Vereador Alex do Giquiri diz ao blog que não esteve em Tutoia e dá outros esclarecimentos

Vereador Alex do Giquiri

O vereador Alex do Giquiri – presidente da Câmara de Vereadores de Araioses – a meu ver está sendo injustamente acusado de ter favorecido o prefeito Cristino no processo de votação do relatório da Comissão Processante, que acabou não acontecendo.

Após a sessão de hoje (26), lhe perguntei sobre os seguranças de outra cidade que ele teria trazido para o dia da votação. Ele me respondeu que imaginava que poderia está presente naquele ato, umas duas mil pessoas e que esses foram apenas para funcionar como apoio na segurança interna (dentro do prédio) dos vereadores.

Que encaminhou pedido de segurança ao delegado de Polícia Civil de Araioses, a PM e a Guarda Municipal.

Que o acesso de pessoas as dependências da Câmara só poderia ocorrer após a chegada da segurança solicitada e que essa atrasou pelo fato de os policiais araiosenses estarem ocupados na perseguição a uns bandidos que fugiam em um carro com muitas armas, munições e dinamites.

Sobre sua ida a Tutoia como foi dito por vereador ao discursar, respondeu não ser verdade e o que ocorreu de fato foi que na quinta-feira, dia 21, véspera da votação, por volta meia noite chovia muito no Giquiri, quando chegou um carro preto a sua porta chamando-o.

Pediu a sua esposa para verificar quem era e ao saber de quem se tratava mandou que ela dissesse que ele estava para Tutoia. O mesmo foi quem espalhou a notícia.

Também justificou porque marcou a data da votação da CP para o dia 22 e não para a sessão anterior, a do dia 19. Alex disse que dois vereadores não poderiam está presentes naquela data: Denys de Miranda que estava de licença médica e se recuperando de uma cirurgia, e Felipe Pires resolvendo um assunto em Teresina/PI.

No seu entender os dois seriam votos certos a favor do relatório da CP e suas ausências poderia fazer a diferença numa votação de fórum qualificado (2/3), que esses casos exigem. Caso tivesse marcado a votação para esse dia e o relatório tivesse sido reprovado pela falta desses votos, a sim, é que ele seria ainda mais massacrado.

Reiterou que nenhum projeto de interesse do povo será engavetado, que quando esses chegarem a Mesa Diretora serão encaminhados as comissões para analises e em seguida postos para votação.

Os vereadores em suas soberanias é que lhes darão destino final.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *