Com oposição fragmentada Manin Leal tende a se fortalece cada vez mais

Como estarão as articulações políticas na virada do ano de 2015 para 2016, faltando menos de um ano para as eleições municipais?

Creio que nem o vidente-premonitor Jucelino da Luz, conhecido até no exterior por suas premonições – com muitos acertos, segundo ele – será capaz de dizer. Como muitos sabem na política tudo pode mudar de uma hora para outra.

Atualmente, como está a política de Araioses? Se a eleição fosse hoje Valéria do Manin seria vitoriosa novamente? Tem algum candidato da oposição que poderá se firmar e mais uma vez impedir a reeleição de um governante araiosense?

As respostas às essas e outras perguntas só o tempo dará.

Porém, tendo como base o momento atual podemos fazer alguns comentários, que a meu ver refletem o perfil político araiosense dedo momento.

Com a oposição dividida, onde já ouvir falar de que tem pelo menos sete (não é conta de mentiroso) líderes políticos ente esses, nanicos e graduados, que dizem estarem dispostos a disputar a prefeitura araiosense em 2016.

Lógico, que isso é um absurdo, mas não duvide que a metade desses continue em seus propósitos até o final, nem que seja apenas para seus nomes constarem na lista de votação, sem possibilidade nenhuma de vitória.

Também um fato concreto, que só quem não quer vê pode dizer o contrário, é que no momento, Manin Leal, pai da prefeita de Araioses e líder do maior grupo político na cidade, está muito a vontade. Ele está com tudo, diriam uns. A oposição fragmentada não tem tido a capacidade de se colocar para a população como melhor alternativa para um futuro Governo de Araioses.

Nem tanto pela falta de competência e sim pela falta de instrumentos de comunicação para ela possa chegar com suas ideias e denúncias junto ao maior interessado – o povo.

Gastar saliva em pronunciamentos na Câmara de Vereadores tem pouca eficácia. O público das sessões do Poder Legislativo Araiosense é ínfimo, quase inexistente.

Esse trabalho poderia está sendo excelentemente aproveitado se a voz dos edis araiosenses não estivesse limitada às quatro paredes do Plenário da Câmara e sim propagada pelas ondas sonoras da Rádio Santa Rosa FM, como já foi no passado.

Essa emissora, embora comunitária, que segundo a lei – Art. 11 é muito claro sobre isso – teria que ser de todo o povo araiosense, é tida como propriedade privada de alguns membros da família Machado e tem sido usando de forma ilegal em prol dos interesses desses.

Os que se achem prejudicados podem mudar essa situação, sim senhor, mas para isso vão ter de descruzar os braços.

Ora, no quadro atual Manin Leal tá com tudo e não está prosa. A maioria dos vereadores, a começar pelo presidente da Câmara, seguem lhes as ordens. A rádio comunitária inexiste para a população, pois ele conseguiu calar a boca de quem está à frente dela e com a oposição fragmentada a situação não poderia ser outra.

Se tudo vai continuar como está é outra história que só o tempo contará.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *