Secretário de Estado da Saúde classifica como mentirosas informações veiculadas na TV Mirante

Carlos Lula disse ainda que pedirá o direito de resposta ao vivo à emissora, pelo mesmo tempo gasto na matéria. O secretário declarou que não concederá mais entrevistas gravadas à Mirante.

Página 2 – Por meio de seu perfil no Twitter, o secretário de Estado da Saúde, Carlos Lula, se manifestou sobre reportagem veiculada na TV Mirante, no jornal Bom Dia Mirante, na manhã desta segunda-feira (16). Carlos Lula classificou como “além da pura mentira”, e uma vergonha ao jornalismo.

Na referida reportagem, a emissora afirma que Lula teria pedido um Habeas corpus horas antes do ex-funcionário da SES Mariano de Castro ser encontrado morto em Teresina, no último dia 12. Mariano era apontado pela Polícia Federal como operador de um suposto esquema de corrupção, encontrado na operação Sermão aos Peixes.

Carlos Lula afirma categoricamente que não houve pedido algum de habeas corpus à polícia, e que a reportagem causou preocupação em familiares.

Carlos Lula disse ainda que pedirá o direito de resposta ao vivo à emissora, pelo mesmo tempo gasto na matéria. O secretário declarou que não concederá mais entrevistas gravadas à Mirante.

Também por meio de perfil público, o governador do Estado, Flávio Dino, manifestou solidariedade com o secretário Carlos Lula. Para Dino, a matéria é um exemplo da “perseguição pelo coronelismo”.

 

Nota de Repúdio

A Secretaria de Comunicação Social e Assuntos Políticos (Secap) do Governo do Maranhão lamenta o desapego aos fatos e à ética que marcaram o vídeo veiculado esta manhã no jornal da emissora de TV de propriedade da família Sarney.

O vídeo trata como real uma mentira veiculada em blog local: que o secretário de Saúde Carlos Lula teria entrado com habeas corpus no dia 12 de abril, mesmo dia do suicídio de um acusado. Ao final, o apresentador diz que, procurada desde as 13h de domingo, a Secap não havia se manifestado até as 7h de segunda-feira (16).

Um e-mail da produção da TV confirma o recebimento da resposta às 15h25 de domingo. Há 12 funcionários da emissora copiados no e-mail. Na nota, a informação correta que desmente a matéria: o HC foi impetrado ainda no ano passado.

A Secap lamenta que os interesses políticos e partidários deturpem o uso de uma concessão pública que deveria servir à difusão de informações de utilidade pública e à elevação do grau de consciência dos cidadãos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *