OPERAÇÃO contra o tráfico deflagrada em 14 cidades no PI

POLÍCIA CIVIL CUMPRE 66 MANDADOS NO PI E MA: ‘Operação Praga de Justiniano’ iniciou às 6h

Do 180 Graus

A polícia civil, através da delegacia regional de Oeiras e a delegacia de Entorpecentes deflagrou no início da manhã desta quinta-feira (17/11) a operação “Praga de Justiniano” que visa prender uma quadrilha especializada no tráfico de drogas na região sul do Piauí. São 40 mandados de busca e apreensão e outros 32 de prisão que estão sendo cumpridos nesta manhã. O delegado Samuel Silveira, da Entorpecentes, comanda os trabalhos.

Segundo nota enviada pela delegacia geral de Polícia Civil, assinada pelo delegado James Guerra, a ação é resultado de investigações iniciadas há 04. Haverá entrevista coletiva às 11 horas de hoje (17) na sede da Delegacia de Prevenção e Repressão a Entorpecentes, DEPRE, contando com a presença da Delegada Regional de Oeiras, Janaína Nobre, o Delegado titular da DEPRE, Samuel Silveira e Delegado Geral de Polícia Civil.

A Operação “Praga de Justiniano” foi assim denominada em referência à primeira pandemia de peste bubônica que começou no Egito e disseminou-se a Constantinopla, semelhante ao comércio de drogas que se alastrou rapidamente por toda a região envolvida nesta operação.


Parte da equipe que trabalha na operação, ao centro Delegado Samuel SIlveira

Os mandados são cumpridos nas cidades de Oeiras, Picos, Itainópolis, Santa Cruz, Santo Inácio, Paes Landim, Simplício Mendes, Floresta do Piauí, Floriano, Campinas do Piauí, Canto do Buriti, Regeneração, todas no Estado do Piauí, bem como Barão de Grajaú e São João dos Patos no Estado do Maranhão, totalizando 14.

Além da polícia civil, a operação tem apoio daComissão Investigadora do Crime Organizado (CICO) e outras unidades da Polícia Civil do Estado do Piauí, além de 70 Policiais Militares do Grupo de Ações Táticas Especiais (GATE), Ronda Ostensiva de Natureza Especial (RONE) e Batalhão de Oeiras, através do Sub Comandante Capitão Davi.

Ainda não há informações sobre o que foi apreendido na operação, mas os mandados foram expedidos por crimes de tráfico ilícito de entorpecentes, associação ao tráfico, lavagem de dinheiro, quadrilha ou bando e venda de medicamentos sem registro no órgão de vigilância sanitária competente.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.