No tempo das duas alas e a responsabilidade do eleitor araiosense

Se Araioses tivesse deputados que defendessem seus interesses a MA-312, a Estrada do Caranguejo, que liga a cidade ao povoado Carnaubeiras, já tinha sido concluída

Como o tempo parece correr muitos pré-candidatos a deputado estadual e federal na eleição de outubro, já estão correndo para montar suas estruturas de campanha nos municípios maranhenses.

Aqui em Araioses – a essa altura do campeonato – a maioria das médias e pequenas lideranças políticas já estão comprometidas, embora mudar de posição nessa atividade não seja novidade, muito pelo contrário.

Mas nada me custa externar um alerta na escolha dos candidatos aos cargos acima citados, pois nosso município depende muito de deputados estaduais e federais para engatar uma marcha na direção de seu desenvolvimento.

Entendo que toda a pessoa que exerça um mínimo de liderança política numa comunidade tem o direito de fazer suas escolhas, desde que essas não representem apenas interesse pessoal, que passa por embolsar uns trocados de candidatos, que certamente não serão poucos, porém entendo que alguns critérios ou regras devem ser observados.

Primeiramente devemos analisar se o candidato busca uma reeleição – e sim assim for o caso – procurar saber o que ele já fez por Araioses. Esse fazer não é executar, pois essa não é a função de quem exerce cargo legislativo e sim, se ele durante o exercício do mandato lembrou-se de colocar Araioses na hora de elaborar suas emendas no orçamento do Estado (deputado estadual) ou da União (deputado federal). Caso tenha sido omisso nesse quesito, deve ser esquecido pelo eleitor araiosense.

Se o candidato em questão pretende o primeiro mandato, tanto a liderança como o eleitor araiosense devem procurar saber se ele já exerce função pública, por exemplo, uma secretaria de Estado e nessa pasta lembrou de que Araioses existe. Fora desses tem os francos atiradores que não tem nada a perder.

Nesse raciocínio fica mais fácil identificar os fazem da política uma profissão e que há anos detém mandatos dados pelo povo e que pouco ou nada fizeram por ele.

Não será difícil identificar quem há anos se elege com ajuda de votos do eleitor araiosense, mas depois de eleito nossa cidade e nosso povo é esquecido.

Nesse meio, por exemplo, tem quem há anos faz coleção de manados, um deles inclusive prometeu na campanha passada um milhão de reais em emendas para Araioses, promessa essa que não foi cumprida, mas tá de volta turbinado por um grupo de lideranças locais que se intitulam a nata do araiosense.

Tempos atrás não existiam tantas candidaturas porque a política araiosense era dominada apenas por duas alas. Uma liderada pelos Freitas que mais tarde foram substituídos pelo já falecido ex-prefeito José Cardoso do Nascimento (Zé Tude) e a outra comandada pelos saudosos líderes políticos Sebastião Furtado, Leônidas Quaresma e Padre Flávio.

Os tempos se foram, os cabritos pularam as cercas e hoje não se pode deixar de reconhecer a liderança de quem está no comando de nossa prefeitura – com exceção de Pedro Henrique que sempre foi um fracasso – que sempre consegue dar a maior votação para seus candidatos, sendo o restante dos votos pulverizados na contabilidade dezenas de candidatos.

Sem as duas alas, só o eleitor araiosense pode dar um freio nessa pandemia de candidatos.

Afinal, para seguir em frente na busca de seu desenvolvimento Araioses não precisa de tantos deputados. Basta um ou dois em cada área, desde que estejam dispostos a alavancar recursos para as obras de infraestrutura, turismo, saúde e esporte entre outras para o município.

Exemplos que estão dando certo existem – é só dá uma olhada para a vizinhança…

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.