Sem estradas não tem desenvolvimento

As estradas vicinais em Araioses estão intrafegáveis

Araioses e Água Doce, mãe e filha estão praticamente isoladas uma da outra por falta de comunicação terrestre.

Sem estradas não há comunicação entre comunidades e muito menos oportunidades de desenvolvimento e progresso. Essa é uma regra que muitos conhecem, mas a prefeita de Araioses Luciana Trinta e Eliomar Costa, prefeito de Água Doce parecem desconhecer, pois a estrada que liga os municípios administrados pelos dois mais parece pista de enduro de dificuldades. Buracos pequenos, buracos grandes, alguns para ser justo chamaríamos de crateras. No percurso de 32 km de extensão da via, já não tem mais piçarra. Só areia e mais buracos, numa total prova do abando dos dois gestores que se elegeram em cima das promessas de conservar e construir vias trafegáveis.

Não há um só trecho que não precise ser refeito ou totalmente construído. A estrada foi feita pelo ex-prefeito José Cardoso do Nascimento – Zé Tude, em sua segunda passagem pelo comando da prefeitura araiosense (1989 a 1992) com recursos do governo do estado, que na época era administrado pelo atual senador Epitácio Cafeteira.

Mais de vinte anos depois a estrada nunca sofreu uma reforma de verdade. De tempos em tempos o prefeito de plantão mandava alguém passar uma patrol na estrada para nivelar o solo e justificar gastos na hora da prestação de contas. De onde se tira e nada se bota, com o tempo não tem mais nada. Foi assim com a piçarra da pista. Foi toda embora ficando só o areal que tinha antes.

Quem administra os dois municípios são do mesmo grupo da governadora Roseana Sarney. São aliados do governo do estado, mas não se mobilizam, não procuram se unir para pedir a governadora que faça a estrada, não mais de piçarra e sim de asfalto de boa qualidade. Isso se justifica porque sempre que são cobrados para que recuperem a estrada dão como desculpa que as prefeituras não têm recursos suficientes.

Entre Araioses e Água Doce a estrada de piçarra já era

Estradas vicinais

Se em Água Doce o povo se queixa das péssimas condições das estradas vicinais imaginem o que diriam das estradas de Araioses. Essas sim há muito tempo que não passam de trilhas perigosas. O acesso a Carnaubeiras está intrafegável e não adianta o povo daquela comunidade reclamar. Seus lamentos não são ouvidos por Luciana Trinta.

A estrada dos baixões que vai do povoado Placa até a entrada de Cana Brava, que foi construída com recursos do município na administração do saudoso Vicente de Paula Moura, também precisa ser totalmente reformada. É uma das maiores do município e é de fundamental importância para a economia municipal.

A estrada que vai para a região do Lago não tem melhor sorte do que as outras. E o que dizer da via que tem sido usada como promessa de todas as campanhas, não importa os candidatos e que apenas um pequeno trecho – de João Peres a Jatobá – foi construído e tem sido criminosamente dispresada pela gestora atual? Claro que falamos da estrada que ligaria João Peres ao Remanso passando por Jatobá e Algodões.

O trecho em questão foi construído na administração passada e não pode ser concluído porque a obra foi embargada pelo IBAMA. O prefeito Zé Tude foi inclusive multado pelo fato de que, para fazer a estrada algumas carnaúbas tiveram que ser cortadas. Comenta-se que a obra foi denunciada por um preposto da então candidata Lucina Trinta, que hoje é secretário de seu governo e que tinha fortes ligações com Fernando Gomes, que hoje é vereador, mas na época dirigia o IBAMA de Parnaíba.

A situação da estrada é péssima. Parte dela é em cima de aterro e além dos incontáveis buracos tem também grandes valas que impede um veículo de quatro rodas passar por lá. De jatobá até o Farias, entrada do Remanso, existe apenas trilhas trafegáveis com muitas dificuldades no verão. No inverno andar por elas é impossível, pois são muitos os atoleiros.

É uma estrada, que se existisse, seria muito importante para a economia de Araioses. A região é muito rica e sua produção seria escoada para a cidade baixando o preço dos alimentos e assim diminuindo o custo de vida da população.

O foco da administração de Luciana Trinta está centrado apenas em alguns pontos da cidade como a iluminação e decoração da Rua do Mercado, no centro; da construção de uma casa do Papai Noel ao lado da prefeitura, pintura da fachada de imóveis particulares alugados ao município e agora o grande e mais importante feito: a transformação do Hospital Nossa Senhora da Conceição num  tal Centro de Referencia, pintado em cores berrantes para chamar a atenção e mais nada, pois por dentro nada funciona.

Nas vicinais de Araioses a imagem do abandono e a iminência do perigo

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.