Breno Altman: afirmação de Barroso é a confissão de que o STF prevaricou ao endossar o golpe

Sessão do Supremo Tribunal Federal em 2015 e Roberto Barroso (Foto: STF)

Brasil 247 – O jornalista Breno Altman apontou o fato mais grave da afirmação do ministro Luís Roberto Barroso, do STF, de que a ex-presidenta Dilma Rousseff não foi derrubada pelas tais “pedaladas fiscais”, a prevaricação da suprema corte. “A questão central da afirmação do ministro Barroso, ao afirmar que o impeachment de Dilma Rousseff foi por “falta de apoio político”, não está na constatação em si, mas na confissão de prevaricação do STF frente ao descumprimento da lei, endossando um golpe de Estado”, escreveu Altman no Twitter nesta terça-feira (4).

O trecho do artigo de Barroso que causou furor no cenário político e midiático foi este, publicado na  revista do Cebri (Centro Brasileiro de Relações Internacionais), a ser lançada no próximo dia 10: “A justificativa formal foram as denominadas pedaladas fiscais – violação de normas orçamentárias –  embora o motivo real tenha sido a perda de sustentação política”.

Não é outro o motivo que as lideranças políticas e sociais do país comprometidas com a democracia protestaram e denunciaram: “é golpe”.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.