Improbidade: Simplício Araújo pede à PGR para investigar Roseana Sarney

Sem estrutura para funcionar, hospital de Roseana Sarney serve de pasto par jumenta

Do Portal  Nacional do PPS

Por: Nadja Rocha

O deputado federal Simplício Araújo (PPS-MA) vai ingressar, nesta semana, com representação na Procuradoria-Geral da República pedindo a abertura de inquérito contra a governadora do Maranhão, Roseana Sarney (PMDB), por improbidade administrativa. A ação no Ministério Público se baseia em relatório produzido pelo parlamentar em vistoria, realizada na sexta-feira passada, em unidades de saúde do “Programa Saúde é Vida”. De acordo com o Simplício, nos nove municípios que foram visitados, a situação é de “descalabro”.

“A situação é de total desperdício de dinheiro público. As imagens são chocantes. Encontramos hospitais que foram incendiados; outros não têm sequer água encanada e pessoal. Uma unidade foi construída a 50 metros de um curral”, revelou Simplício.

O parlamentar ingressará ainda com proposta na Comissão de Fiscalização e Controle da Câmara pedindo ao TCU (Tribunal de Contas da União) que investigue o descaso com o patrimônio público. Simplício pedirá ainda providências à Controladoria-Geral da União (CGU) e ao Ministério da Saúde. O deputado federal Domingos Dutra (PT-MA) acompanhou a vistoria.

Na visita a Alto Alegre, Matões do Norte, Peritoró, Bela Vista, Bernardo do Mearim, Lago dos Rodrigues, Lago do Junco, Conceição do Lago Açu e Marajá do Sena, o deputado Simplício disse ter visto “muito mato, urtiga, plantação de maxixe e cobra, menos gente sendo tratada”.  A estimativa é de que já foi gasto mais de R$ 1 bilhão na construção desses hospitais. Grande parte desse dinheiro são recursos federais.

Segundo Araújo, das 70 unidades de saúde  prometidas, em campanha, pela governadora Roseana Sarney, apenas quatro estão funcionando. A promessa era de que as obras seriam entregues à população em dezembro de 2010. “A governadora deve explicações aos órgãos de controle e à população maranhense”, afirmou o parlamentar.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.