Lula: depois do PT, Bolsonaro faz de Mourão seu maior inimigo

Por Fernando Brito no TIJOLAÇO

Na entrevista de ontem, cuja íntegra está em vídeo ao final do post, Lula faz uma constatação que reflete a essência da sustentação do governo Bolsonaro: ele sobrevive do único sentimento forte que provoca, o ódio.

É por isso que, em sua fala, Lula diz que “o inimigo central dele[ Bolsonaro], além o PT,  é o vice [Hamilton Mourão]”.

O governo Bolsonaro não é para reunir, porque não é um governo de construção.

É, desde antes de sua eleição, um projeto de destruição e, por isso, em lugar da reunião, apóia-se da divisão e na divisão com ódio.

A destruição, porém, é um programa de duração limitada, enquanto a construção, apesar de não oferecer o prazer imediato da ódio contido na demolição, tem o projeto duradouro da esperança.

É este o perigo que Lula oferece a este processo de destruição: a sobrevivência da esperança. Ouvir o que ele diz é entender porque ela, teimosamente, persiste.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *