O combate à pobreza é a verdadeira mudança iniciada por Flávio Dino

flávio-dino-posse-1-300x199Raimundo Garrone – No dia 1º de janeiro de 2016 completa um ano do governo Flávio Dino e é necessário que se faça uma leitura correta da realidade para que se possa avaliar suas ações, sem se deixar levar pelo imediatismo e por um juízo superficial fundamentado nas aparências e na rotina que não nos permite perceber sequer as mudanças que ocorrem a nossa volta.

O Maranhão até o final de 2014 ainda vivia na República Velha, comandada pelas oligarquias que permitiu o fortalecimento do coronelismo para dar mais poder político às elites regionais.

Há 85 anos com a revolução de 30, Getúlio Vargas deu fim à velha forma de governo, cuja as práticas ruinosas ainda resistiram no Maranhão até a posse de Flávio Dino em janeiro de 2015.

A diferença entre os dois é que o primeiro chegou ao poder através de um golpe de estado, e o segundo através da escolha de 63,52% do eleitorado que validou diretamente o seu voto em 2014.

Ao contrário de Getúlio, que por força da revolução pode impor mudanças sociais e políticas, Flávio foi eleito democraticamente, o que determina um outro ritmo para as mudanças que tanto a população espera após mais de 40 anos de domínio da família Sarney.

Enquanto o golpe permite rupturas imediatas, a democracia não possibilita mudanças abruptas, como muitos desejam e por isso mesmo se dizem decepcionados com o atual governo por não fazê-las.

As mudanças históricas e sociais são graduais e só se  concretizam após um longo processo, que não surge naturalmente, mas da ação objetiva do Homem para transformar a sociedade em que vive.

O primeiro passo foi redefinir a atribuição do Estado, que antes atendia somente aos interesses empresariais e familiares dos donatários do poder, para atender aos mais necessitados, condenados à miséria exatamente pela política excludente do antigo regime.    

Combater às desigualdades é o principal objetivo da atual administração. O Mais IDH, programa que integra governo, prefeituras e sociedade civil envolve 23 ações nas áreas de saúde, educação, etc. no enfrentamento da pobreza extrema que atinge 30 cidades com os menores Índices de Desenvolvimento Humano.

O segundo passo significativo no processo de mudança é o combate à corrupção. Levantamento da Controladoria Geral da União,  apontou que deixamos  o último lugar para liderar o ranking da transparência com os gastos públicos em todo o País.

É através dessas ações e suas consequências futuras  que se pode dizer que realmente iniciamos uma nova era.

O combate a pobreza é a grande mudança do Maranhão!

Continue lendo no blog do Garrone

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *