Menina ianomâmi morre após ser estuprada por garimpeiros

Terra Indígena YanomamiCredit…Foto: divulgação

Por JORNAL DO BRASIL

Uma menina ianomâmi, de 12 anos, morreu após ser estuprada por garimpeiros em uma comunidade na região de Waikás, na Terra Indígena Yanomami.

A informação divulgada pelo portal G1 foi confirmada na noite da última segunda-feira (25) pelo presidente do Conselho Distrital de Saúde Indígena Yanomami e Ye’kwana (Condisi-YY), Júnior Hekurari Yanomami.

No vídeo, Hekurari disse que a menina de 12 anos estava sozinha na comunidade quando os garimpeiros chegaram e a levaram para as barracas deles. O corpo da criança deve ser encaminhado ao Instituto Médico Legal (IML), em Boa Vista (RR).

Além da morte da menina, uma outra criança ianomâmi, de cerca de 3 anos, desapareceu após cair no rio Uraricoera. De acordo com relatos, o crime teria ocorrido na comunidade Aracaçá.

“A tia dela defendeu [a sobrinha]. Quando estava defendendo, os garimpeiros empurram ela em direção ao rio junto com a outra criança. Essa criança se soltou no meio do rio, acho que estava em um barco. Eles invadiram e levaram [a menina] para o barraco dos garimpeiros e a violentaram brutalmente, estupraram essa adolescente. Moradores de lá me disseram que ela morreu. Então, é muito triste, muito triste mesmo”, disse Hekurari ao G1.

A área onde o crime ocorreu é uma das mais atingidas pela invasão de mineradores ilegais. Na semana passada, a Hutukara Associação Yanomami já havia denunciado a violência sexual contra meninas e mulheres ianomâmi cometida por garimpeiros. (com agência Ansa)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.