O barraco desta terça-feira, 21 foi por conta dos barracos no povoado Placa

Barracos recentemente construídos a margem da MA-345 – Foto: Redes sociais

O assunto em destaque na sessão desta terça-feira (21) foi sobre a instalação de umas barracas no Povoado Placa, na área de acesso a cidade de Araioses por moradores daquela região.

Esses pontos de venda de alimentos – foi o que disse alguns vereadores – foram construídas muito próxima da margem da MA-345 sem autorização de nenhum poder público, seja estadual ou municipal, porém eles no lugar em que estão ameaçam a segurança tanto de seus proprietários, como dos consumidores em caso de um acidente provocado por algum veículo desgovernado.

Um dos edis solidário com a situação dos barraqueiros disse, sem nenhuma prova, que recentemente a Secretaria de Turismo e Meio Ambiente, Maria de Nazaré Páscoa Aguiar esteve recentemente lá dando um prazo, para que eles desfazer suas barracos sob pena de serem derrubados por um trator.

Não reconhecer o perigo que donos e clientes desses barracos correm não representa uma atitude digna de quem valoriza a verdade – Foto: Redes sociais

Mais tarde em sua fala o presidente da Câmara, vereador Luisão disse não ter nenhum fundamento qualquer medida por parte da prefeita de Araioses, Luciana Trinta, em autorizar qualquer ação que viesse prejudicar os barraqueiros, muito pelo contrário.

Luisão inclusive disse também que já foi procurado por três deles que falaram sobre a situação, que certamente não será a de despejo.

O que hora ocorre não só na Câmara, mas também onde se fala de política, são ações e conversas de teor crítico a administração municipal que certamente durarão até a eleição de outubro para uns e com outros se estendendo por mais tempo.

O que provavelmente reserva o futuro é uma situação onde quem bate hoje não baterá mais lá na frente, principalmente para quem vai querer se manter com mandato, que pelo que também foi dito hoje por um edil, não será tarefa barata.

Pessoalmente, sou um cidadão livre e posso me manifestar sem temer desagradar seu fulano ou beltrano e digo que quem ocupa aqueles barracos precisa sim de ganhar seu dinheiro, principalmente por que é de forma honesta e muito necessária nesses dias de hoje, onde muitos passam fome.

Mas essa liberdade também me permite dizer que o que está ali construído não tem nenhum amparo legal e coloca a vida das pessoas em perigo – dos barraqueiros e de possíveis clientes.

Sem algum demagogo age e se posiciona de forma contrária a esse raciocínio é por ser demagogo mesmo.

É preciso dizer: Além dos perigos que os barracos representam, a imagem deles é péssima para ser exposta no portal de entrada de Araioses, que tem um senhor potencial para o desenvolvimento do turismo – muito pior do que a descaracterização de um prédio na entrada da cidade, que na época do ocorrido critiquei sozinho e agora quem na época calou critica.

A descaracterização do prédio pode ser desfeita para que ele volte ao padrão que era, mas uma vida que ali corre perigo deve ser melhor cuidada.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.