Maranhense na final de festival de dança urbana no DF

O Imparcial – É da pequena cidade de Buriti, distante 332km da capital, São Luís, que sai o único representante do Maranhão na sexta edição do Festival Nacional quando as Ruas Chamam.

O Festival Nacional de Breaking reúne finalistas de todo o país em Ceilândia (DF), e o buritiense Dherlison da Silva Vasconcelos, o Jazz QDM, vai competir nas modalidades individual e em grupo.

O jovem de 26 anos dança desde 2009, e foi selecionado dentre participantes de todo o país para estar na final que acontece no dia 19 de junho. Foi em Buriti que ele conheceu o breaking, primeira dança da cultura hip hop.

Em 2010, passou a viver em Brasília e passou a competir não só no Brasil, como em outros países. O breaking surgiu para ele como uma paixão que dura até hoje.

“A primeira eliminatória que eu ganhei foi em 2014 valendo vaga para ir para Atenas, na Grécia. Depois ganhei pra ir para a Bélgica, depois para Paris, em 2018. Depois de 2019 eu fui para Portugal, onde vivi por 2 anos só de dança, fazendo shows de rua, show em teatros. É mais que esporte, é estilo de vida”, disse ele.

Atualmente, ele vive em Buriti e se prepara para competir em duas modalidades: no 1 contra 1 (individual), e também com o grupo dele. Todas as finais serão no dia 19 de junho. Ele já foi campeão na eliminatória de Brasília.

“Esse festival é muito disputado entre os BBoys por ter uma visibilidade muito boa. Foi uma seleção aberta por vídeo enviados ao site oficial, e estou indo para Brasília no dia 10, de ônibus, com recursos próprios, mas um amigo está fazendo uma campanha para alguém que queira ajudar, porque eu sempre tiro do meu bolso mesmo”, disse.

Em sua 6ª edição, o evento que teve a 1ª etapa realizada a partir do envio de vídeos ao site oficial, terá a etapa nacional entre os dias 17 e 19 de junho, no Sesc Ceilândia, reunindo os competidores que se destacaram nas seletivas das regiões Norte, Nordeste, Sudeste e Centro-Oeste.

“Mostramos através do festival que este lugar possui uma característica, uma marca. Com tudo isto, fortalecemos Bboys e Bgirls da nova geração e reforçamos a memória de gerações passadas que não tiveram as mesmas oportunidades”, destaca Alan Jhone, fundador do projeto.

Na programação, batalhas de Breaking em sete modalidades, batalha de MC’s, exibição do vídeo documentário “A Onda do Break”, bate-papo sobre “Sistema de Julgamento para Batalhas”, bate papo sobre “Cenário, oportunidades e mercado da dança Breaking no país e no mundo”, exposição Interativa e show com o grupo Groove Atack.

Na chave do BBoy Jazz QDM, ele compete com os participantes Cjay (GO), Flashkilla (PE), Gui (DF), Kauã (GO), Leony (PA), Mancha (PE), Naldo (PB), Pufe98 (AM) e Samuka (DF).

Quem quiser dar uma forcinha com recursos para o dançarino conquistar mais esse troféu, pode adquirir mais informações com ele mesmo, pelo número (61) 98196-7219.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.