Publico muito pequeno para uma votação importante como a que estava marcada para sexta-feira (22) na Câmara de Vereadores

Foto feita às 9:00h mostra pouca gente nas imediações do prédio da Câmara de Vereadores

No entendimento de uns, a decisão do desembargador Jamil de Miranda Gedeon Neto, sobre um Mandado de Segurança impetrado pelos advogados do prefeito de Araioses, Cristino Gonçalves de Araújo, deixou margens, das quais, esses se aproveitaram para pedir a um Juiz Substituto que suspendesse a votação da Comissão Processante, que sem essa decisão judicial teria havido e provavelmente cassado o prefeito, e hoje, Manoel da Polo é que estaria no comando de nossa prefeitura araiosense.

A postagem não visa questionar nenhum das decisões judiciais, pois não é essa a minha competência e sim uma breve analise sobre o fato – tão aguardado – ocorrido na última sexta-feira.

Só após às 9:00h 0 acesso a galeria da Câmara foi liberado

Cheguei ao prédio da Câmara de Vereadores antes das oito horas da manhã. Embora o início sessão estivesse marcado para uma hora depois, quis está lá mais cedo para assegurar um lugar na galeria, já que imaginava que muita gente, centenas ou até milhares, talvez, de pessoas pudessem ocupar todas as dependências daquela casa e ainda a parte da Avenida Paulo Ramos com a Rua Barão do Rio Branco, o que não ocorreu.

As dependências da Câmara só foram abertas ao publico após a 9 horas, isso já diante do protesto de assíduos frequentadores das sessões, que não aceitavam como resposta de um preposto, que era ordem do presidente e que estavam aguardando os seguranças para franquear a entrada das pessoas.

Apenas a galeria da Câmara ficou lotada

Todas essas precauções foram um exagero porque o público que compareceu foi infinitamente pequeno diante do que era esperado.

Porém, não se pode culpar o vereador Alex do Giquiri pela preocupação, porque se tivesse ido às pessoas que eram aguardadas a segurança seria fato imperativo para a realização daquela histórica sessão.

Mas o que houve o que fez com que o povo que tanto critica a conduta do prefeito Cristino não tenha ido lá para ver seu bota-fora?

De várias opiniões que ouvir até agora, a que mais se repetiu é a de que o povo está insatisfeitíssimo com Cristino & CIA, porém não quer nem confia no seu vice, ou seja, seria o mesmo que trocar seis por meia dúzia.

Ainda é cedo para afirmar se foi isso mesmo que ocorreu, mas não é cedo para dizer que o vice-prefeito não tem a liderança política que se imaginava que ele tinha.

Em tempo: a presença dos 13 vereadores chamou a atenção de quem tinha como certo a ausência de pelo menos dois edis. Outra coisa é que pude perceber foi um indisfarçável ar de alegria por parte de alguns deles, por não ter que votar em algo tãi importante naquele dia.

Mas isso é assunto para outra postagem.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *