Maranhão tem a maior taxa de crescimento de empregos no país

O Estado do Maranhão apresentou em 2008 a maior taxa de crescimento de empregos formais entre todas as unidades da Federação, quando o estoque de assalariados celetistas aumentou 7,19% em relação a dezembro de 2007. A informação é do Ministério do Trabalho e Emprego, que acaba de divulgar que a taxa maranhense foi superior à média nacional, que no período atingiu 5,01%. Os dados são do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) e foram divulgados pelo ministro do Trabalho e Emprego, Carlos Lupi, na segunda-feira (19). Em números absolutos e relativos, o resultado do Maranhão é recorde da série histórica do Caged, iniciada em 1992. O saldo positivo apresentado no Estado nordestino entre os meses de janeiro a dezembro representa em números reais 19.344 postos criados. Os municípios que mais contribuíram para a expansão foram São Luís, com saldo de 12.670 carteiras assinadas; Imperatriz, 1.962 e Santa Inês, 553. Vale ressaltar que mais de 30 municípios obtiveram saldo positivo de carteiras assinadas no Estado em 2008.No mês de dezembro, questões sazonais, entressafra agrícola, férias escolares, esgotamento do consumo, além do reflexo da crise financeira internacional fizeram que os setores de atividade econômica fossem prejudicados. Tal fato acarretou um leve declínio de 1,94% no nível de emprego no Maranhão (- 5.711 postos de trabalho) no último mês do ano. Todavia, no acumulado do ano, o quadro foi diferente. Com 10.150 vagas criadas, por exemplo, a Construção Civil despontou na lista dos setores que mais contrataram em 2008. Em segundo, o Comércio, com 5.368 e, em terceiro, Serviços, com 4.755. Um ganho para os maranhenses e também para o Brasil, pois no ranking nacional conquistaram a 14ª posição em comportamento de emprego. Ambiente de confiança – O secretário de Estado do Planejamento e Orçamento, Aziz Santos, avalia que o Maranhão está obtendo estes resultados “graças ao ambiente de negócios que existe hoje em nosso Estado”. Ele ressaltou que o Maranhão está atraindo diversos empresários e empreendimentos, em razão do clima de confiança criado pelo governo Jackson Lago. “Desde a posse do governador Jackson Lago, está se criando em nosso Estado um ambiente muito propício, de confiança e respeito, que fomenta o aporte de investimentos”, destacou Aziz Santos. Os dados do Ministério do Trabalho e Emprego apontam que o Nordeste foi a terceira região brasileira a gerar mais empregos no Brasil. Entre janeiro e dezembro, foram 203.617 postos, uma alta de 4,82%, segundo maior saldo do período. O total quase superou o recorde registrado em 2007, quando 204.310 postos foram criados. O Maranhão consta entre os Estados que mais impulsionaram as contratações da região, em 2008. Aparece em terceiro na lista dos cinco Estados que apresentaram o melhor resultado para o período. A frente dele está Pernambuco, com 52.800 vagas e variação relativa de 6,24% e Ceará, 41.441 postos e variação de 5,95%. Em seguida, Piauí com 11.324, uma alta de 6,05% e Sergipe 11.038 postos (+ 5,67%). Apesar de não estar na lista desses cinco mais, a Bahia apresentou, em termos absolutos, a terceira maior geração de emprego da região, 40.922 (3,37%).
Fonte: SECOM

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.