Novo salário mínimo não prejudicará a criação de empregos, diz ministro do Trabalho

Bruno Bocchini
Repórter da Agência Brasil

ABr210813PZB_6049São Paulo – O ministro do Trabalho e Emprego, Manoel Dias, disse hoje (29) que o aumento do salário mínimo não prejudicará a geração de empregos e o esforço fiscal do governo previsto para 2014. O novo mínimo, previsto no Orçamento (R$ 722,90), deverá entrar em vigor em 1º de janeiro de 2014.

“Não vai impactar [o esforço fiscal]. O governo tem o controle das contas, tem superávit para administrar, também, a questão do dólar. O governo tem o controle de todos os setores para não incorrermos em qualquer perigo de insucesso”, disse em entrevista antes de evento no Centro de Integração Empresa-Escola, na capital paulista.

A meta de superávit primário (economia para pagar os juros da dívida pública) no próximo ano poderá ficar acima de 2,1% do Produto Interno Bruto (PIB), estipulados na proposta de Orçamento Geral da União de 2014. Segundo o Ministério da Fazenda, o percentual anunciado pelo governo representa o limite mínimo de esforço fiscal. O projeto enviado hoje ao Congresso Nacional estabelece esforço fiscal de R$ 109,4 bilhões (2,1% do PIB), menor que a meta de R$ 111 bilhões (2,3% do PIB) definida para este ano.

De acordo com o ministro do Trabalho, o novo salário mínimo não afetará negativamente a geração de empregos, porque o país está recebendo grandes investimentos. “Não vai ter [impacto na geração de empregos] porque os investimentos que o Brasil está tendo são enormes. Cada dia mais nós temos os estádios para a Copa, agora estamos fazendo os aeroportos, fazendo a obras de mobilidade urbana. Estamos leiloando os portos, temos várias construções da Petrobras. Há uma circulação muito grande de investimentos e esse investimento exige mão de obra”, disse Dias.

O novo valor do salário mínimo deverá ser R$ 722,90. A proposta de Orçamento, apresentada hoje, deve ser votada pela Câmara dos Deputados e pelo Senado até o fim do ano. O reajuste passa a valer em 1º de janeiro de 2014. O valor atual do mínimo é R$ 678.

1 pensou em “Novo salário mínimo não prejudicará a criação de empregos, diz ministro do Trabalho

  1. RioDoiro:Contas mal feitas! Vocea este1 a ver um fiogrredfico de 250L. A bordo existe uma coisa bem mais pequena e com uma tecnologia que permite muito mais eficieancia. Lavar roupa e9 para as lavandarias. Secar roupa, seca-se ao sol. Sol, aquela fonte inesgote1vel de energia. Navegar e9 com vento, com a espore1dica ajuda, confesso, de um motor diesel. Aquecimento sf3 durante a noite usando uma companhia bem quentinha. Arrefecimento, no mar dispensa-se. Ar condicionado pela brisa.O gerador (1000W) sf3 se liga ao sere3o para ver tv, computar e ajudar as baterias. Um gerador ef3lico podia ajudar mas e9 muito ruidoso durante a noite.Sai mais caro? Pois sai porque o pree7o que vocea paga ne3o inclui custos ambientais. Como parte dos seus impostos ve3o para subsidiar a energia, vocea paga mas ne3o sabe. Ou melhor, vocea sabe, mas ne3o quer pagar. Pago eu que ne3o consumo EDP quando estou a bordo. It’s a injustice, it is!Mas este tipo de abordagem energe9tica pode e deve ser aplicado a uma casa. Tive um projecto de construe7e3o de uma casa em que a EDP ne3o entrava. Usava o sol e e o vento como fontes de energia e sf3 recorria a um gerador para usos pontuais: me1quina de lavar e outros consumos de curta durae7e3o mas de elevada carga. Apostava, fortemente, na eficieancia energe9tica.Quanto e0 NASA (o meu amigo nem quer falar da URSS, credo!) ne3o entendi a sua argumentae7e3o. Vocea passa do geral ao particular, usando o paupe9rrimo exemplo portugueas, que cheira a podre e0 distancia, para condenar uma filosofia econf3mica que tantos benefedcios trouxe a todo o mundo. Sf3 com a iniciativa privada a humanidade ainda estaria na idade da pedra. Veja a histf3ria. Acha que os descobrimentos portugueses se teriam realizado sem a vontade do estado? Claro que se apoiaram nos interesses privados mas teve de haver vontade e apoio do reino.Cito este exemplo, mas estaria aqui todo o dia a citar mais. Sem grandes homens de estado nada se teria feito.Quanto ao BUSH e a LUA…parece que o tipo andava sempre le1…O espantoso e9 que quando foi o BUSH a gastar a massa dos camones para esses e outros gastos, vocea gostou.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.