O que fazer para acabar com a crise pela qual passa Araioses – Parte 3

O potencial turístico de Araioses é enorme, porém para se desenvolver precisa de investimentos que o município não tem, portanto precisa de parceiros

Regra nº 1 – Não roubar nem deixar que roubem;

Regra nº 2 – Não gastar mais do que arrecadar;

Regra nº 3 – Criar uma equipe de trabalho para preparar projetos com objetivo de buscar recursos através parceria com órgãos estaduais, federais e internacionais a ser aplicado em setores como educação, infraestrutura, turismo e meio ambiente;

Como pré-candidato a prefeito de Araioses trabalho na montagem de meu Plano de Governo, porém fixei como meta caso Deus ilumine o nosso povo no sentido dele ver – quando chegar a hora certa – que sou de verdade o melhor nome para tirar nosso município do buraco no qual foi colocado por sucessivas gestões ao longo dos últimos anos, por em prática 4 regras para por um fim nesse descaso e abandono que parece não ter mais fim.

Duas já publiquei aqui no blog, e nesse post falarei sobre a terceira regra que diz respeito à criação de uma equipe de trabalho para preparar projetos com objetivo de buscar parceria com órgãos estaduais, federais e internacionais a ser aplicado em setores como educação, infraestrutura, turismo e meio ambiente.

Meus – e do povo – futuros adversários, com certeza sabem – e já estão de olho – nas gordas verbas do Fundeb e FPM, como as principais fontes de recursos para tocar a administração do município, mas diante da situação na qual se encontra Araioses, esses dinheiros e outros (menores) de outras fontes se forem mal aplicados, ou seja, se foram dilapidados, como sempre ocorre, jamais avançaremos no caminho que nos levará ao desenvolvimento e ao progresso tão sonhado e necessário.

Não vou relatar aqui, mas sei o caminho das pedras, pois eu sei o que fazer para não ficarmos apenas nas dependências das verbas institucionais.

Ora, todos sabem que o dinheiro maior que entra nas contas da prefeitura é o do Fundeb, mas esse terá seu correto destino que será o de ser aplicado totalmente a serviço da educação, com salários dignos aos servidores desse setor, e se for o caso, até em toda a sua totalidade.

As verbas do FPM com certeza serão insuficiente para fazer toda a infraestrutura necessárias e o devido cumprimento de todas as obrigações administrativas, que por lei tem que ser executadas com esses recursos.

Então será necessário criar um grupo de trabalho – tipo assessorias – com pessoas altamente sérias e qualificadas para a confecção de projetos, já implícito e narrado na Regra nº3.

Posso citar, como exemplo, o potencial turístico que temos e que dele nenhuma renda ou emprego gera para Araioses e seu povo, fato esse que só ocorre pela total falta de vontade e da histórica incompetência de nossos gestores passados e do que aí está querendo se reeleger.

Na próxima reportagem sobre esse assunto abordarei a quarta e última regra para acabar com a crise pela qual passa Araioses.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *