ETs podem estar nos ‘assistindo’ na Terra; entenda

Possíveis extraterrestres que habitam planetas ao redor de mil astros encontrados por cientistas espaciais teriam condições favoráveis para detectar nossa biosfera.

Por Olhar Digital

Uma das missões dos cientistas espaciais é descobrir se há vida em outro mundo. Mas, e se a humanidade realmente não estiver sozinha no universo e seres extraterrestres também estiverem em busca de vida em outros planetas? Um novo estudo, publicado na Monthly Notices of the Royal Astronomical Society: Letters, diz que há mil estrelas que estão favoravelmente posicionadas para detectar a vida na Terra.

“Se os observadores estivessem procurando, eles seriam capazes de ver sinais de uma biosfera na atmosfera de nosso planeta”, destacou Lisa Kaltenegger, autora do estudo e diretora do Instituto Carls Sagan, da Universidade Cornell, no estado de Nova York. “E podemos até ver algumas das estrelas brilhando em nosso céu noturno sem binóculos ou telescópios”, destacou.

Método de trânsito

A maior parte dos mais de 4.000 exoplanetas descobertos foi encontrada utilizando o método de trânsito. Nele, os astrônomos detectam a queda do brilho das estrelas hospedeiras quando um mundo em órbita passa pela sua frente. No novo estudo, Kaltenegger e Joshua Pepper, coautor e professor associado de física na Lehigh University, na Pensilvânia, pensaram na Terra como sendo o alvo de uma pesquisa de trânsito, e não como a fonte dela, como ocorre normalmente.

Pesquisadores utilizaram o método de trânsito para descoberta. Foto: iStock/cokada

Os cientistas examinaram dados do Transiting Exoplanet Survey Satellite (Tess) e da espaçonave Gaia, usada para o mapeamento estelar, e procuraram estrelas em uma distância de até 326 anos-luz alinhadas com a órbita da Terra em torno do Sol. Esse alinhamento é necessário para ver o planeta cruzar a face da estrela. Com a pesquisa, 1.004 estrelas foram encontradas. Dessas, 508 “garantem um mínimo de observação de 10 horas de duração”, destacaram os pesquisadores.

Vale destacar que o estudo trata apenas de estrelas. Ainda não se sabe se elas são orbitadas por planetas e se esses sistemas teriam condições de hospedar mundos que possam abrigar vida como conhecemos.

Tais questões devem ser respondidas quando os caçadores de exoplanetas vasculharem as regiões. “Se estamos procurando vida inteligente no universo que possa nos encontrar e que queira entrar em contato, acabamos de criar o mapa estelar de onde devemos olhar primeiro”, finalizou Kaltenegger.

Via: Space

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *