Inflação no prato

Por Fernando Brito, editor do TIJOLAÇO

O movimento de alta nos preços da alimentação – que os levantamentos semanais da Fundação Getulio Vargas assinala há várias semanas ser superior a 1% ao mês – foi confirmado pelo IBGE na divulgação dos índices de inflação de janeiro.

O grupo de despesas representados pelos alimentos subiu 1,11%, o dobro do índice geral, o IPCA, que foi de 0,54%. Com isso, a inflação para os mais pobres, que têm na comida o maior componente de seus gastos, ficou bem acima do IPCA, marcando uma alta de o,67% em janeiro e 10,6% em 12 meses.

No bolso do povão, portanto, a história nada tem a ver com o otimismo de um recuo da inflação que, aliás, nem mesmo no mercado financeiro já é tão grande como meses atrás, quando se contava com uma queda na inflação para a faixa dos 0,4%.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.