontam que o grupo agia dividido em quatro núcleos. O primeiro era comandado por João Soares Rocha e tinha a função de gerenciar as operações de transporte e de distribuição de cocaína. Eles eram responsáveis pela comunicação com produtores e varejistas do tráfico, organização do transporte aéreo, recrutamento de pilotos e mecânicos para tarefas operacionais, definição das estratégias de fuga, seleção das pistas de pouso e pontos de apoio, além de outras funções gerenciais.

O segundo núcleo era composto de pilotos e ajudantes que prestam serviços regulares ao núcleo empresarial. Eles eram responsáveis pela condução das aeronaves adulteradas com drogas e dinheiro, além da elaboração de planos de voos irregulares, mapeando rotas para escapar do controle aeronáutico.

Mecânicos que adulteravam a estrutura dos aviões para prolongar a autonomia do voo integravam o terceiro núcleo. Eles também faziam manutenção das aeronaves e adulteravam os prefixos.

Os produtores ou compradores de cocaína, que contratam os serviços do núcleo logístico para o transporte e a distribuição da droga, são apontados pela PF como quarto núcleo.

Cristino tenta última cartada para continuar no cargo de prefeito de Araioses

Dados do processo com pedido de suspensão de recurso

Os advogados do prefeito de Araioses, Cristino Gonçalves de Araújo deram entrada ontem (21), com mais um pedido de liminar visando suspender os trabalhos da Comissão Processante, que se nada contrário ocorrer terá seu relatório votado na sessão da Câmara de Vereadores de amanhã e sendo esse aprovado cassará o mandato do gestor araiosense.

Na Ação de Mandado de Segurança, o prefeito quer que lhe seja oportunizada, junto à Autoridade, dita coatora (MESA DIRETORA DA CÂMARA MUNICIPAL DE ARAIOSES), a produção de prova técnica, qual seja, perícia/auditoria para apurar o débito, por ventura existente, entre o Município e o INSS.

Nada mais é do que a criação de um factoide, pois a comprovação de que o gestor araiosense recolheu e não repassou os recursos dos servidores municipais ao INSS foi constatado em auditoria do TCE.

A decisão deverá sair nas próximas horas e segundo informações junto a quem conhece de que forma essas coisas são tratadas na mais alta corte da justiça maranhense, não será nenhuma surpresa que mais uma vez o Cristino sair vitorioso.

O pedido de produção de prova técnica para apurar o débito, por ventura existente, entre o Município e o INSS provavelmente seja a ferramenta que os advogados do prefeito usaram para que o desembargador Jamil de Miranda Gedeon Neto use como argumento para impedir que o relatório da CP seja votado amanhã.

O jeito será aguardar…

Bolsonaro aposentado com pouco mais de 30 anos

Por Miguel Enriquez no DCM

Para quem esperava participar de uma sessão memorável, a aparição relâmpago de Jair Bolsonaro na Câmara dos Deputados, na manhã desta quarta feira, 20 onde compareceu para entregar oficialmente a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) da Reforma da Previdência, foi o anticlímax.

Desgastado pelo constrangedor festival de mentiras e manipulações que resultou na demissão do ministro da Secretaria Geral da Presidência da República, Gustavo Bebianno, Bolsonaro entrou mudo e saiu calado do prédio que frequentou nos últimos 28 anos como um obscuro e improdutivo parlamentar, evitando qualquer contato com a imprensa.

Ao contrário do que se esperava, “meu capitão”, como o chama mesmo depois da humilhação Bebianno, cancelou a ideia de fazer um pronunciamento público no plenário, em defesa do projeto.

Optou por entregá-lo, a portas fechadas, no gabinete do presidente da Câmara, Cesar Maia, na presença do presidente do Senado, Davi Alcolumbre, e de um punhado de representantes dos partidos que apoiam o seu governo no Congresso.

Ali, Bolsonaro fez uma espécie de “mea culpa” afirmando que errou ao ter se posicionado contra a reforma quando era deputado federal, alegando desconhecimento da real situação da Previdência.

Na cara dura, fiel ao seu estilo mistificador, se esqueceu que durante a campanha eleitoral do ano passado afirmou mais de uma vez que o desequilíbrio nas contas públicas não tinha qualquer relação com Previdência.

Num extremo de retórica, chegou, mesmo, a praticamente jurar que jamais atuaria para levar miséria aos aposentados por exigência do mercado financeiro.

Ao estelionato eleitoral, praticado para engambelar e angariar os votos dos eleitores que viriam a ser prejudicados pela reforma, soma-se a má consciência do capitão ao aceitar a proposta elaborada por seu posto Ipiranga. o ministro da Economia Paulo Guedes.

Resumidamente, a PEC, que precisará passar pela aprovação na Câmara e no Senado, estabelece que os brasileiros que ganham acima de um salário mínimo precisarão contribuir por 40 anos para conseguir aposentar-se com 100% do salário-teto do INSS, atualmente de R$ 5.839, além de fixar a idade mínima de 62 anos para as mulheres e 65 anos para os homens.

Seguramente, um motivo de constrangimento das novas regras para Bolsonaro vem de sua própria história.

Afinal, desde que foi afastado das fileiras do Exército, em 1988, com apenas 15 anos de serviço e 33 anos de idade, o atual presidente passou a receber uma aposentadoria de capitão, que hoje chega a R$ 9.135 mensais, 63% acima do teto do INSS.

Ou seja, Bolsonaro recebe esse benefício, ao qual já tem direito de acrescentar uma aposentadoria após 28 anos de mandato parlamentar, de aproximadamente R$ 27 000, além dos R$ 30.934 dos proventos de presidente, há nada menos de 31 anos.

E a julgar pela expectativa de vida para os brasileiros na faixa dos 60 anos de idade, que chega a 82,3 anos, de acordo com o IBGE, Bolsonaro, nascido em 1955, continuará, em tese, a receber a aposentadoria como capitão ao menos pelos próximos 18 anos.

Sem dúvida, caso se confirmem, essas quase seis décadas de benefício contínuo do Exército serão um recorde que, por mais que aumente a longevidade da população brasileira, jamais será batido por qualquer contribuinte enquadrado nas novas regras da Previdência Social propostas pelo governo dos homens de bem.

Vai para o Guiness ou não vai?

Flavio Dino: Previdência de Bolsonaro “vai beneficiar o capital e provocar um genocídio”

Para o governador do Maranhão, do PCdoB, a proposta tem fortes medidas contra os mais pobres e mais frágeis.

Revista Fórum

Governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), reagiu com fortes críticas à proposta de Reforma da Previdência levada nesta quarta-feira (20) ao congresso por Jair Bolsonaro (PSL).

Para ele, o modelo, que deixou de fora os militares vai prejudicar os mais pobres, principalmente os que dependem do Benefício Prestação Continuada (BPC), pois a idade mínima passará de 65 para 70 anos para remuneração do mínimo. “O regime de capitalização no Brasil é um escândalo. Vai beneficiar o capital e provocar um genocídio”, afirmou.

Pelo Twitter, Dino também criticou a obrigatoriedade de contribuição do trabalhador rural de R$ 600 por ano. “Sabe-se que no Brasil não há excedente produtivo para o pequeno agricultor. Os grandes têm seguro safra. Os pequenos, não”.

Para ele, a proposta tem fortes medidas contra os mais pobres e mais frágeis.

“Menciono a exigência de contribuição de 600 reais dos trabalhadores rurais e o aumento da idade para 70 anos nos casos de idosos pobres poderem receber 1 salário mínimo”.

Motorista maranhense aprova versão digital do CRLV: “Praticidade no dia a dia”

CRLV Digital

Os proprietários de veículos do Maranhão a adotar a versão digital do Certificado de Registro e Licenciamento de Veículo (CRLV). Esse documento é renovado todo o ano e comprova a regularização de veículos automotivos. É o chamado documento do licenciamento.

A versão eletrônica do CRLV está disponível no Maranhão desde o início de janeiro e pode ser usada em smartphones com sistemas Android ou IOS.

Para Giovanni, o aplicativo é sinônimo de praticidade e veio para evitar multas e contratempos durante fiscalizações para os condutores menos precavidos.

“Eu gostei muito porque é de uma praticidade muito boa para o dia a dia. Você acaba poupando tempo caso esqueça o documento físico. A CRLV digital acaba substituindo a versão impressa e você não passa por nenhum aperreio, nenhuma blitz, problema ou contratempo”, avalia o veterinário.

Giovanni conta que foi muito cômodo e rápido instalar o aplicativo em seu celular: “Foi fácil aderir ao CRLV Digital. Já tinha as orientações no próprio aplicativo, precisava do código de segurança que vem no documento do carro, o CRV [Certificado de Registro de Veículos], e depois é só seguir o passo a passo. O aplicativo vai orientando em cada etapa”, explica.

Como funciona

Para obter o CRLV digital, os proprietários de veículos devem fazer o download na App Store ou Google Play do aplicativo batizado de Carteira Digital de Trânsito (CDT), o mesmo que dá acesso à versão eletrônica da Carteira Nacional de Habilitação (CNH-e).

Em seguida é necessário efetuar cadastro de usuário no próprio aplicativo. Para finalizar a adesão, basta adicionar o CRLV, informando o número do Registro Nacional de Veículos Automotores (Renavam) e o código de segurança impresso no CRV.

De acordo com o diretor operacional do Departamento Estadual de Trânsito do Maranhão (Detran-MA), David Ximenes, o CRLV digital pode ser compartilhado em smartphones diferentes por até cinco usuários que utilizam o mesmo veículo.

“Com o CRLV digital, o usuário poderá evitar multas por esquecer o documento em algum outro local, além de evitar questões como roubo ou perda do documento físico”, detalha Ximenes.

Entretanto, o CRLV digital só pode ser emitido após quitação de débitos dos tributos, encargos e multas de trânsito e ambientais vinculados ao veículo, bem como o pagamento do Seguro de Danos Pessoais Causados por Veículos Automotores de Via Terrestre (DPVAT).

No caso da CNH digital, só podem ter acesso à ferramenta pessoas com CNH física emitida depois de maio de 2017, quando as carteiras começaram a receber código QR Code na parte interna do documento.

Transitar sem CRLV – impresso ou digital – constitui infração gravíssima e pode gerar multa de R$ 293,47, mais sete pontos na carteira e remoção do veículo, conforme prevê o Código de Trânsito Brasileiro (CTB).

Fonte: Secap

“Baiacu”, líder de facção e responsável por incêndio a ônibus em São Luís morre em confronto com policiais em Alcântara

Gilberto Lima – Um dos responsáveis por ordenar e  incendiar a ônibus em São Luis, em 2014, foi morto em confronto com as Equipes do GOE da cidade de Pinheiro e GU da cidade de Alcântara nas primeiras horas desta quarta-feira (20).

Após denúncias anônimas que havia um indivíduo ameaçando populares na região próximo ao Cujupe, foi constatado que se tratava de Genilson Pereira, conhecido como “Baiacu” foragido do sistema penitenciário do Maranhão. Ele estava no povoado Cagiba, em Alcântara.

As equipes do Grupo de Operações Especiais (GOE) e Guarnição de Alcântara foram ao local e encontram o criminoso em um barracão. Foi realizado o cerco e determinado que o mesmo saísse do local. Genilson se recusou e, em seguida, efetuou disparo de arma de fogo que atingiu o colete de um dos policiais.

Os policiais reagiram e o agressor foi alvejado. Ele foi socorrido e levado para o hospital de Alcântara, onde foi constatado óbito pelo médico de plantão.

Genilson Pereira era contumaz no mundo do crime, sendo líder de facção e suspeito de coordenar ataques a ônibus no início do ano de 2014, onde vitimou Ana Clara Souza de 6 anos, sendo transferido depois para o presídio federal de Mossoró-RN. O mesmo respondia também por homicídio, assaltos e organização criminosa.

Com o criminoso, foram apreendidos um revólver calibre 38, com numeração suprimida, munições intactas e uma deflagrada e um celular.