Informe DS – Onde estão os líderes políticos de Araioses?

A ausência ou a inexistência de lideranças fortes genuinamente araiosenses expôs o município a uma situação de órfão nessa atividade de tal forma, que acabou permitindo a entrada de políticos de outras regiões para lutar pelo poder político local.

Primeiramente foi a dupla Remi e Luciana Trinta e agora Neto Carvalho, que antes ficava mais que de longe, se insinua com mais disposição. Nesse rol pode se colocar também Manin Leal que comandou o processo político que levou sua filha ao cargo de gestora de Araioses, mas nesse caso a situação dele difere dos demais, pois ele é um legítimo filho de Araioses e mesmo fazendo política em Santa Quitéria, nunca esqueceu de sua terra natal e nunca escondeu de ninguém que fazer política aqui era um de seus sonhos.

Mas por que Araioses chegou a esse ponto de depender de outros para desenvolver suas atividades políticas? Aqui não tem gente com disposição para tal? Não existe um líder nativo capaz de comover e convencer as massas em prol de uma bandeira regional?

Não e sim ao mesmo tempo. No momento Araioses passa por uma entressafra política como nunca teve em sua história. Tem muita gente metida na política, mas são poucos os que têm coragem para um desafio maior e muito menos quem tem condições estruturais financeiras e políticas para isso.

Muitos dessa gente nova sequer sabem do passado de Araioses – rico de lideranças – e desconhecem que só existiam duas correntes políticas, onde uma ala era liderada pela família Freitas e a outra tinha como líderes Leônidas Quaresma e Sebastião Furtado.  Oscar de Freitas Dutra, Silvio de Freitas Diniz e João Batista eram as referencias da família Freitas. Esses homens, das duas alas, entre outros, se notabilizaram pelo fato de terem um perfil político de respeito as suas próprias hitórias.

Olímpio Jacinto da Cunha, José Cardoso do Nascimento – o Zé Tude, Padre Flavio e Tito Ferreira Gomes também atuavam nessa época. Depois deles ninguém mais se destacou. O ex-prefeito Pedro Henrique, filho caçula de Leônidas Quaresma, chegou a ser a esperança de alguns como uma nova e moderna liderança araiosense. Esse já escreveu seu nome na história, infelizmente da forma contrária a do pai que foi um grande e respeitado líder político de Araioses.

Essa escassez de líderes políticos em Araioses pode ter como causa a ditadura militar que governo o País por mais de 20 anos, onde a liberdade de expressão foi cerceada e o fato de também de que nesse período os gestores da cidade também fizeram suas ditaduras  locais o que impediu em parte, o surgimento de novas lideranças.

Outro fator, talvez o mais importante, é o financeiro. Criou-se uma cultura onde quem não tem dinheiro não tem condição de chegar ao poder.

Numa comuna de gente pobre fazer política é atividade para poucos, para pouquíssimos.

 

Ficha suja

Uma informação sem o menor fundamento, foi publicada num informativo eletrônico, dando conta de que um conhecidíssimo ficha suja  estaria tentando se aproximar de Manin Leal, pai da prefeita Valéria do Manin e que entre outros cargos quer ganhar uma secretaria para nela colocar um parente seu.

Cara-de-pau para isso não lhe falta, porém Valéria do Manin tem uma boa equipe de governo e sua administração vai indo muito bem. Não iria estragar tudo querendo consigo um político sem liderança popular e sem prestigio em lugar nenhum e ainda por cima mais sujo do que pau-de-galinheiro.

Nem sempre querer é poder.

 

Ação popular

Já chegou ao conhecimento do blog a existência de uma ação popular da autoria de três mulheres que visa fechar o Estádio Cardosão, o que na prática, se a justiça permitir, vai tirar o mando de campo do Araioses FC da cidade, onde terá de jogar em outras cidades os jogos da Copa São Luís que vai disputar.

Os detalhes em breve aqui no blog.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.