Preso empresário acusado de envolvimento no assassinato do ex-tesoureiro da Prefeitura de Magalhães de Almeida

Denilson Oliveira Machado

Blog do Yuri Gomes

Foi preso hoje (30), por volta das 13h na cidade de São Bernardo-MA, por força de mandado de prisão temporária por trinta dias, assinado pela Juiza Titular da Comarca de Magalhães de Almeida-MA, respondendo pelo a Comarca de São Bernardo, Drª. Jaqueline Rodrigues da Cunha, o empresário Denilson Oliveira Machado, 29 anos, natural de Parnaíba-PI, proprietário das lojas Cred Bens Motos, sob acusação de envolvimento no crime de latrocínio que teve como vítima, o ex-tesoureiro da Prefeitura de Magalhães de Almeida, Fenelon Candeira Caldas, que foi morto com tiro de arma de fogo no dia 09 de dezembro de 2011, na rodovia que liga São Bernardo à Magalhães de Almeida e lesão corporal no Secretário de Finanças Nonato Carvalho, que saiu ferido no braço por um balaço.

O assalto seguido de morte, rendeu para a quadrilha a importância de R$ 160 mil reais, que seria usada para pagamento de serviços prestados da Prefeitura de Magalhães de Almeida. Uma caminhonete Hilux usada no latrocínio, foi apreendida pela polícia e ao ser periciada foi constatado que o veículo é clonado e supostamente pertence ao empresário Denilson Machado.

Fenelon Candeira Caldas

O inquérito policial corre em segredo de justiça e está sendo instaurado na delegacia de São Bernardo pelo Bel. Luis Sampaio, que por volta das 15h30 de hoje tomou o depoimento de Denilson Machado na presença de seu advogado Dr. Antonio Nunes, que após o depoimento de seu cliente foi abordado pela reportagem deste blog, mas não quis falar sobre o caso, alegando que ainda está se inteirando do assunto.

Tão logo a notícia da prisão de Denilson se espalhou, familiares de Fenelon Caldas compareceram à delegacia de São Bernardo para vê-lo de perto. Os sobrinhos de Fenelon, Marcos Fernando Candeira e Michel Candeira, acreditam que pelo menos cinco pessoas estão envolvidas no crime de Fenelon.

O prefeito Neto Carvalho de Magalhães de Almeida, desde o dia do fato e durante todo o período de investigação, garantiu à população magalhense, que o crime seria desvendado e não mediria esforços para elucidação do mesmo, e que todos os envolvidos serão presos.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.