Adriano Pires desiste e não será presidente da Petrobras

Adriano Pires desistiu de ocupar presidência da Petrobras.                                        Foto: Geraldo Magela/Agência Senado

Por Davi Nogueira/DCM

Antes mesmo de assumir a presidência da Petrobras, o economista Adriano Pires comunicou ao Palácio do Planalto, na manhã desta segunda-feira (4), que desistiu de assumir o cargo. Na semana passada, ele havia sido indicado pelo presidente Jair Bolsonaro (PL) para substituir o general Joaquim da Silva e Luna.

A desistência de Pires foi motivada, segundo a colunista do jornal O Globo Malu Gaspar, pelos conflitos de interesse que ele enfrentaria na estatal. O economista vinha sendo pressionado a revelar os clientes para quem presta serviço em sua consultoria. Contudo, ele trabalha não apenas para a associação do setor, a Abegás, mas também para os negócios do empresário Carlos Suarez, sócio de oito distribuidoras de gás no Brasil.

Como cliente, Suarez tem uma série de interesses na Petrobras. O mais imediato está relacionado à negociação de um acordo bilionário entre a distribuidora no Amazonas de que ele é sócio, a Cigas, e a petroleira. Os setores jurídicos das duas companhias estão negociando há meses um acordo para encerrar todos os litígios entre as duas empresas.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.