Páscoa e Doutrina Espírita

Portal Boa Nova

Para Leonardo Kurcis, economista e comentarista do Jornal Nova Era às segundas-feiras, o espiritismo não tem por hábito a comemoração de datas religiosas, isto não significa que não existam algumas datas que mereçam atenção, a Páscoa é uma delas.

No mundo cristão, expresso pelo catolicismo e o protestantismo, a data mais importante é a Páscoa, ela que expressa a “ressurreição”. Evidentemente pelos fatores mercadológicos, o Natal acabou tendo mais expressão.

Na visão espírita, a Páscoa consagra a ideia da renovação, da continuidade da vida através do espírito de Jesus que voltou ao Plano espiritual”.

De acordo com Alfredo Nahas, escritor e economista, comentarista do Jornal Nova Era às quartas-feiras.

“A Páscoa em essência era uma festa judaica, a comemoração da libertação do julgo do Egito, depois passou a ser uma festa católica.

A igreja então introduziu o conceito de que a Páscoa representa a ressurreição de Jesus, o reaparecimento dele depois da crucificação.

O fenômeno principal que deveríamos guardar desta data, é a reflexão sobre a imortalidade da alma. Jesus veio provar a continuidade da vida após a  morte. Não como um fenômeno colossal, fantasiosa, mas como efeito da Lei do Progresso.

Então, Páscoa é uma revelação resultante de uma premissa espiritual, fundamental pelo aspecto de responsabilidade que ela nos traz.”

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.