Terrorismo em Alto Alegre: secretária do prefeito Atenir Botelho tenta atear fogo em blogueiro

Blog do Décio Sá

O deputado André Fufuca (PSD) ocupou a tribuna da Assembleia Legislativa nesta quarta-feira (16) para denunciar o abuso de poder no município de Alto Alegre do Pindaré. Segundo ele, o prefeito Atenir Ribeiro (PRTB) estaria usando dinheiro público para patrocinar invasões a propriedades privadas e atos terroristas, disseminando a insegurança na região. “Aquela cidade, que foi exemplo de educação, hoje é conhecida como a cidade com mais invasões a terrenos em um só dia”, lamentou.

Atenir apoia ‘ações terroristas’ em Alto Alegre

Fufuquinha, como é mais conhecido, atribuiu ao prefeito a agressão e ameaça de morte feita nesta quarta-feira pela manhã contra o blogueiro Marcelo Coêlho, do Blog du Cuelho. A vítima conta que estava no escritório onde trabalha quando a secretária municipal de Cultura e presidente do Conselho Municipal de Direito da Criança e do Adolescente, Verônica Facundes, a mando do prefeito, chegou ao local com isqueiro e um litro álcool e ameaçou atear fogo nele vivo caso não retirasse uma postagem sobre a invasão de terras na cidade patrocinada por Atenir (reveja e veja também cópia da ocorrência abaixo).

“Ela só não ateou fogo porque os correligionários do nosso partido impediram. Alto Alegre vive hoje clima de uma guerra civil, onde pessoas utilizam do manto do prefeito para praticar ações criminosas e terroristas”, declarou o parlamentar.

Atenir é apontado na enquete do blog aí ao lado como o segundo pior prefeito do Maranhão. Ele é protegido do líder do bloco governista, Stênio Rezende (PSD).

Fufuquinha contou que funcionários da prefeitura — coordenadores da educação, secretários municipais e servidores ligados ao gabinete do prefeito — invadiram, no último final de semana, dez terrenos de propriedade dos ex-prefeitos Fufuca Dantas e Ozéas Machado, o Negão.

De acordo com o parlamentar, os servidores que participaram da manifestação não precisariam recorrer a este meio de sobrevivência, pois todos têm bons salários, acima de R$ 2.500. Por conta disso, ele classificou as invasões como um ato político. “Não estou criticando [de forma generalizada] as invasões, estou criticando um ato político. O prefeito está desesperado com a iminente derrota eleitoral e faz de tudo para denegrir a imagem do outro grupo”, comentou.

O deputado afirmou que o fato foi comunicado ao delegado regional, mas nenhuma providência foi tomada. E mais: um subtenente da regional de Santa Inês esteve no local e incentivou os manifestantes, em vez de coibi-los. Ele disse que a situação só foi acalmada após a intervenção do secretário de Estado da Segurança, Aluísio Mendes, que encaminhou um grupo de policiais militares à região.

“Já não bastava as [ruas] vicinais intrafegáveis, a educação que não existe mais e a saúde precária daquele município? Parecia não haver nada pior a acontecer, mas aconteceu. A cidade nunca passou por um momento tão caótico e nebuloso”, desabafou o deputado, destacando que Alto Alegre do Pindaré completou 17 anos de emancipação política no último dia 10 de novembro.

“Alto Alegre do Pindaré era conhecida pela cidade da educação do Norte e Nordeste. Era conhecida pela maior nota no Ideb do Brasil, entre as 20 maiores notas. Era conhecida por suas qualidades e nunca pelos seus defeitos e malefícios da sua administração”, completou.

De acordo com o deputado, hoje a população está com medo de sair nas ruas, com receio de ter sua propriedade invadida. Para ele, as atitudes do prefeito estão instalando o terrorismo na região.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.