Randolfe diz que acionará STF se Pacheco adiar instalação da CPI do MEC

Senador Randolfe Rodrigues (Foto: Pedro França/Agência Senado | Marcos Oliveira/Agência Senado)

Brasil 247 – O senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP) usou as redes sociais nesta terça-feira (5) para afirmar que acionará o Supremo Tribunal Federal (STF) caso o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG), não leia o requerimento de instalação da CPI do MEC até esta quarta-feira (6). Ainda segundo o parlamentar, o adiamento para depois da eleição “foi previamente acordado por um grupo ligado ao Palácio do Planalto”.

“A CPI do MEC atende todos os requisitos constitucionais para sua instalação. Não cabe interpretação, de quem quer que seja, da Constituição Federal, isso inclui o colégio de líderes. Aguardo até amanhã a leitura do requerimento. Caso contrário, não nos restará alternativa, a não ser acionar o STF”, escreveu Randolfe no Twitter.

Pacheco anunciou pelo Twitter que a instalação da CPI do MEC, que visa investigar um suposto esquema de corrupção e tráfico de influência no Ministério da Educação comandado pelo ex-ministro Milton Ribeiro com a ajuda de pastores, deve ficar para depois do período eleitoral.

Segundo a Coluna do Estadão, do jornal O Estado de S. Paulo, Randolfe deixou a reunião de líderes com o presidente do Senado antes do fim, afirmando que “o encontro foi ‘artificial’ e que a ideia de adiar a CPI do MEC para depois da eleição foi previamente acordada por um grupo ligado ao Palácio do Planalto”.

“Não cabe ao colégio de líderes fazer julgamento de valor de CPI. Os líderes devem fazer as indicações. Alguns líderes estão andando muito com o Jair Bolsonaro (PL) e estão aprendendo a desrespeitar a Constituição“, disse Randolfe.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.