Bolsonaro rosna, Fux mia

Por Fernando Brito, editor do TIJOLAÇO

Dizem os jornais que o presidente do Supremo Tribunal Federal, Luís Fux teria “advertido” Jair Bolsonaro de que “”não há mais espaços para ações contra o regime democrático e para violência contra as instituições públicas”.

Jura, Dr. Fux?

O sujeito faz bravatas diárias, coma de ontem mesmo, afirmando que a “Justiça começa a agir como partido político”, e “não há mais espaços”?

Dois dias depois do ex-capitão faltar ao depoimento que comprometeu-se a dar no inquérito sobre a violação de sigilo processual, afrontando o próprio STF?

E tudo evidentemente para açular suas falanges com estas e outras, como confrontar-se às vacinas.

Os espaços estão todos aí, inclusive para Bolsonaro, nos seus atos oficiais, agredir expressamente (com a “malandragem de não pronunciar o nome de Lula) seu principal contendor.

Reinaldo Azevedo, de quem discordo em muito, disse, com razão, no UOL, que a campanha de 2018 “já foi notavelmente suja e agressiva quando Bolsonaro nada tinha a perder. Agora ele tem”.

Será que Jair Bolsonaro terá acatamento ao presidente do TSE que assumirá durante as eleições, justamente seu desafeto Alexandre de Moraes, que assumirá a corte eleitoral?

Fux, debaixo daquela juba com que se apresenta, faz cara de leão, mas mia como um gato diante de um personagem sem qualquer limite ético ou legal.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.