Ferramenta do diabo: Pastor espalha fake para fomentar o ódio contra Manuela D’Ávila

O pastor Aldir Damasceno faz campanha para Bolsonaro espalhando mentiras contra Haddad e Manuela D’Ávila

Raimundo GarroneO pastor Pedro Aldi Damasceno ao espalhar mentiras contra Fernando Haddad (PT) e Manuela D’Ávila (PCdoB) para influenciar fiéis a votar em Jair Bolsonaro (PSL) estaria à serviço de Deus ou do diabo?

Sem dar a mínima aos ensinamentos bíblicos que condenam duramente quem propaga falsidades, ele fez circular um áudio nas redes sociais acusando a comunista de chamar Jesus de gay.

Presidente da Convenção Estadual da Igreja Assembleia de Deus no Maranhão, o pastor repercutiu uma  fake news, onde a camisa da candidata a vice-presidente estampa que Jesus é Travestir.

“Uma das advertências que as Escrituras fazem é a de que a mentira é filha do diabo. Portanto, servir a mentira ou lançar mão da mentira é fazer um pacto com o diabo. É servir ao diabo”, lamenta o pastor Ariovaldo Ramos, um dos coordenadores da Frente de Evangélicos pelo Estado de Direito

Já que a mentira é a principal ferramenta do diabo na missão de conduzir a humanidade ao inferno (Hebreus 6.18), o líder evangélico aproveitou a foto montada com D’Ávila para fomentar o ódio e o desprezo contra Haddad.

“Ele não tem voto nosso, não tem apoio nosso, tem repugnância. Um cara desse que a vice diz que Jesus é gay é uma miséria”, sentencia. (Ouça aqui).

Não satisfeito, Pedro Aldi ainda professa com a cara e a voz que Deus lhe deu que o “repugnante” e “nojento” candidato do PT à presidência “quer fechar as igrejas” por ser “inimigo dos crentes”.

Uma outra patranha, “porque a sua boca fala do que está cheio o coração” (Lucas 6:45). 

Se uma das advertências que as Escrituras fazem é a de que a mentira é filha do diabo, quem dela se utiliza faz um pacto com o “coiso”.

As ovelhas desse pastor que se cuidem…

Com informações do blog do Gilberto Leda

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *