Delegados em greve há 42 dias vão ao Palácio pedir afastamento do secretário Aluísio Mendes das negociações


Do blog do John Cutrim

Uma comitiva de delegados da Polícia Civil do Maranhão, em greve há 42 dias, esteve no final da manhã desta quarta-feira (13) no Palácio dos Leões para entregarem um documento pedindo o afastamento do secretário de Segurança, Aluísio Mendes, das negociações com a categoria.
De acordo com delegados ouvidos pelo blog, Aluísio tem mostrado pouco caso diante da pauta de reivindicações apresentada pela categoria, o que tem inviabilizado, segundo eles, o canal de negociação entre a classe e o governo do Estado.
“Na última reunião que tivemos com o secretário [Aluísio] ele mostrou pouco interesse em buscar uma solução para a greve, chegando a dizer apenas que levaria a pauta de reivindicações a governadora Roseana Sarney, a depender do dia que ela estivesse com o espírito bom”, relatou um delegado.
Na reunião ocorrida no Palácio, uma comissão de delegados, através da Associação de Delegados de Polícia do Maranhão (Adepol), foi recebida pelo secretário-chefe da Casa Civil, Luís Fernando Silva.
Os delegados reivindicam recomposição salarial do período 2009/2010/2011, reajuste das horas extras em 10%, na mesma forma que foi concedida nas carreiras de Polícia Civil e Agente Penitenciário, sendo 5% imediato e 5% posteriormente; incorporação das horas extras ao subsídio; e o cumprimento da decisão judicial feita em 2007, durante o governo de Jackson Lago, que garante isonomia para os delegados como a do procurador do estado e melhores condições de trabalho.
Além disso, os delegados buscam também, a médio e longo prazo, a retirada de presos de delegacias, uma vez que a custódia dos detentos impede a Polícia Civil em dar prosseguimento às investigações; bem como concurso para a contratação de delegados para os 121 municípios que não são assistidos.
Hoje existem apenas 351 delegados para atender todo o Estado (mais de 6 milhões de habitantes) e mais de 1.800 presos custodiados indevidamente em delegacias, impedindo a Polícia Civil de sair às ruas para investigar crimes e capturar criminosos. O resultado de tamanha ingerência é que nos últimos 13 dias foram registrados mais de 26 homicídios na capital. Esse é o “melhor governo da vida de Roseana” e o pior da vida de todos os maranhenses. (Foto: A.Baêta)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.