Modelo diz que foi estuprada pelo ex-BBB Daniel na Itália e formaliza queixa na Justiça

 

Tatiane Eyng conta que acordou com ele pelado em cima dela e que fato foi consumado

Portal R7

Modelo diz que Daniel é uma pessoa ruim e que foi violentada por eleModelo diz que Daniel é uma pessoa ruim e que foi violentada por ele

Após a suspeita de estuprocontra Monique Amin, no reality show Big Brother Brasil 12, da TV Globo, a situação do ex-BBB DanielEchaniz, expulso do programa, pode complicar com uma nova denúncia de violência sexual. A modelo brasileira Tatiane Eyng contou com exclusividade ao Domingo Espetacular, da Rede Record, que foi estuprada por Daniel na Itália  

– Quando eu a vi a cena noBig Brother, eu choquei. Porque a mesma coisa aconteceu comigo. Quero um pouquinho de justiça e resolvi falar porque posso ajudar a tirar uma pessoa má de circulação.

Calcinha, cueca e edredon são enviados à perícia

Tatiane conta que morou com o modelo e a ex-namorada dele em Milão, na Itália, onde os três trabalharam como modelo. Ela diz que era assediada constantemente por Daniel, que ele mandava mensagens pornográficas por telefone e que, certa vez, chegou a entrar nu no banheiro enquanto ela tomava banho.

Ainda segundo a modelo, em outra ocasião, ela acordou com Daniel pelado em cima dela e diz que o estupro foi consumado.

– Eu acordei e, simplesmente, ele estava em cima de mim. Eu me apavorei, estava sozinha com ele. A namorada dele tinha viajado a trabalho. Aconteceu de madrugada, em Milão; Chegou a consumar [o estupro]. Nessa hora eu acordei, mas aconteceu.

Esta semana, Tatiane foi ao Juizado de Violência Doméstica, em São Paulo, e formalizou  uma denúncia contra Daniel. A promotora que conversou com a modelo confirmou à reportagem da Rede Record que encaminhou a denúncia à polícia.

Através de suas advogadas Adiléia Triane e Luciana Egito, Daniel disse que não se lembra de nada parecido e negou as acusações.

Passaporte apreendido

No último sábado, Adiléia e Luciana entregaram o passaporte da modelo à polícia. O comprovante de residência dele também foi anexado ao processo. Elas chegaram à Delegacia da Taquara (32ª DP) por volta das 17h e informaram que Daniel reagiu bem à notícia de que teria o passaporte apreendido. Segundo Adiléia Triane, o ex-BBB já não tinha a intenção de deixar o Rio de Janeiro

– Na verdade, ele recebeu com tranqüilidade (a notícia de que teria que entregar o passaporte). Ele não tinha a menor intenção de sair do país nem daqui (do Rio de Janeiro). Na verdade, antes da decisão de entregar o passaporte, ele disse para a gente que ele está aqui e está feliz porque está perto da família dele. Mesmo que ele não tenha contato com todo mundo, ele está perto da família e isso dá segurança. Ele não tem intenção de sair do Rio.

O Ministério Público pediu à Justiça que o passaporte dele fosse apreendido para evitar que o modelo saia do país e atrapalhe as investigações do caso.

As advogadas Adiléia Triane e Luciana Egito também receberam uma intimação por ele, graças a uma procuração específica para este tipo de caso. Com isso, o modelo não vai mais precisar ir à delegacia para ter ciência do teor das investigações. A defesa do ex-BBB ainda não conseguiu ter acesso ao inquérito. A polícia informou que o material foi remetido ao fórum e não estava na delegacia.

De acordo com as advogadas, Daniel ainda não perdeu as esperanças de entrar novamente na casa do BBB. Tanto que elas entregaram neste sábado a advogados da TV Globo um ofício pedindo o retorno do modelo ao reality show.

O ex-participante do Big Brother Brasil 12 está hospedado em um hotel na Barra da Tijuca, na zona oeste do Rio de Janeiro. A advogada Luciana Egito contou que ele tem evitado sair, mas que tem recebido muitas mensagens de apoio do público.

Em entrevista coletiva na quinta-feira (19), os advogados do ex-BBB criticaram a decisão da Rede Globo de expulsar Daniel e disseram considerar a medida “precipitada e injusta”. O advogado Wilson Mathias negou que a conduta de Daniel tenha sido inadequada, justificativa apresentada pela emissora para a expulsão. Apesar das críticas, o advogado afirmou que o ex-BBB recebe apoio da emissora.

Aos defensores, ele contou ter sido procurado na manhã desta quinta-feira por advogados da emissora para assinar um documento em que o autoriza a falar. A defesa, no entanto, reclama que não recebeu esse documento de forma oficial e que, por precaução, Daniel não compareceu à coletiva de quinta. Os advogados também dizem não ter tido acesso aos contratos assinados por Daniel para participar do BBB, tanto o principal como o assinado após a expulsão.

Na opinião de Mathias, Boninho, que é responsável pela atração, tomou a decisão de expulsar Daniel pressionado pela opinião pública.

– Boninho agiu pressionado pela opinião pública, o que é normal. Só não vou achar normal se ele não reconsiderar a decisão.

Para a defesa do ex-brother, o vídeo de sete minutos que circulou pela internet é tendencioso, pois mostra apenas o momento em que Monique parece estar adormecida, enquanto Daniel a acaricia e faz movimentos com o quadril. Os advogados lembraram que as imagens mostram que Monique foi para a cama “por livre e espontânea vontade” e que chamou o modelo para se deitar com ela.

– Dava a entender que ela não sabia o que estava acontecendo. Oficialmente, ela disse que queria e tinha vontade, tanto de fazer, quanto de receber carícias.

Os advogados criticaram ainda a interpretação do delegado que preside o inquérito aberto na Delegacia da Taquara (32ª DP), que investiga Daniel por estupro de vulnerável. Para Wilson Mathias, a tese não tem fundamento porque, segundo o Código Penal, só pode ser aplicada nos casos em que a vítima está inconsciente (por embriaguez ou sono profundo) antes mesmo de as carícias começarem. Para os advogados, não foi o que aconteceu entre Monique e Daniel.

– Digamos que, em um dado momento, ela apagou e ele continuou a praticar carícias. Ela está lá ativamente e passivamente, com vontade e consciência. Chega em um determinado estágio em que ela dorme e ele continua. Estupro de vulnerável só ocorre quando há dolo [intenção], como o padrasto que espera a enteada dormir profundamente e dá início aos atos libidinosos (…) Qualquer um de nós, casado, namorado ou noivo, pode iniciar uma carícia e por motivo alheio o parceiro meio que adormeceu. Ainda mais se estiver escuro, depois de uma festa que você bebeu, [isso pode acontecer] e você nem perceber.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.