Sindicato de Trabalhadores na Agricultura Familiar declara apoio a candidatura de Rodrigo Lago a deputado estadual

Mais adesões

Neste sábado, 13, o candidato a deputado estadual Rodrigo Lago participou de um café da manhã na sede do Sindicato de Trabalhadores e Trabalhadoras na Agricultura Familiar (Sintraf) de São Luís Gonzaga.

O evento marcou a consolidação do apoio dos agricultores ao projeto de Rodrigo Lago que se dá em reconhecimento ao trabalho desenvolvido por Lago no município quando foi secretário da Agricultura Familiar do governo do Maranhão.

A segunda chance

Por Fernando Brito, editor do TIJOLAÇO

Jair Bolsonaro voltou a fazer a defesa da ditadura e a “passar pano” para os crimes ocorridos no regime militar, debochando de quem foi torturado, que disse terem “a pele mais lisa que a Branca de Neve.”

‘Ah me quebraram os ossos todos’, tira raio-x do cara e vê se tem algum calo ósseo”

Ninguém pode surpreender-se com isso. Desde sempre ele o faz, sem que a democracia brasileira, em seu legítimo direito de defender-se, tenha imposto a ele a responsabilização devida pela defesa de crimes.

Quando se procuravam as ossadas dos desaparecidos do Araguaia, recorreu à frase do malsinado Major Sebastião Curió e colocou nos corredores da Câmara dos Deputados um cartaz onde se lia que “Quem gosta de osso é cachorro”. Depois, no plenário, ao votar o impeachment, deu ares de herói ao torturador Brilhante Ustra, pelo “heroísmo” de haver seviciado Dilma Rousseff.

Parecia apenas ridículo, afinal. Mas era e é trágico, pois o autoritário “folclórico”, o demodê defensor de ditaduras militares foi empolgando tudo o que há de pior e desumano entre nós e levando o porão mental nossa sociedade a espalhar-se, como zumbis contaminantes, nas ruas do Brasil.

Numa tóxica mistura de armamentismo, milícia e fundamentalismo religioso, surfa numa onda de intolerância que ameaça afogar este país.

Tivemos uma primeira chance de deter este processo, mas preferiu-se usar o monstro para “limpar a área” do PT e de Lula, achando que, destruídos estes, seria fácil retomar o controle da política. Nem os destruíram aqueles, nem retomaram esta.

Temos agora a segunda chance, e muito maior, embora ainda tenhamos de enfrentar um derrame de dinheiro de véspera de eleição como jamais se viu na história deste país.

Durante mais de um ano, a mídia e a “gente bem” do país se deu ao luxo de brincar de 3a. Via, de nem-nem, de “recusamos a polarização” e outros autoenganos que, pacientemente, com uma política de alianças que mais ampla não poderia ser, o ex-presidente Lula abriu a todos, com dignidade, e que, ainda assim, é rechaçada por gente que vai ficando sem votos, porque a população entendeu que não há outro caminho diferente.

Não haverá tão cedo uma terceira chance.

Dinheiro extra

(Foto: Reprodução do site Ilha do Caju)

Corre em círculos fechados a informação de que a Ilha do Caju – uma das mais belas e a maior de Araioses/MA – teria sido comprada por um grupo de donos de hotéis resorts, pelo valor de oito milhões de dólares.

Na cotação do dólar de hoje, 13/08/2022, que é de R$ 5,08, a compra teria sido feita por R$ 40.160.000,00.

Como para transferir a propriedade é obrigatório o pagamento do ITBI, o Imposto de Transmissão sobre Bens Imóveis, que de modo geral, fica em torno de 2% do valor de venda do imóvel, nesse caso a prefeitura de Araioses arrecadaria ou já arrecadou R$ 803.200,00.

Um dinheiro extra que fará bem aos cofres do tesouro municipal.

Lula e Janones: auxílio de Lula é permanente, enquanto o de Bolsonaro só existe na eleição

“Se ele (Bolsonaro) quisesse que o Auxílio Brasil não acabasse, não teria feito só até dezembro”, disse Lula. Janones disse que é preciso “salvar a democracia”

Ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e André Janones (Foto: Reprodução)

Brasil 247 – Em uma live com o deputado federal André Janones (Avante-MG), o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) destacou neste sábado (13) a necessidade de o povo brasileiro receber ajuda financeira de forma permanente.

“(Bolsonaro) Está apavorado. Se ele quisesse que o Auxílio Brasil não acabasse, não teria feito só até dezembro. Enquanto não acabar com a fome, não tem como acabar com o Auxílio Emergencial. Não tem explicação para ver mulher num açougue pegando osso. O pequeno e o médio produtor não estão recebendo dinheiro.

O ex-presidente também defendeu o programa Bolsa Família. “Não era só distribuir dinheirinho, era um programa para cuidar das pessoas. Tinha algumas condicionantes (para a família receber o dinheiro). Essa gente não tem amor pelo povo. Temos que tratar humildes com muito carinho, amor… Pessoas que produzem”, disse.

“Imaginar que um presidente não teve uma única lágrima derramada com os mortos pela Covid, nunca visitou crianças que perderam pais por conta da Covid. O povo precisa ficar muito maduro. Essa gente que está destruindo o Brasil nunca mais precisa ser eleita”.

Janones

O deputado André Janones falou sobre a importância do pronunciamento do ex-presidente. “A gente precisa que vocês levem essa mensagem adiante”, afirmou. “Não existe autoridade maior para falar sobre povo no nosso país, enfrentar a miséria de frente. Ele tem autoridade para falar sobre como acabar com a miséria no País”.

De acordo com o parlamentar, “do lado de lá tem muita maldade, tem a vontade de ferrar com os mais pobres e precisamos da força de vocês para fazer essa mensagem chegar às pessoas”. “(É preciso) libertar o País do bolsonarismo, salvar a democracia, e matar a fome de quem tem fome. E está perto com o senhor assumindo a Presidência”.

Kawany Victória e Brenda Shanygne fazem uso da Tribuna Popular e pedem apoio para as comunidades LGBT+

Kawany Victória e Brenda Shanygne – Reprodução

Fez uso da Tribuna Popular da Câmara Municipal de Araioses nesta quinta-feira (12), Kawany Victória e Brenda Shanygne, ambas representantes da Associação de Cultura e Cidadania (ACCLGBTQI+).

O uso da tribuna foi para pedir apoio aos vereadores araiosenses no sentido desses apresentarem leis e projetos com políticas públicas para as comunidades LGBTQI+, que vivem em situação de vulnerabilidade. Hoje, mais de três milhões de pessoas fazem parte desse seguimento no Brasil.

Brenda Shanygne é muito popular em Araioses devido o trabalho artístico que realiza há anos. Já Kawany Victórya Almeida dos Santos, embora araiosense não é tão conhecida como sua colega.

Kawany Victória é formada em sociologia pela UFMA

Kawany Victórya é a primeira mulher Trans do Baixo Parnaíba registrada e a segunda no Maranhão. Apesar de muito jovem seu curriculum é invejável.

Ela é presidente da ACCLGBT+ e da Umbanda de São Bernardo/MA), formada em sociologia pela UFMA e há um mês, em 12/07/2022 saiu o resultado final do Mestrado em Psicologia pela Universidade Federal do Maranhão-UFMA, o que não deixa de ser um orgulho para São Bernardo – a cidade que ela escolheu para morar e Araioses sua terra natal.

Com boa oratória e demostrando ser possuidora de muitos conhecimentos, sua fala foi muito esclarecedora sobre a sua luta em favor da comunidade LGBTQI+.

Saiba mais assistindo o vídeo (um corte do Panorant no YouTube) abaixo:

Após STF, deputados e senadores querem aumentar os próprios salários para R$ 36,8 mil

Foto: Jefferson Rudy/Agência Senado

Após o Supremo Tribunal Federal (STF) apresentar proposta de aumento de 18% para seus ministros e todos os magistrados da Justiça Federal, deputados e senadores começaram a pressionar os presidentes da Câmara e do Senado para também ter direito a reajuste. O Estadão apurou que a proposta em discussão é de elevar o salário dos parlamentares em 9%. Esse porcentual elevará o vencimento de R$ 33,7 mil para R$ 36,8 mil.

Com a campanha eleitoral já nas ruas, a cúpula do Congresso não cogita, no entanto, por o tema em pauta neste momento. O assunto só vai entrar na agenda de votação após outubro. Para garantir o reajuste à próxima legislatura, a proposta terá que ser aprovada ainda este ano.

Os presidentes da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), e do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG), já trataram do assunto. O Estadão apurou que eles combinaram de não antecipar a discussão para evitar que a pressão aumente em período de campanha. Quem defende a correção salarial dos parlamentares alega que eles estão há 8 anos sem reajuste e que haveria recursos para bancar o reforço no contracheque. A última correção foi feita em 2014.

Segundo integrantes da cúpula do Legislativo, a ideia é aprovar correção salarial de 9%, inclusive para os magistrados, metade do que o defendido pelo STF e também pelo Ministério Público da União. Os reajustes só são aprovados após votação de projetos de leis pelo Congresso.

No rastro do aumento do Judiciário e do Legislativo, a discussão também deve alcançar o presidente da República e ministros de governo. Atualmente, Jair Bolsonaro recebe R$ 30,9 mil, além da aposentadoria como militar.

O líder do governo na Câmara, deputado Ricardo Barros (PP-PR) evitou falar de aumento e não quis antecipar juízo sobre a proposta de correção defendida pelo Supremo Tribunal Federal. “Vou ouvir governo e líderes”, disse.

O senador Carlos Portinho (PL-RJ), também líder do governo, compartilha da mesma indefinição e desconversou quando perguntado sobre se apoia ou rejeita o movimento de reajuste e declarou que ainda não conhece o texto da proposta do Judiciário. Mesmo assim, o senador admitiu que há pressão para que o Poder Legislativo também ganhe aumento. “Deve ser muito pensado. Isso dá um efeito cascata não só no Poder Judiciário, mas no Poder Legislativo. Posso falar isso porque o Senado, talvez de todo o Legislativo, é o órgão que não alcançou o teto. Eu soube que a gente está 7% abaixo do teto há muitos anos”.

Dois partidos, Novo e PT, se declararam contra o reajuste para o Judiciário. O deputado Tiago Mitraud (Novo-MG), líder do partido e candidato a vice-presidente na chapa de Luiz Felipe D’ávila, afirmou que a proposta “indecente” e que a legenda vai votar contra. “A proposta precisa passar pelo Congresso e vocês já sabem com qual partido poderão contar para votar contra o aumento e com qual candidato a Presidente para vetar a proposta, caso esta seja aprovada pelo Congresso”.

O líder do PT na Câmara, Reginaldo Lopes (MG), criticou o STF por tentar ganhar o aumento em um momento que o reajuste do salário mínimo não repõe as perdas da inflação. “O momento não é apropriado para debater aumento do salário do andar de cima. O ideal é garantir ganho real para o salário mínimo, para os 70 % que ganham até dois salários mínimos”, disse o mineiro.

Como revelou o Estadão, o ministro da Economia, Paulo Guedes, procurou o presidente do Supremo Tribunal Federal, Luiz Fux, para pedir que o magistrado “segure” o envio do projeto de lei que propõe o reajuste de 18% nos salários de juízes e servidores do Poder Judiciário. Guedes teria apelado a Fux sob o argumento de que o governo não conseguiria comportar o aumento concedido pelos ministros aos seus pares na Justiça no Orçamento de 2023. A movimentação do ministro da Economia não deu certo. Fux se negou a travar o assunto avisando que agora o assunto terá que ser definido pelo Legislativo.

A Federação Nacional dos Trabalhadores do Judiciário e Mpu (Fenajufe) chegou a mandar associados com buzinas para a porta do Supremo, com o objetivo de atrapalhar as sessões, porque Fux se negava a dar encaminhamento aos pedidos da categoria. Se aprovado, o reajuste salarial ao Judiciário deve custar R$ 5,8 bilhões aos cofres da União até 2024, segundo consultoria do Congresso. (Estadão)

TJ-MA mantém decisão de Bayma que anulou operação do Gaeco contra Josimar

Desembargadores da Primeira Câmara Criminal da corte entenderam que Vara de Organizações Criminosas não tinha competência para atuar na megaoperação Maranhão Nostrum. Investigação apurava suspeita de fraudes em licitação, peculato e lavagem de dinheiro

Por Yuri Almeida, no Atual 7

A Primeira Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Maranhão rejeitou, por unanimidade, recurso da PGJ (Procuradoria-Geral de Justiça) e manteve decisão liminar do desembargador Antônio Fernando Bayma Araújo que anulou as buscas realizadas pelo Gaeco (Grupo de Atuação Especial no Combate às Organizações Criminosas) do Ministério Público do Estado, no bojo da megaoperação Maranhão Nostrum.

Também foi mantido o ponto da decisão que suspendeu as investigações do procedimento investigatório criminal relacionado ao caso, além da imediata paralisação da extração de dados e devolução dos bens apreendidos dos investigados.

O desembargador José Joaquim Figueiredo dos Anjos e o juiz convocado Samuel Batista de Souza acompanharam Bayma Araújo, relator do habeas corpus impetrado pelo ex-prefeito de Araguanã, Valmir Amorim (PL), um dos alvos da operação. Contrária ao parecer da PGJ, a confirmação da decisão teve o julgamento concluído na última terça-feira (9), em sessão virtual iniciada no início de agosto.

Deflagrada em outubro do ano passado, a ação foi realizada de forma espetaculosa e contou com o apoio da Polícia Civil maranhense, por meio de forte aparato da SECCOR (Superintendência Estadual de Prevenção e Combate à Corrupção), CTA (Centro Tático Aéreo) e até do GPE (Grupo de Pronto Emprego), exclusivo para atuação em situações de risco diferenciado.

A Maranhão Nostrum teve como principal alvo o deputado federal Josimar Maranhãozinho (PL), apontando como líder de suposta organização criminosa suspeita de fraudes em licitação, peculato e lavagem de dinheiro. O esquema teria movimentado mais de R$ 160 milhões.

Mais de 70 mandados de busca e apreensão, expedidos pela 1ª Vara Criminal de São Luís, foram cumpridos em 13 municípios maranhenses (São Luís, Maranhãozinho, Zé Doca, Araguanã, Carutapera, Centro do Guilherme, Pedro do Rosário, Pinheiro, Santa Inês, Miranda do Norte, Presidente Médici, São José de Ribamar e Parnarama) e na cidade de Várzea Alegre, no estado do Ceará.

A decisão de anular as buscas já havia sido proferida liminarmente por Bayma Araújo, decano da corte, também outubro do ano passado.

Segundo o desembargador, a primeira instância não tinha competência para atuar no caso, em razão do foro por prerrogativa de função de Josimar Maranhãozinho. Na época, a 1ª Vara Criminal de São Luís era comandada por Francisco Ronaldo Maciel Oliveira, atualmente integrante da cúpula da corte estadual, por critério de merecimento.

“Violar as prerrogativas de parlamentar federal com a proferição de decisão de juízo monocrático, ainda que sob o argumento de que investigado por ato estranho ao seu mandato, porém decorrente de anterior legislatura parlamentar estadual, é malferir a garantia constitucional do juiz natural e seus consectários do juiz competente e imparcial”, destacou.

Em junho, após rumores de que Josimar Maranhãozinho e a deputada estadual Detinha (PL), sua esposa, seriam alvo de nova operação do Gaeco, a defesa do deputado entrou com pedido na Vara Especial Colegiada dos Crimes Organizados, colocando ambos à disposição do Poder Judiciário. Também foi pedido acesso aos autos da suposta investigação e o fornecimento de certidão afirmando que inexistem processos ou procedimentos criminais instaurados contra o casal.

A solicitação, porém, foi julgada prejudicada pelo juiz Raul José Duarte Goulart Júnior, no mês passado.

Segundo destacou, o advogado de Josimar e Detinha pode ter acesso integral a todos os documentos que compõem a Operação Maranhão Nostrum, bem como pesquisar no sistema PJe processos registrados em nome de cada um dos clientes, e obter a certidão de antecedentes criminais no site do TJ-MA, “desde que este não esteja com acesso restrito devido a pendências de cumprimento de diligências sigilosas”.

Quando a ação do Gaeco foi deflagrada, Josimar Maranhãozinho era pré-candidato ao Palácio dos Leões. Recentemente, porém, recuou da disputa majoritária e decidiu tentar a renovação do mandato na Câmara. Na declaração de bens apresentada ao TSE (Tribunal Superior Eleitoral), ele declarou patrimônio de R$ 25,4 milhões. Do montante, quase R$ 1 milhão é em espécie.

Novos ônibus para o transporte escolar de Araioses

(Reprodução do You Tube)

Em vídeo divulgado nas redes sociais e no You Tube, a secretária de Comunicação de Araioses Gabriela Alves dos Santos e a prefeita Luciana Trinta apresentaram nesta quinta-feira (11), um conjunto de ônibus escolares – sem mencionar a quantidade – para atender a demanda do transporte escolar no munícipio.

Na sua fala a prefeita diz ainda, que novos ônibus chegaram.

Veja no vídeo mais informações:

11 de Agosto: Vamos juntos recuperar a soberania e o respeito de nosso país, diz Lula

Líder nas pesquisas de intenção de votos, Lula assinou a carta em defesa da Democracia que já conta com mais de 920 mil adesões, entre elas de 8.281 policiais e 1.894 militares das Forças Armadas

Lula em ato em Fortaleza. Créditos: Ricardo Stuckert

Por Plínio Teodoro

Horas antes da leitura da “Carta às Brasileiras e aos Brasileiros em defesa do Estado Democrático de Direito”, que acontece em às 11h desta quinta-feira (11) na Faculdade de Direito do Largo São Francisco, em São Paulo, e em diversos atos pelo país, Lula (PT) foi às redes para saudar a mobilização e dizer que é preciso recuperar a soberania e o respeito do nosso país.

“Defender a democracia é defender o direito a uma alimentação de qualidade, a um bom emprego, salário justo, acesso à saúde e educação. Aquilo que o povo brasileiro deveria ter. Nosso país era soberano e respeitado. Precisamos, juntos, recuperá-lo. Bom dia”, escreveu Lula, juntamente com a hashtag #EstadoDeDireitoSempre.

Líder nas pesquisas de intenção de votos para a Presidência, Lula assinou a carta na segunda-feira (8) juntamente com a esposa, a socióloga Rosângela Silva, a Janja.

Pela manhã, o manifesto já havia registrado a adesão de mais de 920 mil brasileiros. Entre os signatários, há 8.281 policiais e 1.894 militares das Forças Armadas. Até terça-feira (9) havia entre os subscritos 129.965 professores, 20.418 empresários, 871 pastores, 467 padres e 207 empregados domésticos.

Atos pelo país

A partir da leitura da carta, serão realizadas manifestações em todo o território nacional em defesa da democracia.

As mobilizações estão divididas em duas etapas: na parte da manhã, por volta das 11h, será realizada a leitura da Carta em diversos pontos históricos e com vínculos à luta pela democracia. Na parte da tarde, a partir das 17h, serão realizadas manifestações em todos os estados e no Distrito Federal.

Confira aqui os locais das manifestações.

Rodrigo Lago e Márcio Jerry

Rodrigo Lago e o deputado federal Márcio Jerry já registraram suas candidaturas.

A comprovação do registro no TSE foi publicada nas redes sociais de ambos.

Serão esses os meus primeiros votos no dia 2 de outubro. Na Chapa PURO SANGUE tem ainda Flávio Dino – senador, Carlos Brandão – governador e Lula para presidente da República.

Lago, como gestor da SAF trouxe muitos benefícios para Araioses com destaque para o serviço de dragagem na nascente do Rio Santa Rosa, construção e recuperação de estradas vicinais, doação de cestas básicas e motores rabetas, entre muitos outros.

Já Márcio Jerry como Secretário das Cidades fez a reforma do Viva Araioses, praça e pavimentação do conjunto João Machado.

Votarei e trabalharei pela eleição de quem tem serviços prestados em nossa cidade.

Espero a companhia de muitos aqui em Araioses para ajudar a eleger quem faz e não quem só promete.

Polícia prende três suspeitos de participar de morte de professor universitário no Maranhão

Polícia prende três suspeitos de participar de morte do professor universitário Neylson Oliveira da Silva — Foto: Divulgação/Polícia

Por g1 MA — São Luís

A Polícia Militar (PM) prendeu na noite dessa quarta-feira (10) três suspeitos de participar da morte do professor universitário Neylson Oliveira da Silva, que foi encontrado em um terreno baldio, no bairro Laranjeiras, na cidade de Açailândia, a 562 km de São Luís.

De acordo com a PM, os suspeitos se encontravam em um ponto de venda de drogas em uma área conhecida como “Casqueiro”, quando avistaram o professor. Os suspeitos atraíram a vítima para o local e o levaram para dentro de um imóvel, onde o roubaram.

Ainda segundo os policiais militares, um dos suspeitos confessou que o docente foi morto dentro da casa e, logo após o crime, o corpo da vítima foi levado em uma motocicleta e deixado na Rua 15 de Novembro, situada no bairro Laranjeiras. Um quarto suspeito, que já foi identificado, também teria participado da ação criminosa.

Professor universitário é encontrado morto em terreno baldio no interior do Maranhão; polícia suspeita que ele tenha sido vítima de latrocínio                         Foto: Divulgação

Neylson Oliveira era natural de São Luís e morava sozinho em Açailândia, no loteamento Colinas Park. Ele era professor substituto da disciplina de Libras da Universidade Estadual da Região Tocantina do Maranhão (UEMASUL). A vítima também trabalhava na Escola Municipal Fernando Rodrigues, na Vila Ildemar.

Hacker de Araraquara com Bolsonaro: história de jacaré

Por Fernando Brito, editor do TIJOLAÇO

Andrea Sadi e Natuza Nery, da Globonews, noticiam o “jacaré” do dia: o encontro do “hacker” de Araraquara, Walter Delgatti, com a deputada Carla Zambelli e com Valdemar da Costa Neto, presidente do PL e, segundo uma das fontes, com o próprio Jair Bolsonaro.

O objetivo seria obter “opiniões sobre a segurança das urnas eletrônicas”.

Urnas eletrônicas não podem ser objeto de “ataque hacker” pela simples razão de não serem conectadas pela internet. Um ataque a elas teria de ser feito no estágio de programação, não de operação.

Não se pode invadir uma urna, desconectada da rede, como se invade um celular que está permanentemente ligado a ela.

Portanto, a história é outra.

Qual, ninguém sabe, mas pode se especular sobre a reaparição súbita, depois de um logo desaparecimento, do próprio Delgatti, numa matéria publicada pelo UOL. Lá pelas tantas, diz que “eu invadi o Lula, invadi o [Michel] Temer, invadi a Dilma [Rousseff]. Outro foi o [Flávio] Dino, lá do Maranhão, gostei dele. E invadi o Bolsonaro. Peguei o STF e o STJ [Superior Tribunal de Justiça] quase que inteiros.”

Por isso usei a expressão jacaré, como na frase de Brizola: “tem rabo de jacaré, olho de jacaré e couro de jacaré, como é que não é jacaré?”

Não era a intenção, mas se querem polêmica tem mais

Inicio este post dizendo que ao final dele, alguns vão estar me odiando outros não. O percentual de mais ódio ou menos não tenho previsão.

Isso tem a ver com o que vou falar sobre nomes em logradouros públicos, que aqui em Araioses os critérios adotados em muitos casos ferem a Constituição Federal dando nome a esses de pessoas vivas e em outros os homenageados, em vida, não desenvolveram nenhuma atividade que o ligasse ao bem público que leva seu nome.

Dias atrás tive que enfrentar a ira insana de parte dos Machados, quando defendi o nome da Dona Gentileza para uma Praça no Conjunto João Machado.

Para os mais novos e os esquecidos Dona Gentileza em vida foi uma exemplar servidora pública e como comerciante – na área de farmácia – teve brilhante função, nas apenas em vender remédios, mas de orientar, principalmente os humildes consumidores qual medicação servia para os problemas que sentiam. Creio que em raros casos um ser humano mereceu um nome (Gentileza) com tanto mérito como ela.

O Projeto Lei nº 694/2022, de autoria do presidente da Câmara Municipal de Vereadores Luís Fernando Marão Felix (Luisão), que sugeriu o nome de “PRAÇA GENTILEZA MARIA DOURADO ARAÚJO – GENTILEZA” – foi aprovado por maioria simples de 6 a 5 votos, o que caracterizou a pressão que foi feita em cima de vereadores – de duvidosa autonomia – para que não aprovassem o projeto. O que é comum nesses casos é o projeto ou preposição ser aprovado de forma unânime.

Agora o que provocou polêmicas foi o post Thales do Amarante Ribeiro Gonçalves foi o primeiro nome do Tudes José Cardoso. Em nenhum momento eu sugiro que a atual administração devolva o nome original ou troque por outro daquela escola após o fim de sua reforma.

Quis sim lembrar um fato miúdo de nossa história, onde um administrador por birra, por não ter sua vontade atendida tirou o nome do pai do governador e pôs o do seu.

A escola Tudes José Cardoso tem sim sua história, pois a instituição já formou muitos profissionais na nossa Terra, como disse uma leitora. Não pelo nome que tem, mas pelo que fizeram os seus professores – nem sempre valorizados – ao longo de seus anos.

Repito, não estou sugerindo que nenhum projeto seja encaminha a Câmara Municipal de Araioses nesse sentido, pois caso isso ocorra à polêmica seria grande podendo estremecer túmulos.

Pessoalmente eu faria nem que o mundo desabasse, mas nunca, jamais aceitaria que em uma instituição de ensino o nome não fosse o de alguém que tivesse dedicado sua vida a serviço da Educação, como por exemplo, o nome da professora e escritora Sebastiana Monteiro, que em vida exerceu essa atividade com muita dignidade.

Como disse no início deste post, a essa altura já deve ter gente xingando a mim e desrespeitando minha querida genitora. Mas sou assim mesmo. Só tenho uma cara e dificilmente deixo de dizer o que penso. Porém, não faço e nunca fiz mal a ninguém. Não sou do tipo de louvar santo em público e na calada da noite perder meu tempo cuidado do uso de bruxarias e magias negras para arruinar a vida dos outros.

Poucas escolas em Araioses têm nomes de pessoas que tenham dedicado suas vidas a educação. Tirando a Gonçalves Dias, no beiro Conceição as outra ostentam – embora o País seja laico – nomes de santos ou santas católicas.

Alguns nomes de escritores maranhenses que poderiam ser lembrados na hora de nomear um bem público em Araioses:

https://www.dabysantos.com.br/2022/08/09/thales-do-amarante-ribeiro-goncalves-foi-o-primeiro-nome-do-tudes-jose-cardoso/

Maria Firmina dos Reis (1825/1917), Aluísio Azevedo (1857/1913), Graça Aranha (1868/1931), Coelho Neto (1964/1934), Viriato Correia (1884/1967), Odylo Costa, filho (1914/1979), José Nascimento de Moraes (1882/1958), João Mohama (1925/1995), Josué Montello (1917/2006), José Chagas (1924/2014); Nauro Machado (1935/2015), José Louzeiro (1932/2017).

No link do O Estado abaixo pequenas informações sobre eles:

https://oestadoma.com/noticias/2018/07/25/doze-escritores-maranhenses-que-precisam-ser-conhecidos/

Por fim, não nasci para bajular nem agradar a todos, pois não posso ter a petulância de achar que posso conseguir o que nem Jesus – O Cristo conseguiu.

Sampaio Araioses cai de pé para o Pato na Copa Brasil de Futsal

Por Zeca Soares

Não deu, mas o Sampaio Araioses fez muito bonito na Copa do Brasil de Futsal

Após dois confrontos com o Pato Futsal, o Sampaio Araioses foi eliminado da competição ao ser derrotado no Paraná por 6 a 5 e ontem à noite, no Costa Rodrigues, em São Luís, por 4 a 3.

Como vocês podem ver, o Sampaio Araioses caiu de pé diante de uma grande equipe do futsal brasileiro e que tem no seu elenco excelentes jogadores.

A eliminação não diminui a importância do trabalho desenvolvido pelo time de Araioses, pelo contrário, revela mais uma vez o valor do nosso futsal, pois a equipe maranhense ofereceu muita dificuldade para a equipe que disputa a Liga Nacional de Futsal e merece todo o nosso reconhecimento.

Que apareçam os apoiadores para o nosso esporte, em especial ao futsal maranhense para que retorne aos seus grandes momentos.

Foto: Zeca Soares

Varíola dos macacos: primeiro caso é confirmado no Maranhão

Primeiro caso de varíola é confirmado em São Luís. (Foto: Reprodução/Uninter)

O Imparcial – A Secretaria de Estado da Saúde recebeu a confirmação do primeiro caso positivo de monkeypox no Maranhão, nesta quarta-feira (10).

O paciente segue acompanhado pela equipe do nosso Hospital Dr. Carlos Macieira e o seu quadro clínico permanece estável.

Os Centros de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde (CIEVS) Estadual e municipal seguem acompanhando o caso.

Orientação de atendimento nos municípios

Para monitorar e orientar, de maneira rápida e eficaz, o processo de notificação, investigação e fluxo laboratorial de casos de Monkeypox do Maranhão, a Secretaria de Estado da Saúde (SES) montou uma sala de situação, que atua na padronização das informações e na orientação dos fluxos de notificação e investigação para a Rede de Assistência à Saúde e as vigilâncias municipais.

A SES encaminhou nesta semana um informe aos 217 municípios maranhenses para manejo de casos suspeitos da doença.

Além disso, na terça-feira (9), a Vigilância Epidemiológica Estadual e o Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde (CIEVS) realizaram uma reunião, via web, com representantes de municípios, unidades hospitalares que são portas de entrada, unidades Básicas de Saúde, equipes da Estratégia Saúde na Família e gestores municipais, sobre o cenário atual e as novas atualizações de conceito e manejo de Monkeypox.

O documento foi encaminhado aos municípios inclui as ações que já foram realizadas; características da doença; cenário estadual, nacional e mundial; processo de notificação dos casos; e as definições de casos suspeitos, prováveis, confirmados e descartados.

Medidas cautelares

O secretário de Estado da Saúde, Tiago Fernandes, explicou que todas as medidas já foram tomadas para atender na Rede Estadual de Saúde os pacientes que apresentem sintomas suspeitos da doença.

“O Estado do Maranhão está atento ao cenário nacional e mundial. E além de orientar os municípios, a Secretaria de Estado da Saúde já garantiu um fluxo dentro da rede estadual para atendimento de casos suspeitos e confirmados da doença”, afirmou.

Atendimento

A porta de entrada para casos suspeitos da Monkeypox, na Rede Estadual de Saúde, são as Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) e de acordo com a complexidade do quadro clínico, o paciente com suspeita da doença é encaminhado para uma das unidades de referência para tratamento da doença no Maranhão.

No interior do estado, as referências da rede estadual também são as UPAs, onde os pacientes suspeitos ficarão nos leitos de isolamento. Já na rede municipal de saúde as Unidades Básicas são referência para entrada de pacientes com casos leves da Monkeypox.