Itamagu – O jogo é de xadrez não é de pôquer

Xadrez é um jogo que não se tem certeza a sua origem. Seria impossível falar onde surgiu e como surgiu. Mas conta-se que na Índia, no século VI, um sábio denominado Sissa apresentou ao monarca da época um jogo cujo nome era chaturanga e que com o passar dos anos foi expandido pelos países da Europa até chegar ao nome e movimentos de hoje.

O jogo é praticado por duas pessoas e embora seja tido como muito difícil crianças de apenas cinco anos conseguem aprender jogá-lo só observando os movimentos de que o joga. Outro jogo, o político, se assemelha muito com o xadrez. Algumas diferenças muito importantes devem ser observadas. No jogo político mais de dois jogadores podem jogar, porém no jogo político crianças nem de perto são aceitas.

Aqui em Araioses o jogo político, ao longo dos anos até que tem mostrado lances interessantes por parte e seus jogadores. Atualmente vários competidores estão postos em volta do tabuleiro, mas infelizmente estamos assistindo jogadas totalmente sem graça coisa de quem não tem criatividade e força política de parte dos contendedores.

O primeiro (lance) veio a público pela boca do ex-vereador Técio César Duarte Junior e diz que a chapa financiada pelo prefeito de Magalhães de Almeida Neto Carvalho já está pronta. Nela o cabeça de chapa seria o ex-prefeito Pedro Henrique Silva Santos – o pior prefeito da história de Araioses – tendo como companheiro o ex-vereador Denis de Miranda que seria seu vice.

Essa jogada, soube-se depois, seria como resposta, um recado de Neto Carvalho aos vereadores Dadá Coutinho e Mano Gonçalves que tinham se lançado candidatos dias antes ao se pronunciarem em uma das sessões da Câmara. Essas sessões são transmitidas pela Rádio Santa Rosa FM e tem uma audiência extraordinária.

Lógico que não precisa ser nenhum Sarney em política para saber que essas jogadas não são de quem joga xadrez e sim pôquer. Pois afinal é no pôquer que se pode blefar, no xadrez não. Xadrez é jogo de raciocínio, é jogo para desenvolver a capacidade de pensar, muito diferente do pôquer onde o jogador pode não ter nada e se comportar como se tivesse nas mãos uma grande jogada.

Neto Carvalho não é besta e sabe que os vereadores estão querendo barganhar. Ele conhece muito bem os de Araioses e costuma dizer reservadamente, que eles gostam muito é de dinheiro. Sabe que quando chegar a campanha cada um cuida de si como em terra de murici. O candidato a prefeito que se vire. Foi assim com Chagas Paixão, foi assim com Pedro Henrique só para falar dos que foram desmoralizados nas urnas mesmo tendo gastado fortunas na campanha dos vereadores de seus grupos.

O candidato de Neto Carvalho é Pedro Henrique mesmo, isso todo mundo sabe. Tem algo muito grande e forte que impede o prefeito de Magalhães de enxergar que Pedro não é animal que se amarre em porta e que ele é incapaz de liderar qualquer coisa. Nunca conquistou nada, tudo o que tem deram a ele ou compraram para ele. Todos que rodeiam Neto sabem que ele sonha com a possibilidade de outro grupo servir seus desejos e caprichos cedendo um nome para ser vice de seu pimpolho.

Já a chapa com Dadá Coutinho e Mano Gonçalves deve ser piada e das piores. Dadá está inelegível e Mano – o que tem mais mandatos de vereador em Araioses – há mais de 20 anos que diz que é candidato a prefeito. Depois sai sempre em busca de mais um mandão de vereador. Tem blefado e tem se dado bem até agora.

Está blefando de novo. Pode quebrar a dessa vez cara. Está jogando pôquer e o jogo é de xadrez.


Motel

Uma pessoa ligada a um vereador – que se diz de oposição – disse a ele que certo guarda – municipal, que presta serviço no Centro Comunitário, estaria fazendo do lugar um motel. Disse ao edil que por diversas vezes tinha visto o guarda levando mulher para lá à noite. O vereador agradeceu e disse que iria fazer um pronunciamento na Câmara para denunciar o abuso.

O informante ficou aguardando e como passara algumas sessões e nada foi dito pelo vereador resolver interpelá-lo para saber por que esse ainda não tinha tocado no assunto, mesmo já tendo ocupado várias vezes a Tribuna.

Como resposta ouviu desse que o tal guarda era seu eleitor e que o assunto morria ali. O informante ficou calado e nada disse. Afinal é “assessor” do parlamentar.


Calote

Contaram a Itamagu que certo pré-candidato – um que o araiosense nem sabia que existia – deu um calote num borracheiro lá para as bandas de São Bernardo. Teria ido a aquela cidade levar umas pessoas para serem consultadas por um médico que já clinicou em Araioses e tentou ser prefeito aqui por algumas vezes e foi derrotado.

O pneu do carro furou e ele parou no borracheiro para que esse o tirasse do prego. Assim foi feito: pneu concertado, colocado no lugar, serviço de primeira. Só não ficou bom para o profissional foi a resposta do político araiosense. Sem a menor cerimônia disse ao pobre coitado que pagava o serviço em outra vez que passasse por ali. Pelo jeito vai demorar, pois o dito cujo estaria em Brasília cuidando de uns assuntos de sua campanha.

Arre égua!


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.