Flávio Dino lidera pesquisa com mais de 20 pontos à frente de Roseana Sarney, diz pesquisa

Pesquisa foi realizada pelo Instituto Data Ilha, entre os dias 28 e 30 de agosto.

Página 2 – O governador Flávio Dino lidera a corrida para as eleições 2018 com mais de 20 pontos de vantagem sobre a ex-governadora Roseana Sarney (PMDB) e venceria em primeiro turno em todos os cenários. É o que mostra pesquisa realizada pelo Instituto Data Ilha, entre os dias 28 e 30 de agosto.

Se as eleições para o governo do Estado fossem hoje, Flávio Dino teria 52,47% dos votos, enquanto Roseana teria 30,51%. Brancos e nulos somam 10,74% e 6,27% não sabem ou não responderam.

Em votos válidos a diferença é ainda maior. Flávio Dino aparece com 63,23% dos votos válidos contra 36,77 de Roseana Sarney.

Diferença fixa

Na pesquisa espontânea, Flávio Dino lidera com cerca de 40% das intenções de votos e Roseana Sarney tem menos de 20%. Brancos e nulos 7,18%. Não sabem ou não responderam 28,47%.

O Instituto Data Ilha ouviu 2.104 pessoas em 37 cidades de todas as regiões do Estado. A margem de erro da pesquisa é de 3,3 pontos percentuais para mais ou para menos com intervalos de confiança de 95%.

Em evento da maçonaria, general do Exército sugere intervenção militar

Antonio Mourão diz que “solução” pode ter que ser imposta

Jornal do Brasil

O general da ativa do Exército Antonio Hamilton Mourão participou de um evento da maçonaria em Brasília na sexta-feira (15) e, depois de uma palestra de 50 minutos, sugeriu que uma saída para os problemas da política no país seria uma intervenção militar. A declaração foi feita em resposta ao questionamento de um dos presentes, sobre a possibilidade de intervenção no momento em que Michel Temer é denunciado pela segunda vez.

“[…] ou as instituições solucionam o problema político retirando da vida pública o elementos envolvido em todos os ilícitos ou então nós teremos que impor uma solução”, destacou o general, que é secretário de economia e finanças da Força.

“Os Poderes terão que buscar uma solução. Se não conseguirem, temos que impor uma solução. E essa imposição não será fácil. Ela trará problemas. Pode ter certeza”, completou Mourão. O vídeo com a declaração foi compartilhado nas redes sociais.

O PT publicou uma nota oficial criticando a declaração do general, destacando que o posicionamento “fere frontalmente a Constituição e ameaça seriamente a democracia”. A nota acrescenta que o general foi afastado do Comando Militar do Sul, em 2015, por ter manifestado ideias a favor de uma ação militar na política.

“A nova transgressão requereria imediatas providências por parte do Comando-Geral do Exército e do Ministério da Defesa, para ratificar o compromisso das Forças Armadas com a Constituição e impedir que fatos como estes se repitam”, diz a nota, assinada pela presidente da legenda, Gleisi Hoffmann.

A palestra de sexta-feira foi promovida por uma loja maçônica de Brasília e acompanhada por integrantes do Rio de Janeiro e de Santa Catarina, entre outros.

O Fórum Brasileiro de Segurança Pública, organização não governamental, também em nota, disse que vê com “preocupação e estranheza” a sugestão do general. “Esta declaração é muito grave e ganha conotação oficial na medida em que o General estava fardado e, por isso, representando formalmente o Comando da força terrestre. Ela é ainda mais grave por ter sido emitida pelo Secretário de Economia e Finanças, responsável pelo gerenciamento de recursos da Força e, portanto, soar como chantagem aos Poderes constituídos em um momento de restrição orçamentária.”

O comandante do Exército, general Eduardo Dias da Costa Villas Bôas, informou por meio de nota à imprensa que o Exército reafirma constantemente seu compromisso de pautar as ações na legalidade, estabilidade e legitimidade.

Ao jornal O Estado de São Paulo, Mourão alegou que “não está insuflando nada” e que “não defendeu, apenas respondeu a uma pergunta”. Disse ainda que “não é uma tomada de poder. “Não existe nada disso. É simplesmente alguém que coloque as coisas em ordem, e diga: atenção, minha gente. Vamos nos acertar aqui e deixar as coisas de forma que o país consiga andar e não como estamos.”

Secretaria de Saúde de Araioses fará mutirão do Glaucoma na próxima sexta-feira, dia 22

A Secretaria Municipal de Saúde de Araioses torna pública a toda população de Araioses que realizará na próxima sexta-feira, dia 22, o mutirão do Glaucoma no Hospital Nossa Senhora da Conceição a partir das 7 horas.

Os interessados deverão comparecer levando cópias do CPF, RG, cartão do SUS e comprovante de residência.

Câmara aprova instalação de CPI para apurar supostas irregularidades no governo do prefeito de Araioses

Em sessão realizada na manhã de hoje (15) a Câmara de Vereadores de Araioses aprovou por unanimidade, dos 11 verdores presentes na hora da votação, à instalação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito – CPI, para apurar supostas irregularidades cometidas na gestão do Dr. Cristino Gonçalves de Araújo a frente do executivo municipal araiosense.

A sessão foi acompanhada de muita gente que não só ocupou a galeria da casa como também corredores e outras dependências do prédio do Legislativo Municipal.

Após a votação foi feito o sorteio dos membros da CPI onde a presidência ficou com Ingram de Tarso Ferreira da Silva (PNM), a relatoria com José Arnaldo Souza Machado (PEN) e como membro, o vereador Oziel Garcia de Lima (PR).

A CPI tem prazo de 90 dias para a realização de seus trabalhos. Se isso não ocorrer ela perde seu sentido e não terá mais nenhuma validade.

Entidades do PSDB protestam contra a forma de ingresso do senador Roberto Rocha

Jorge Vieira – Antes mesmo de assinar a ficha de filiação, o senador Roberto Rocha já começa promover discórdia no ninho dos tucanos. Nesta sexta-feira (15), representantes do Instituto Teotonho Vilela, PSDB Mulher e Juventude do PSDB emitiram nota reclamando da forma que ele encontrou para entrada do partido, sem o conhecimento prévio da representação local. Veja abaixo a íntegra dos manifestos.

INSTITUTO TEOTÔNIO VILELA NO MARANHÃO

NOTA À IMPRENSA

Diante da decisão da executiva nacional do PSDB, referendando a filiação do senador Roberto Rocha ao partido, o Instituto Teotônio Vilela – MA deixa clara sua posição de descontentamento com o posicionamento adotado.

O Instituto considera que a forma como o processo vem sendo dirigido, a ponto da filiação sequer ter sido colocada antecipadamente aos membros do diretório estadual, desconsidera a autonomia e o trabalho realizado pelo partido no estado.

Assim, o Instituto reitera seu apoio incondicional ao diretório estadual do partido e às decisões que sejam tomadas por seus membros, sobretudo aquelas que dizem respeito às disputas presidenciais de 2018, deixando claro o seu compromisso à candidatura própria pelo PSDB à vaga da presidência da República.

José de Ribamar Soares

Presidente do Instituto Teotônio Vilela no Maranhão

JUVENTUDE DO PSDB NO MARANHÃO

NOTA À IMPRENSA

A Juventude do PSDB maranhense, diante da posição da executiva nacional de autorizar a filiação do senador Roberto Rocha ao partido, esclarece que:

– Assim como o diretório estadual, considera legítima a filiação de qualquer novo membro. No entanto, defende que esta inserção se dê sempre de forma democrática e com conhecimento prévio dos membros da legenda, como é normal em qualquer instituição;

– Defende ainda que todo e qualquer novo filiado deve alinhar seus projetos pessoais levando em conta os caminhos direcionados pela executiva estadual, que sempre toma suas decisões de forma plena e democrática; como, por exemplo, o apoio incondicional a uma candidatura própria do partido à presidência do país;

Por fim, pela forma como o processo de filiação do senador foi conduzido, sem uma consulta prévia à direção estadual do partido, a JPSDB no Maranhão expressa seu descontentamento, ao mesmo tempo em que espera que tudo seja resolvido da melhor forma possível, considerando sempre o melhor para o partido, observada a realidade da política local.

Nunes Júnior

Presidente da JPSDB no Maranhão

PSDB MULHER NO MARANHÃO

NOTA À IMPRENSA

A representação das mulheres tucanas no Maranhão, por meio de sua presidência no estado, deixa claro a sua insatisfação quanto a forma que o senador Roberto Rocha filiou-se ao partido. A saber:

– O processo de filiação do senador não foi discutido internamente, entre os membros estaduais do partido. Consideramos que a entrada de um senador para o nosso quadro seja de total interesse para a sigla, mas é justo e necessário que estejamos cientes das implicações dessa iniciativa;

– Estamos alinhadas com os interesses coletivos da executiva estadual maranhense e assim permaneceremos. O diálogo é sempre a melhor forma de se definir importantes decisões para o partido pelo qual lutamos e fazemos parte;

– O PSDB Mulher no Maranhão não se identifica com as ideias expostas pelo senador Roberto Rocha a respeito de sua filiação, com base no que vem sido divulgado na imprensa local e nacional. Filiar-se é um ato louvável. Tornar uma filiação como forma de conduzir intenções individuais, não;

– Desta forma, nos solidarizamos incondicionalmente com todas as implicações e decisões que serão tomadas pela executiva estadual do partido, de forma coletiva e representativa, tanto em nível estadual quanto em nível nacional, com o apoio público à candidatura própria de um nome para a presidência da República, em 2018, pelo PSDB.

Pryscilla Moraes

Presidente do PSDB Mulher no Maranhão

“Eu fui mexer com os poderosos, e estou aqui agora”, lamentou Joesley em depoimento

Jornal do Brasil

Em depoimento à 6ª Vara da Justiça Federal em São Paulo, o empresário Joesley Batista, do grupo JBS, criticou o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, nesta sexta-feira (15).

“Eu fui mexer com os poderosos, com os donos do poder, e estou aqui agora”, afirmou.

Joesley participa de audiência de custódia na investigação sobre uso de informações privilegiadas para lucrar no mercado financeiro.

“Acho que o procurador foi muito questionado pelo motivo da nossa imunidade. Acho que foi um ato de covardia dele. Nós fizemos a maior a mais importante colaboração da história”, acrescentou em depoimento.

Depois da declaração, o juiz questionou o empresário sobre o motivo do comentário, já que a audiência é sobre o processo da bolsa de valores e ações da J&F: “É a primeira vez que estou tendo oportunidade de falar”, respondeu.

Antes da audiência ter início, o advogado de defesa de Joesley, Pierpalo Bottini, adiantou que o empresário “pretende narrar, mais uma vez, a impressão deles dos fatos”. Bottini também criticou a decisão do Tribunal Regional Federal 3, que negou nesta sexta-feira os dois pedidos de habeas corpus para os irmãos. De acordo com o advogado, a defesa entende a prisão dos dois como “absolutamente frágil”.

“Estamos impetrando hoje um habeas corpus no STJ [Superior Tribunal de Justiça] para tentar rever e corrigir a ilegalidade dessa prisão”.

Para Bottini, ocorre um excesso da Justiça. “Não há qualquer elemento novo que justifique essa prisão. Todos os elementos que foram usados para decretar a prisão já eram do conhecimento do MP [Ministério Público] e do juiz há meses e nunca foi decretada essa prisão. Teve busca e apreensão, eles se apresentaram à Justiça, prestaram depoimento, entregaram todos os documentos, de forma que não há qualquer razão para a decretação [da prisão] nesse momento.”

O advogado disse ainda não saber, ainda, para onde seu cliente será levado após a audiência. “Mas o fundamental é garantir a segurança dele. Ele é um colaborador. Colocá-lo em sistema prisional comum é temerário. Por isso, pedimos que ele fique na PF.”

Governo divulga edital para concurso do Procon/MA

O Governo do Maranhão, por meio da Secretaria de Estado da Gestão e Previdência (Segep), divulgou na quarta-feira (13), o edital do concurso público para o cargo de fiscal de defesa do consumidor para o Instituto de Promoção e Defesa do Cidadão e Consumidor do Maranhão (Procon/MA). São disponibilizadas 10 vagas para o quadro permanente da instituição. Os interessados deverão se inscrever no site da Fundação Carlos Chagas, no endereço eletrônico: http://www.concursosfcc.com.br/concursos/proma117/index.html. As inscrições serão realizadas, exclusivamente, via Internet, no período das 10h da próxima segunda (18), às 14h do dia 16 de outubro. A remuneração é de R$ 3.890,00 (três mil oitocentos e noventa reais).

A partir do dia 20 de outubro, o candidato poderá conferir no endereço eletrônico da Fundação Carlos Chagas, se os dados da inscrição foram recebidos e o valor da inscrição foi pago. Em caso negativo, o candidato deverá entrar em contato com o Serviço de Atendimento ao Candidato – SAC da Fundação Carlos Chagas, pelo telefone (0XX11) 3723-4388, de segunda a sexta-feira (úteis), das 10 às 16 horas (horário de Brasília), para verificar o ocorrido.

Às pessoas com deficiência serão reservadas 5% (cinco por cento) das vagas existentes, que vierem a surgir ou que forem criadas no prazo de validade do Concurso. O candidato deverá declarar no ato da inscrição, ser pessoa com deficiência, especificando-a no Formulário de Inscrição, e que deseja concorrer às vagas reservadas. Para tanto, deverá encaminhar, durante o período de inscrições – 18 de setembro a 16 de outubro de 2017, a documentação exigida via Internet, por meio do link de inscrição do Concurso Público.

Serão reservadas aos candidatos negros, no mínimo 20% (vinte por cento) das vagas existentes e das que vierem a surgir durante o prazo de validade do concurso, na forma da Lei Estadual nº 10.404/2015, e do Decreto Estadual nº 32.435/2016. Para candidatar-se às vagas reservadas, o candidato deverá, no ato da inscrição, optar por concorrer às vagas reservadas aos candidatos negros, preenchendo a autodeclaração de que é preto ou pardo, conforme quesito cor ou raça, utilizado pela Fundação Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística – IBGE.

Conteúdo das provas
A Prova Escrita Objetiva de Conhecimentos Gerais e de Conhecimentos Específicos constarão de questões objetivas de múltipla escolha (com cinco alternativas cada questão). A Prova Escrita Subjetiva será realizada no mesmo dia e período de aplicação da Prova Escrita Objetiva de Conhecimentos Gerais e de Conhecimentos Específicos.

Prova Escrita Objetiva
Conhecimentos Gerais
-Noções de Administração
-Noções de Economia
-Direito Administrativo
-Direito Empresarial
-Direito Constitucional
-Direito Civil

Conhecimentos Específicos
-Direito do Consumidor-Legislação Especial

Prova Escrita Subjetiva

Aplicação das Provas
As Provas Escritas Objetiva e Subjetiva serão realizadas na cidade de São Luís – Estado do Maranhão, com previsão de aplicação para o dia 19 de novembro, no período da manhã.

Horários e Locais
A confirmação da data e as informações sobre horários e locais serão divulgadas, oportunamente, por meio de Edital de Convocação para as Provas, a ser publicado no Diário Oficial do Estado do Maranhão e no endereço eletrônico da Fundação Carlos Chagas (www.concursosfcc.com.br), e através de Cartões Informativos que serão encaminhados aos candidatos por mensagem eletrônica (e-mail). Para tanto, é fundamental que o endereço eletrônico constante no Formulário de Inscrição esteja completo e correto.

Por Lisiane Costa

Fonte: Segep

Dr. Cristino recebeu ontem viatura policial do Governo do Maranhão

Viatura vai melhorar as condições de segurança em Araioses e região.

Da esquerda para direita: Ednaldo Neves – secretário adjunto de articulação político do governo, Cristino Filho, Jefferson Portela – secretário de segurança do Maranhão, Dr. Cristino, governado Flávio Dino e Sargento Eisenhower

Impossibilitado de está na solenidade de entrega de viaturas policiais para reforçar a segurança nas cidades do Maranhão realizada dia 4 deste, o prefeito de Araioses esteve ontem no Palácio Henrique de La Rocque em São Luís para receber do governador a viatura que vai servir ao nosso município.

Na solenidade de entrega o prefeito estava acompanhado do Sargento PM Eisenhower, de Ednaldo Neves – secretário adjunto de articulação político do governo e de Cristino Filho.

Já receberam viaturas os municípios de: Alto Alegre do Maranhão, Amarante, Anapurus, Araguanã, Araioses, Arari, Bacuri, Barão de Grajaú, Boa Vista do Gurupi, Bom Jardim, Brejo, Capinzal do Norte, Coelho Neto, Dom Pedro, Esperantinópolis, Formosa da Serra Negra, Fortaleza dos Nogueiras, Gonçalves Dias, Governador Nunes Freire, Joselândia, Lago da Pedra, Lago Verde, Lima Campos, Matinha, Matões do Norte, Miranda do Norte, Montes Altos, Morros, Nova Olinda do Maranhão, Olinda Nova, Palmeirândia, Paraibano, Pedro do Rosário, Pio XII, Poção de Pedras, Presidente Sarney, Santa Helena, Santa Luzia do Paruá, Santa Quitéria, Santo Amaro, Santo Antônio dos Lopes, São Bento, São Domingos do Azeitão, São Luís Gonzaga, São Pedro da Água Branca, São Raimundo das Mangabeiras, Senador La Rocque, Sítio Novo, Turiaçu, Tutoia, Urbano Santos e Vitorino Freire.

Por unanimidade, Supremo rejeita suspeição de Janot para atuar contra Temer

André Richter – Repórter da Agência Brasil

O relator ministro Edson Fachin durante sessão do STF para decidir sobre suspeição do procurador-geral da República para atuar nas investigações relacionadas ao presidente – Foto: Michel Temer Valter Campanato/Agência Brasil

Por 9 votos a 0, o Supremo Tribunal Federal (STF) rejeitou hoje (13) pedido feito pela defesa do presidente Michel Temer para que seja declarada a suspeição do procurador-geral da República, Rodrigo Janot, para atuar nas investigações relacionadas ao presidente, iniciadas a partir das delações da JBS.

Os ministros seguiram o voto proferido pelo relator do caso, ministro Edson Fachin, que negou o mesmo pedido antes de o recurso chegar ao plenário. No voto proferido na sessão desta tarde, o relator disse que não há indícios de que Janot atuou de forma imparcial e com “inimizade” em relação a Temer.

Segundo Fachin, declarações do procurador à imprensa não podem ser consideradas como causa de suspeição. Na ação, a defesa de Temer também cita uma palestra na qual Janot disse que “enquanto houver bambu, lá vai flecha”, fazendo referência ao processo de investigação contra o presidente.

“A emissão de opinião por parte do chefe do Ministério Público da União, por si só, não se qualifica como hipótese de inimizade capital. Mais que isso, a explicitação das ações desencadeadas pelo Ministério Público afigura-se conduta potencialmente consentânea com a transparência que deve caracterizar o agir republicano,”, disse Fachin.

Votação

Votaram com o relator os ministros Alexandre de Moraes, Rosa Weber, Luiz Fux, Dias Toffoli, Ricardo Lewandowski, Marco Aurélio, Celso de Mello e a presidente, Cármen Lúcia.

Em seu voto, Lewandowski disse que as suspeitas contra o ex-procurador Marcello Miller, acusado de auxiliar a JBS durante o período em que esteve na PGR, não podem ser repassadas a Janot porque as causas de suspeição são pessoais. O ministro também citou que Janot não atuou exclusivamente contra Temer e apresentou denúncias contra políticos de outros partidos.

“Nós sabemos que o presidente da República não foi o alvo exclusivo das ações do procurador-geral da República. Também outros partidos, outros políticos dentro do espectro partidário foram igualmente atingidos”, disse o ministro.

Decano na Corte, Celso de Mello afirmou que a função do Ministério Público no campo penal é atuar com parcialidade por representar o poder punitivo do Estado.

“Não há que se falar em imparcialidade do Ministério Público, senão não haveria necessidade de juiz imparcial. O Ministério Público deve atuar como parte, senão debilitada estará a função repressiva. O MP não tem papel de defensor do réu e sim de órgão punitivo do Estado”, argumentou.

Cármen Lúcia

A presidente do STF, ministra Cármen Lúcia, durante sessão para decidir sobre suspeição do procurador-geral da República, Rodrigo Janot – Foto: Valter Campanato/Agência Brasil

Última a votar na sessão desta tarde, a presidente do Supremo, ministra Cármen Lúcia, garantiu que mudanças no comando das instituições brasileiras não vão alterar o cumprimento da lei e da efetividade das investigações que estão em curso no país.

“O processo de apuração e o dever de apuração é da instituição, e é muito importante, na minha compreensão, que nós nos afirmemos, cada vez mais, no sentido de dar cobro a importância da institucionalidade. A chamada Operação Lava Jato e todos os processos que se referem à matéria penal não vão parar [porque muda um ou outro]”, disse a ministra.

Luís Roberto Barroso participa nesta semana de uma viagem acadêmica aos Estados Unidos e não votou. Gilmar Mendes estava ausente na votação. Mendes é alvo de pedido de suspeição feito por Janot nas investigações envolvendo o empresário Jacob Barata Filho. Rodrigo Janot não participou da sessão e foi representado pelo vice-procurador eleitoral, Nicolau Dino.

Defesa de Temer

No início do julgamento, a defesa do presidente Temer voltou a afirmar que Janot agiu de forma parcial nas investigações envolvendo o presidente. Ao subir à tribuna da Corte, o advogado Antônio Claudio Mariz, representante de Temer, disse que a prisão dos empresários Joesley e Wesley Batista, cujas delações baseiam as acusações, podem indicar que Janot não teve os devidos cuidados na investigação.

“Não houve por parte do presidente da República, ao contrário do que afirma a denúncia, não houve nenhuma ação em que ele, presidente de República, tivesse solicitado, recebido, favorecido ou aceitado qualquer benesse, elementares do crime de corrupção”, disse Mariz.

STF: ministro Luís Roberto Barroso autoriza inquérito contra Michel Temer

Caso diz respeito a suposto favorecimento a uma empresa em decreto no setor dos portos

Jornal do Brasil

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Luis Barroso, autorizou a abertura de inquérito contra o presidente Michel Temer (PMDB). A investigação diz respeito a um decreto sobre portos teria favorecido uma empresa do setor, e envolve também o ex-deputado federal Rodrigo Rocha Loures, além de mais dois empresários. A suspeita envolve corrupção e lavagem de dinheiro na edição do decreto.

O pedido de abertura de investigação foi feito pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot, para apurar suspeitas de recebimento de vantagens indevidas dos envolvidos pelo suposto favorecimento da empresa Rodrimar S/A por meio da edição do Decreto dos Portos (Decreto 9.048/2017).

Barroso autorizou inquérito contra Michel Temer

O pedido de abertura do inquérito chegou ao Supremo em junho e foi remetido ao ministro Edson Fachin. Ao receber o processo, o ministro entendeu que o caso deveria ser redistribuído a outro integrante da Corte por não ter conexão com o inquérito que envolve Temer a partir das delações da JBS.

Nesta semana, a presidente da Corte, ministra Cármen Lúcia, determinou uma nova distribuição e Barroso foi escolhido o novo relator.

Em nota, a Rodrimar diz que  recebeu serenamente a notícia de autorização do Supremo Tribunal Federal para a abertura de um inquérito determinado a apurar se o setor portuário foi beneficiado pelo recente “decreto dos portos”. “Em seus 74 anos de história, a Rodrimar nunca recebeu qualquer privilégio do Poder Público. Prova disso é que todos os seus contratos estão atualmente sendo discutidos judicialmente”, diz a nota.

Ainda segundo a Rodrimar, o “decreto dos portos” atendeu, sim, a uma reivindicação de todo o setor de terminais portuários do país. “Ressalte-se que não foi uma reivindicação da Rodrimar, mas de todo o setor. Os pleitos, no entanto, não foram totalmente contemplados no decreto, que abriu a possibilidade de regularizar a situação de cerca de uma centena de concessões em todo o país”.

A Rodrimar encerra nota afirmando que, “assim como seus executivos, estão, como sempre estiveram, à disposição das autoridades para qualquer esclarecimento que se fizer necessário”.

Angra 3

Em delação já homologada pelo  ministro Edson Fachin, o corretor Lúcio Bolonha Funaro afirmou que o presidente Michel Temer sempre soube dos pagamentos de propina e se beneficiou do esquema no contrato de Angra 3. O corretor, que está preso, elencou quatro pessoas como operadores do presidente: José Yunes, seu ex- assessor, Wagner Rossi, ex-ministro da Agricultura, Marcelo Azeredo e o coronel João Batista Lima Filho. De acordo com o relato, Yunes seria o principal intermediário e usava a empresa de Lima, a Argeplan, para lavar os ganhos indevidos com o contrato de Angra 3. Delatores de empreiteiras – UTC, Andrade Gutierez e Camargo Corrêa – já relataram à Lava-Jato que houve propina envolvendo o PMDB na obra. Rossi e Azeredo, disse Funaro, operavam as propinas do Porto de Santos.

Escola Digna muda vida de professora de Tuntum que passou 24 anos ensinando até debaixo de árvore

João Pedro aprovou a nova escola do Povoado Placa Violão (Karlos Geromy)

“Eu estou há 24 anos nessa área e nunca tinha trabalhado num prédio, só em salinha emprestada. Até debaixo de árvores já dei aula”, diz a professora, que também é gestora da escola, no povoado Placa Violão. Luiza conta que as dificuldades apareciam quase diariamente: “Às vezes, tinha marimbondo dentro da sala, tinha que sair. E hoje é um sonho realizado”.

A escola foi inaugurada nesta terça-feira (12) pelo governador Flávio Dino, que esteve em Tuntum e entregou um pacote de obras e investimentos para a cidade. “Estou feliz de ver rostos marcados pela luta da vida, mas ao mesmo tempo com brilho de esperança no olhar, com fé em dias melhores para todos nós”, afirmou o governador.

professora Luíza Sousa

Além desse colégio, Flávio também entregou a Escola Municipal Unidos Para Vencer, no povoado Olho d’Água. Como a outra, esta tem duas salas e capacidade para 60 alunos por turno. Para cada uma das obras foram investidos R$ 388 mil.“O Escola Digna traz a melhoria do processo de ensino-aprendizagem, para ajudar nossos professores e nossos estudantes”, disse o secretário da Educação, Felipe Camarão.

Com duas salas e capacidade para 60 alunos por turno escola foi inaugurada nesta terça (12)

Fonte: Secap

Biografia de João do Vale para crianças terá novo lançamento em São Luís

Evento acontece na Galeria Hum, no São Francisco, com a presença do ilustrador do livro, João o menino cantador, o artista plástico Fernando Mendonça, e da autora, a jornalista Andréa Oliveira, além da cantora Rosa Reis que fará uma participação especial.

Ed Wilson Araújo – Do garoto do interior que vendia doces ao artista reconhecido como maranhense do século 20 no ano 2000, a trajetória do compositor maranhense é apresentada em prosa e nos versos das canções de João do Vale que embalam a narrativa. Nas 36 páginas do livro estão estampadas as nove imagens criadas por Fernando Mendonça especialmente para o projeto.

“A presença dele estava no livro antes de ele aceitar participar. O João menino que escrevi só poderia existir de fato nas cores e formas do Fernando. Por isso fico muito feliz de fazer um novo lançamento, agora com a presença dele”, diz Andréa Oliveira. Mendonça não pode vir quando o livro foi lançado em junho. Na Galeria Hum, o artista vai disponibilizar cópias assinadas das ilustrações em tamanho maior para quem quiser colocá-las em molduras.

Essa é a primeira experiência de Fernando Mendonça com livros infantis. O artista plástico está entusiasmado com a parceria. “Fazer imagens para o universo infantil é uma experiência nova e única pra mim. Me sinto mais rico depois desse parto demorado, cheios de caminho por trilhar e com gosto de quero mais”, afirma.

O trabalho o inspirou a continuar experimentando com o universo infantil. Atualmente o artista dialoga com um grupo de contação de histórias do Rio de Janeiro chamado Poranduba Canções e Histórias, criado pela educadora Marisa Silva. “Nossa ideia é lançar novos livros infantis ano que vem”, afirma ele.

João o menino cantador é o segundo trabalho de Andréa Oliveria sobre o compositor. Em 1998 ela lançou João do Vale, mais coragem do que homem, resultado da monografia de conclusão do curso de Comunicação Social (UFMA). A escritora esteve próxima do artista nos meses que antecederam sua morte. “Tive a imensa alegria de poder ter o próprio João ao meu lado contando suas histórias e mostrando, orgulhoso, o chão de sua terra”, conta a jornalista.

SERVIÇO

João o menino cantador, livro infantil de Andréa Oliveira, com ilustrações de Fernando Mendonça

Participação especial de Rosa Reis

Lançamento: 14 de setembro, às 19h

Galeria Hum – Rua Professor Nascimento de Moraes, 121 – São Francisco

Ilustração: Fernando Mendonça

Estado vai economizar mais de R$ 2 milhões com mão de obra carcerária no ‘Rua Digna’

A fábrica de blocos de concreto e meio-fio do Complexo Penitenciário de São Luís . (Foto: Clayton Monteles)

Trinta novas oficinas de trabalho foram abertas pelo Governo do Estado, no Sistema Penitenciário do Maranhão, apenas durante a XVIII Semana do Encarcerado. Agora, com um total de 133 novas frentes de trabalho operando em todas as unidades prisionais, a Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap) estima mais resultados positivos no âmbito da ressocialização, e uma economia significativa com o aumento da mão de obra carcerária.

Uns dos mais emblemáticos exemplos desta considerável contenção de gastos, por meio do trabalho dos detentos, são as três fábricas de blocos de concreto e meio fio, que hoje funcionam no Complexo Penitenciário São Luís. Responsável por abastecer o programa Rua Digna do Governo do Estado, cujo objetivo é pavimentar ruas de comunidades carentes, as fábricas devem gerar, até 2018, uma economia de mais de R$ 2,3 milhões, somente na compra das peças pré-moldadas.

“Hoje, um bloco de concreto com as mesmas especificações dos produzido no sistema custa R$ 3,31. Feito pelos detentos, esse mesmo bloco custa R$ 0,98. Considerando a diferença de R$ 2,33, economizada em cada peça, e que a Seap deve fornecer cerca de 1 milhão de blocos ao ‘Rua Digna’, até o próximo ano, podemos antecipar que o Estado terá alguns milhões disponíveis para aplicar em outros serviços”, explica o secretário Murilo Andrade de Oliveira.

A economia do erário estadual prevista com a mão de obra carcerária também vai vir de outras frentes de trabalho. A compra de fardamento para os apenados, antes feita a partir de serviços terceirizados, agora se limita apenas à aquisição de insumos, já que há várias malharias e serigrafias em pleno funcionamento nas unidades prisionais do estado. “Compramos o tecido, a linha, a tinta, mas as peças são produzidas pelos internos e internas”, completa o titular da Seap.

Mudança de comportamento

A programação da XVIII Semana do Encarcerado se manteve entre os dias 21 e 25, na capital, e de 28 de agosto a 1º de setembro nos demais municípios. Na região metropolitana, apenas no dia 22, foram inauguradas 14 oficinas de trabalho, mais uma Unidade Básica de Saúde (UBS), no Complexo Penitenciário. Nas unidades prisionais do interior foram mais 16 frentes de trabalho abertas. A oportunidade de renda digna tem mudado o comportamento dos detentos.

A secretária adjunta de Atendimento e Humanização Penitenciária (SAAHP), Odaíza Gadelha, garante que o trabalho ajuda a melhorar a socialização do interno dentro e fora do cárcere. “O interno que trabalha na unidade prisional apresenta melhora considerável no comportamento e nas relações interpessoais, uma vez que, muda sua perspectiva de vida através do aprendizado de uma nova profissão; e isso lhe possibilita um retorno digno à sociedade”, resume Gadelha.

Durante a programação, na capital, foram abertas no Complexo Penitenciário São Luís uma confecção de roupas para recém-nascidos; uma de artigos de casa; outra de peças íntimas; sabonetes, e um salão de beleza. No mesmo dia foram inauguradas, ainda, a terceira fábrica de blocos; uma serralheria; uma horta; uma de reciclagem de papéis para produção de blocos de anotação; uma serigrafia; duas oficinas de arte; uma confecção de redes; e outra de almofadas.

Nas unidades prisionais do interior, foram abertas uma oficina de arte em gesso e uma horta na UPR de Caxias; e uma fábrica de produção de panelas na UPR de Timon, onde também foram inauguradas uma oficina de arte em gesso e uma horta. Nas duas unidades prisionais de Imperatriz foram cinco novas frentes de trabalho abertas: artesanato em vime e em palitos de picolé; duas malharias; uma serigrafia; e a oficina de confecção de redes de descanso.

Foram inaugurados ainda dois salões de beleza, um na UPR de Balsas e outro na UPR de Açailândia; e uma malharia, uma oficina de arte em gesso, e uma horta na UPR de Itapecuru Mirim. Com estas novas frentes de trabalho abertas, o Sistema Penitenciário do Maranhão passa a ter mais de 2.459 internos inseridos em ações de trabalho e renda. O número equivale a mais que 28% da população carcerária do estado, em plena produção de mão de obra.

Fonte: Agência de Notícias

PSB reelege Luciano Leitoa e aprova por unanimidade expulsão de Roberto Rocha

Blog do Garrone – O Partido Socialista Brasileiro no Maranhão (PSB/MA) realizou neste final de semana, sábado (09) e domingo (10), o Congresso Estadual da sigla na Assembleia Legislativa, em São Luís. O momento foi marcado por importantes decisões, a aclamação do prefeito de Timon, Luciano Leitoa, para a presidência do Diretório Estadual, e a expulsão do senador Roberto Rocha por descumprir o Estatuto e o Código de Ética e Fidelidade partidária. A sigla decidiu também pelo apoio reeleição do governador Flávio Dino (PCdoB).

O evento, marcado pelo espírito da democracia, fidelidade, socialismo e liberdade, reuniu lideranças, delegados e representantes dos segmentos sociais da sigla de todo o estado, além de nomes do Diretório Nacional, presidente Carlos Siqueira, da secretária de Mulheres, Dora Pires, do secretário de Movimento Sindical, Jailson Cardoso, e do governador Flávio Dino.

A leitura da militância é que o nome mais indicado para comandar a sigla no Estado do Maranhão é o prefeito Luciano Leitoa, pela excelente liderança que teve neste último mandato e pela trajetória de luta pauta no diálogo e lemas do partido. O presidente Nacional Carlos Siqueira já tem, inclusive, apoio declarado do Diretório Estadual do Maranhão para continuar comandando o partido no Brasil.

O PSB é um partido genuinamente nordestino, fundado por Miguel Arraes, posteriormente conduzido por Eduardo Campos.  “Carlos Siqueira, que com fé em Deus, haverá de continuar a frente da presidência do partido por manter os pensamentos, com os ideais que o PSB sempre teve desde as suas raízes”, declarou.

Leitoa falou também do fortalecimento da sigla em São Luís, no Maranhão e no Brasil e afirmou que mais importante do que deter mandatos é fortalecer o PSB. “E eu fico olhando como é que uma pessoa consegue fazer com que todos aqueles que o apoiaram, ficassem contra ele. É o mal de quem não tem votos e se elege enganchado no cangote de outro, mas, graças a Deus, o PSB é muito maior do que os mandatos, e muito maior do que um senador”, declarou ao lembrar que os mandatos passam e o que fica é o legado.

ROBERTO ROCHA FORA DO PSB

O pedido de expulsão do senador Roberto Rocha é de autoria do deputado estadual Bira do Pindaré, presidente do Diretório Municipal em São Luís, dirigido ao Congresso e representa um clamor da militância, que, durante o evento, debateu o assunto e defendeu a importância de se tomar providências. Segundo o documento, o senador não segue as orientações partidárias e traiu o projeto que o elegeu senador da república.

“O PSB acabou de decidir que vai apoiar a reeleição do governador Flávio Dino (PCdoB), enquanto isso, o senador adota uma postura de como ele se tivesse sido eleito pelo grupo Sarney, mas ele foi eleito por nós aqui. Sem o nosso apoio e sem o apoio do governador Flávio Dino ele nem mandato teria”, frisou o presidente do PSB/São Luís ao acrescentar que a postura assumida por Rocha expressa ingratidão e infidelidade, e faz dele indigno de um partido da envergadura do PSB.

Episódios envolvendo o PMDB podem fazer com que Roseana se decida a deixar disputa pelo governo do Maranhão…

As últimas notícias, envolvendo o PMDB, abriram nova crise no grupo Sarney

Sílvia Tereza – Após um longo e trágico feriado, segundo informações de bastidores, a ex-governadora Roseana Sarney já admite, aos mais próximos, que se sente desestimulada a disputar as eleições de 2018 e que deve desistir de concorrer ao governo. Primeiro porque seu desgaste só aumenta com a descoberta de novos escândalos, envolvendo seu partido, o PMDB, a cada dia.

De acordo com uma fonte do blog, ela não vislumbraria nenhuma estratégia que possa reverter a alta popularidade do seu principal adversário, o governador Flávio Dino (PCdoB).

Somente neste feriadão, Roseana viu seu amigo, o ex-ministro Geddel Vieira Lima, preso após ser descoberto um ‘bunker’ com R$ 51 milhões, viu o pai José Sarney e o fiel escudeiro Edison Lobão terem seus nomes citados no esquema do PMDB, que desviou R$ 864 milhões e, no domingo, um outro escândalo no Maranhão, com desvios de R$ 18 milhões, para obras após enchentes no Estado em 2009.

Somente em uma semana, escândalos que chegam a quase R$ 1 bilhão, supostamente envolvendo o PMDB e o grupo Sarney, teriam desmotivado a ex-governadora a voltar a concorrer às eleições no Maranhão.

Com tantas denúncias contra o PMDB e seu grupo, a tendência é que Roseana saia do foco da disputa pelo governo do Maranhão mais cedo do que se imaginava.