Pontes de João Peres – 50 anos de história e abandono




As pontes Sebastião Furtado, Ponte do Meio e Ponte do Zuador: meio século de abandono.

As pontes Sebastião Furtado, Ponte do Meio e Ponte do Zuador, que ligam uma das regiões mais ricas do território araiosense – que compreende as comunidades de Jatobá, Algodões, Capoeiras, Farias e Remanso entre outras a João Peres, e porque não dizer a cidade de Araioses estão em péssimas condições de uso sendo que a Sebastião Furtado e a Ponte do Meio são as que mais oferece perigo. Ambas tem parte de sua estrutura destruída e o poder público araiosense finge desconhecer a gravidade do problema.

A ponte Sebastião Furtado é maior de todas. Foi construída pelo prefeito Sebastião Furtado, que lhe empresta o nome e foi inaugurada em 23 de março de 1961. A ponte do Zuador também foi feita por ele. Já a Ponte do Meio foi construída pelo prefeito Silvio Freitas Diniz, logo em seguida.

Sebastião Furtado era dono de quase todas as terras dessa região. O principal produto era o pó da carnaúba que ainda vivia seus dias de gloria e João Peres era o grande pólo comercial araiosense naqueles anos. As pontes foram feitas para facilitar o escoamento da produção no verão uma vez, que assim como hoje, no inverno fica impossível o tráfego de veículos em estradas que se transformam em atoleiros.

O ciclo da carnaúba passou, mas a necessidade das pontes e de estradas vicinais só aumentou, pois a região é grande produtora de grãos e caso essas estradas fossem construídas e as pontes restauradas a distância entre Araioses e o Remanso – que é a maior bacia leiteira do Baixo Parnaíba – seria diminuída de 32 km para 18 km.

A bem da verdade no que diz respeito as pontes o ideal é fazer outras. A estrutura delas tem mais de meio século – nesse tempo todo, nunca tiveram manutenção – e estão totalmente corrompidas. Estradas vicinais só em um pequeno trecho que não passa de 4 km – de João Peres a jatobá – mas totalmente intrafegável. O restante são trilhas que se transformam em lameiros tão logo chega o inverno.

A construção de estradas vicinais e pelo menos a recuperação dessas pontes foram prometidas pela atual prefeita Luciana Trinta, quando quis os votos dos araiosenses para se eleger. Passados três anos nada foi feito por ela na região. Os produtores rurais continuam sem infraestrutura para escoar suas produções. As dificuldades de acesso continuam; o direito de ir e vir também fazendo com os habitantes desses povoados façam suas compras e seus negócios em Parnaíba, no Piauí, dificultando ainda mais o processo de desenvolvimento de Araioses.

Falta menos de um ano para novas eleições. Luciana vai prometer de novo, que se for reeleita as estradas e as pontes serão feitas e refeitas. Outros também vão prometer a mesma coisa. Entre eles – se a Lei da Ficha Limpa não valer para as eleições do ano que vem – estará até Pedro Henrique, que já teve a oportunidade de fazer e não fez.

A decisão é do araiosense não só de João Peres, mas de todas as regiões não acreditar mais em promessas de mentirosos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.