Prefeito diz que Ricardo Murad quer jogar responsabilidade dos hospitais para os municípios: “não temos recursos”



Prefeito Raimundo Filho

Blog do John Cutrim

O prefeito de Paulino Neves, Raimundo Filho, disse ao blog que a secretaria de Estado de Saúde quer colocar sob a responsabilidade do município o funcionamento do hospital de 20 leitos do programa ‘Saúde é Vida’ que está sendo construído na cidade. De acordo com o prefeito, a SES quer que a administração municipal equipe o hospital e faça a contratação de pessoal, diferente, segundo ele, do que foi concebido no projeto inicial.

“O governo quer que coloquemos a estrutura do hospital para funcionar, isto é, que contratemos médicos, enfermeiros, instale laboratório, equipamentos de raio-X etc., quando na realidade o município não tem recursos suficientes para isso. Quando o programa foi lançado, lá consta que o governo ficaria responsável por tudo isso”, afirmou Raimundo Filho.

O prefeito explicou que a administração detém apenas de 25% do total dos recursos que seriam suficientes para colocar o hospital em atividade e mantê-lo em funcionamento. “Se o Estado não arcar com o restante, não tem como o hospital sair do papel. Não é nosso desejo inaugurar o hospital e depois fechá-lo em 30 dias”, relatou o gestor.

Segundo Raimundo Filho, o modelo que o secretário Ricardo Murad quer implantar é que o hospital trabalhe em sistema de produção. “Tem que ser repasse a fundo a fundo. Da forma que eles querem é outra, ou seja, que assumamos os custos e enviemos os relatórios para depois nos pagarem. Quem garante que isso será feito, e em quanto tempo?”, questionou o prefeito.

“Eu não quero arranjar problema com a população, que deseja o hospital funcionando em sua totalidade. Já imaginou o hospital abrindo as portas e depois de 30 dias tendo que fechar. Isso seria um desrespeito aos moradores de Paulino Neves”, acrescentou o prefeito.

Raimundo Filho contou que foi surpreendido hoje com a presença do médico Talvane Hortegal na cidade, que na ocasião, conforme ele, estava representando o secretário de Saúde Ricardo Murad. O prefeito disse que Talvane, acompanhado de um carro volante, convocava os moradores para uma seleção para integrar o quadro de funcionários do hospital de Paulino Neves.

“Foi um alvoroço muito grande. Surpreendi-me com a confusão. Não sabia o que estava acontecendo e entrei em contato com a minha secretaria de Saúde para saber daquela situação. Ela imediatamente ligou para o Ricardo e o mesmo disse que eu não queria abrir o hospital e que por isso determinou tal medida”, contou.

Filho rebateu e disse que a prefeitura já realizou concurso público para o provimento das vagas. “Temos um cadastro formado. O concurso foi acompanhado pelo Ministério Público, tudo dentro da legalidade. Ou seja, isso que eles querem fazer é desrespeito a mim, ao MP e aos que prestaram o concurso”, asseverou.

O prefeito de Paulino Neves revelou ao blog que procurou o presidente da Federação dos Municípios do Estado do Maranhão (FAMEM), Junior Marreca, e relatou o que estava acontecendo. Raimundo Filho disse que na oportunidade sugeriu que Marreca reunisse os prefeitos que estão nesta mesma situação. A reunião deve acontecer nesta sexta-feira. “Eu não sou contra o hospital, só quero que seja cumprido o que foi compromissado no início do projeto que previa a construção dos 72 hospitais. A responsabilidade de por em plena atividade, de equipar e da parte de recursos humanos é do governo do Estado”, finalizou o prefeito.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.