Carta ao Senador José Sarney


Blog do por John Cutrim

Por Inacio Augusto de Almeida

O que o diferencia dos outros, Senador José Sarney?
Por que intelectuais como Jorge Amado e José Américo de Almeida fizeram a doação dos seus acervos aos estados da Bahia e Paraíba, respectivamente, mas tiveram o cuidado de não causar nenhuma despesa aos cofres públicos?
O senhor pouco está preocupado com a despesa que estará causando ao pobre estado do Maranhão. Para o senhor só interessa que a sua memória seja preservada. Não se preocupe, Senador José Sarney, o senhor já está na história deste país. Como? O senhor sabe isto bem melhor do que eu.
O senhor recebe uma aposentadoria de ex-governador sem desta aposentadoria ter a mínima necessidade.
Jorge Amado e José Américo de Almeida jamais iriam receber uma aposentadoria para acumular com outros proventos. Até porque, um intelectual verdadeiro não é escravo do dinheiro. Conhece o valor de que é possuidor. O mesmo não acontece com o pseudo-intelectual, já que isto vive preocupado com o dia de amanhã. Por mais que tenha acumulado dinheiro, às vezes de forma até não muito recomendável, sempre está preocupado em ter mais e mais. É um inseguro por natureza, já que sabe do pouco ou quase nenhum valor que possui.
E estes intelectuais, Jorge Amado e José Américo de Almeida, sobre os quais nunca se levantou nenhuma suspeição sobre a autoria das suas obras, jamais baixaram o nível ao ponto de chamar de jumentos seus semelhantes. Esta forma chula de tratamento se adéqua a pseudo-literato, que movido pelo desespero parte para a agressão tentando desqualificar os que não se curvam e rejeitam a sua megalomania.
Sabe quantas ruas levam o nome de José Américo de Almeida em João Pessoa? Não? Apenas uma!
Quantas ruas levam o seu nome em São Luís?
Tentei contar, mas cansei-me. Cansei-me ou perdi a conta.
Sabe quantas ruas levam o nome de Jorge Amado em Salvador? Não? apenas uma.
Quantas ruas levam o seu nome em São Luís? Nem o senhor mesmo sabe.
Talvez, Senador José Sarney, o senhor não saiba que na Paraíba não existe nenhuma cidade com o nome de José Américo de Almeida.
No Maranhão existe cidade com o seu nome.
Quer comparar os valores entre o senhor e estes dois escritores? Não, não vou submetê-lo a tamanho constrangimento. Seria uma crueldade.
Respeite as pessoas para ser respeitado.
Não pense o senhor que tentando desqualificar os que se mostram indignado com tantos absurdos conseguirá intimidá-los.
Quer passar à história como um benemérito, um vulto digno de honras e aplausos, comece por doar esta sua aposentadoria de ex-governador a uma instituição de caridade, esforce-se por escrever uma obra digna deste nome, e, principalmente, respeite os seus semelhantes.
Talvez assim o senhor venha a ser lembrado como um homem que no fim da vida arrependeu-se.
Isto é o máximo que o senhor pode conseguir.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.