PC Farias chegou antes da hora

Por Fernando Brito no TIJOLAÇO

Nas redes sociais bolsonaristas, periferia do esquema em que se sustenta o atual presidente, a bomba que o Jornal Nacional detonou ontem – com os 48 depósitos sequenciais, em rajadas de poucos minutos, na conta de Flávio Bolsonaro – teve o efeito da Operação  Choque e Pavor, desfechada pelos EUA contra o Iraque, em 2003.

As labaredas são visíveis na internet, em várias tonalidades: desde os “arrependidos”, passando pelos “decepcionados” e pelos “atônitos”, até os que bradam contra o “Grande Satã” global, atribuindo tudo a uma trama urdida no Jardim Botânico.

As estruturas do governo não foram atingidas, o líder não foi  diretamente alcançado, mas os efeitos políticos são evidentes: desapareceu a garantia de que a casamata do bolsonarismo era invulnerável e que garantia proteção absoluta contra os mísseis da mídia e as tropas do Ministério Público.

Mais que danos diretos, o estrago principal foi que o episódio faz com que, exceto os kamikaze, os mais prudentes tiveram a devida sinalização a manterem-se longe do bunker familiar de Bolsonaro, depois de aberta a imensa rachadura de ontem.

É inevitável que, nos cenários estratégicos de gente acostumada a imaginá-los a opção “Bolsonaro Fugaz” tenha subido alguns lugares na lista de situações possíveis ou prováveis. Só quem delira ao acreditar que Jair Bolsonaro ascendeu à Presidência sozinho, por seus méritos e talentos, pode acreditar que não há núcleos de poder, econômicos, militares e políticos que não o encaram como líder, mas como ferramenta.

Com a companhia luxuosa, claro, dos que viram nele uma escada confortável para suas próprias ambições, na qual tivesse o trampolim para seus vôos futuros, como é o caso de Sérgio Moro.

Nestas áreas, as chamas não são visíveis, nem muito se ouvirá, no início, do crepitar das contestações. Mas o braseiro está aceso e as pressões para que se faça logo o que se esperava ao levar Bolsonaro ao Planalto vão se acentuar, a começar pela reforma da Previdência.

Esta turma, que sabe muito bem como manipular os cordéis do poder sempre esperou pela chegada de um PC Farias, um personagem rastaquera que exibisse a lama de onde fizeram brotar o seu controle político sobre o país.

Esperava, mas não contava com que viesse tão cedo.

Antes da hora.

Obras de prolongamento da Litorânea avançam e chegam a nova fase

Obra de ampliação da Litorânea avança em São Luís. (Foto: Karlos Geromy)

O prolongamento da Avenida Litorânea para instalação do BRT (Transporte Rápido por Ônibus) é a maior obra de mobilidade urbana intermunicipal do Maranhão. As obras já entraram em uma nova etapa.

O Governo do Maranhão, por meio da Agência Estadual de Mobilidade Urbana e Serviços Públicos (MOB), iniciou serviço de terraplenagem e aplicação de mantas e pedras de contenção no trecho de quase 2 mil metros na extensão. Vai da altura do Rio Pimenta até a Avenida São Carlos, entre a Avenida Litorânea e a Praia do Olho D’água.

“Estamos aplicando uma contenção com aterro de pedras e mantas que impedem tanto a saída de material para a praia, quanto a entrada de água e possíveis infiltrações que podem causar deformações no pavimento. É uma ação complexa em função da orla, da água e das particularidades da região”, explica o presidente da MOB, Lawrence Melo.

O prolongamento da Avenida Litorânea compõe a primeira fase de implantação do sistema de tráfego binário de transporte tipo BRT. Com investimentos de R$ 140 milhões, além do novo tipo de transporte, a obra vai requalificar a Avenida Litorânea e a Avenida dos Holandeses.

Será feita a instalação de ações de urbanização, paisagismo, ciclovias, calçadas, estacionamentos e áreas para caminhada numa extensão de 20 km, beneficiando os moradores de São Luís e das cidades de Raposa e Paço do Lumiar.

Rapidez e conforto

Para Lawrence Melo, um dos maiores ganhos da implantação do BRT será a economia de tempo em trajetos intermunicipais. (Foto: Karlos Geromy)

A requalificação das Avenidas Litorânea e Holandeses para implantação do BRT deverá encurtar em mais de 40 minutos as viagens diárias de milhares de usuários do serviço de transporte público intermunicipal na Grande Ilha.

O transporte tipo BRT vai interligar os municípios da região e melhorar a circulação do transporte coletivo metropolitano, com dois Terminais de Integração.

Para o presidente da MOB, Lawrence Melo, a economia de tempo é um dos grandes ganhos do novo tipo de transporte a ser implantado. “Nós temos hoje um grande gargalo na MA-201, mas com a concepção de integração de transporte que nós pensamos, os passageiros que utilizam o serviço intermunicipal nesse trecho economizarão no mínimo 20 minutos para ir e 20 minutos para voltar, usando o Sistema BRT”, diz.

“São ônibus biarticulados com tecnologia embarcada, trafegando por um corredor exclusivo e com sistema semafórico que garante que eles transitem sem interrupções, com sinal sempre verde. A determinação do governador Flávio Dino é para oferecermos uma alternativa eficiente de transporte público para a população”, acrescenta Lawrence.

Mais empregos

Com cronograma de conclusão em 24 meses, a implantação do Sistema BRT deve gerar centenas de empregos no setor de construção civil tanto em São Luís, quanto nos municípios da Ilha.

Para fazer a implantação da infraestrutura, a obra civil de ampliação da Avenida Litorânea já usa mão de obra de dezenas de trabalhadores. Nesse trecho, a obra utiliza material de pedreiras certificadas que são levadas do município de Bacabeira até o local da obra.

“É uma obra que já está gerando trabalho e renda para muitos trabalhadores, mas a maior parte dos empregos vai ser gerada com a fase de acabamento, que requer uma diversidade maior de mão de obra em função dos materiais que utilizaremos”, avalia Lawrence Melo.

Incremento no turismo

Obra de ampliação da Litorânea avança em São Luís. (Foto: Karlos Geromy)

A implantação do BRT inclui a requalificação da orla. Além das obras de urbanização e paisagismo, o Governo do Maranhão iniciou o Projeto de Implantação de Barracas Padronizadas para uso de comerciantes na Praia do Araçagi.

“Nós conversamos com o presidente da Agência Executiva Metropolitana (Agem), Lívio Corrêa, que nos mostrou o projeto das barracas conjugadas que oferecem toda a infraestrutura para receber mais frequentadores. Isso atrai mais turistas e gera condições adequadas de trabalho para os comerciantes da região”, explicou Lawrence Melo.

A requalificação da Litorânea e a padronização do comércio no Araçagi se unem ao trabalho de despoluição da orla de São Luís, realizado desde o início da gestão Flávio Dino para ampliar a oferta de atrações turísticas na capital maranhense.

Em operação conjunta, policiais de Araioses prendem Nego Jaime, meliante procurado no Maranhão e no Piauí

Antonio Jaime Araújo Cardoso – “Nego Jaime”, meliante procurado no Piauí e no Maranhão foi preso pela Polícia de Araioses

Em operação conjunta comandada pelo delegado de Araioses Dr. Raphael Reis foi preso na manhã de hoje (18), o meliante nacional Antonio Jaime Araújo Cardoso – “Nego Jaime”, 29 anos, pela prática dos crimes de FALSIFICAÇÃO DE DOCUMENTO PÚBLICO, CORRUPÇÃO DE MENORES e RECEPTAÇÃO.

Nego Jaime ainda é investigado em outros inquéritos policiais pela prática de crimes de HOMICÍDIO, TRÁFICO DE DROGAS e ASSOCIAÇÃO CRIMINOSA, crimes estes praticados nas cidades de Parnaíba/PI e Araioses/MA.

O acusado chefiava quadrilha especializada em roubos e furtos de motocicletas na cidade de Parnaíba/PI que eram trazidas e vendidas por receptadores na cidade de Araioses, de igual forma, trazia drogas do Estado do Ceará que eram distribuídas a traficantes das duas cidades. O preso foi conduzido para a Unidade Prisional de Ressocialização de Tutoia, de onde será recambiado para as Unidades Prisionais de Chapadinha ou São Luís.

A OPERAÇÃO CONJUNTA foi deflagrada pela Delegacia de Polícia Civil de Araioses – 20ªDRB e pelo 2º Batalhão de Polícia Militar de Parnaíba – GAECIM – Força Tática – Reservado onde foi efetuado cumprimento de MANDADO DE PRISÃO PREVENTIVA contra Nego Jaime.

Os trabalhos foram coordenados pelo Delegado Titular de Araioses/MA – Raphael Reis e pelos Tenentes PMPI Souza Filho e Madislan do 2º BPM.

Em tempo: Mais uma vez lembramos que o sucesso das operações policiais depende da colaboração da população, que pode denunciar ou dar informações de forma anônima através dos telefones: (98) 3478-1567 e (98) 98613-8877, no WhatsApp Denúncia da Polícia Civil.

Com informações do Dr. Raphael Reis – Delegado Titular de Araioses

Procurado pela Polícia no Piauí e Maranhão é preso em operação no litoral do Piauí

Dezessete pessoas foram presas durante operação no Litoral do Piauí. Prisões aconteceram de Parnaíba e dentro da penitenciária da cidade, e duas no estado de São Paulo.

Por Bom Dia Piauí, G1 PI

Operação cumpre 16 mandados de prisão em Parnaíba – captura de tela TV Clube

Dezessete pessoas foram presas na manhã desta sexta-feira (18) durante uma operação para cumprimento de mandados de investigados por crimes cometidos no Litoral do Piauí. Um dos alvos era procurado pela Polícia de Araioses, no Maranhão. Duas pessoas foram presas no Estado de São Paulo, e um mandado foi cumprido na Penitenciária Mista de Parnaíba.

De acordo com o delegado Willame Moraes, coordenador da Delegacia de Capturas (Dicap), a operação visou cumprir 16 mandados de prisão preventiva expedidos pela Justiça do Piauí e um mandado expedido pela Justiça do Maranhão. Os alvos são pessoas já investigadas e com inquérito concluído.

Procurado no Maranhão e Piauí

Um dos alvos da operação, o homem identificado como Antonio Jaime Araújo Cardoso, conhecido como “Nêgo Jaime”, foi preso pela Polícia do Estado do Maranhão. De acordo com o delgaedo Rafael Reis, da delegacia de Araioses, a 91 km de Parnaíba, o homem responde por crimes de associação criminosa, receptação, furtos, roubos e homicídios.

17 pessoas foram presas durante operação em Parnaíba, no litoral do Piauí — Foto: Kairo Amaral/TV Clube

“Em Araioses ele já responde a três inquéritos. Aqui é Parnaíba foram dois homicídios. Ele era bastante procurado”, disse o delegado Raphael Reis.

O delegado contou que o preso é suspeito de cometer crimes entre os estados do Maranhão e Piauí. “O Modus Operandi dele é investir contra vítimas no Piauí, furtando motos e trazendo drogas daqui e atravessando para o Maranhão, a fim de entregar esses veículos para receptadores no Maranhão”, explicou o delegado.

“Após escândalo do clã, Moro deve estar pensando em voltar para casa”, diz Flávio Dino

“Eu tenho impressão que, nessa madrugada, Moro ficou olhando para o teto pensando em como voltar para Curitiba”, ironizou o governador do Maranhão

Gilberto Lima – “Após escândalo do clã, Moro deve estar pensando em voltar para casa”. A declaração é do governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), em entrevista exclusiva à TV 247, na manhã desta sexta-feira (18).

Ele falou sobre o constrangimento do ministro da Justiça, às voltas com os esquemas escusos e irregularidades do governo, em especial o escândalo de Fabrício Queiroz, apontado como caixa do clã Bolsonaro.

Dino acredita que, ao solicitar a paralisação das investigações sobre o esquema Queiroz-Bolsonaro ao STF, “Flávio assume participação nos eventos”. O governador do Maranhão foi juiz entre 1994 e 2006, quando deixou a magistratura para concorrer à Câmara dos Deputados – foi aprovado em primeiro lugar no mesmo concurso do qual participou Sérgio Moro.

“Eu tenho impressão que, nessa madrugada, Moro ficou olhando para o teto pensando em como voltar para Curitiba. Ele construiu uma imagem de combatente e inflexível no combate à corrupção”, ironizou.

Cleomar Tema diz em entrevista coletiva que vencerá eleição na FAMEM com 105 votos

Djalma Rodrigues – O presidente da Federação dos Municípios do Estado do Maranhão-FAMEM, Cleomar Tema (que disputa a reeleição), afirmou, na tarde desta sexta-feira (18), que vai vencer as eleições para sua recondução ao mandato, com 105 votos. O pleito vai acontecer no próximo dia 30 e ele assegurou que tem plena consciência da vitória, reafirmando que os prefeitos que lhe dão sustentação não irão recuar.

Tema aproveitou a coletiva para criticar a postura do senador Weverton Rocha (PDT), afirmando que ele está aliciando prefeitos para que votem no candidato da predileção dele, Erlânio Xavier, de Igarapé Grande (PDT).

-Lugar de senador é em Brasília, lutando em benefício do Estado e não agindo numa disputa de uma entidade municipalista como a FAMEM. É uma luta desigual e o senador tem que adotar outra postura e não aproveitar essa disputa para a montagem do seu projeto de poder-, salientou.

O dirigente municipalista elogiou o comportamento do governador Flávio Dino, que não está interferindo e nem determinando aos seus auxiliares que se intrometam nesta eleição.

Fez um rápido balanço de suas atividades, afirmando que, em apenas 15 dias do governo Bolsonaro, já esteve em cinco ministérios em Brasília, tratando de interesses dos municípios maranhenses.

“Com o ministro chefe da Secretaria de Governo da Presidência da República, General Santos Cruz, tivemos a garantia da liberação dos precatórios do FUNDEB, da ordem de R$ 7,7 bilhões e discutimos ainda sobre a PEC do 1% para o FPM, que vai vigorar a partir de setembro e ele nos pediu que retornássemos ao seu gabinete dentro de 30 dias”, afirmou.

Disse  Tema, que esteve ainda com o ministro da Ciência e Tecnologia, Marcos Pontes, juntamente com o vice-governador Carlos Brandão e toda a bancada federal, discutindo sobre o Centro de Lançamento de Alcântara. Também acompanhou o vice-governador ao Ministério da Infraestrutura, cuja pauta foi sobre a duplicação da BR-135.

De acordo com o presidente da FAMEM, com a ministra da Agricultura, Tereza Cristina, ele dialogou sobre o fortalecimento da agricultura familiar, tendo ela se mostrado entusiasmada com as ideias que lhes foram apresentadas, havendo agendado uma visita ao Maranhão, através do presidente da entidade, para o mês de fevereiro.

“São várias as nossas conquistas e isso nos deixa extremamente  satisfeito. “Sou um municipalista convicto e não atuo por um projeto de poder. Acredito na união do nosso grupo e na vitória no próximo dia 30”, assegurou.

Sem consenso, prefeitos ameaçam rachar FAMEM e criar nova entidade

Gestores alegam interferência externa de Weverton Rocha na disputa pelo comando da federação. Pedetista nega

ATUAL7

Dezenas de prefeitos maranhenses estudam a formação de uma nova entidade representativa caso não haja consenso em prol dos municípios na disputa pelo comando da Federação dos Municípios do Estado do Maranhão (FAMEM).

Marcada para acontecer no próximo dia 30, a eleição tem como candidatos o prefeito de Tuntum Cleomar Tema (PSB), que é favorito e busca a reeleição, e o prefeito de Igarapé Grande Erlânio Xavier (PDT).

Segundo prefeitos ouvidos pelo ATUAL7, há uma insatisfação criada devido a articulação de bastidor que vem sendo feita pelo senador eleito Weverton Rocha (PDT) pelo controle da Famem, visando impor força política.

Ainda segundo os gestores, eles temem que, numa eventual Famem comandada com Weverton e sub comandada por Erlânio Xavier, pela forma de trato do primeiro e da inexpressividade do segundo em Brasília, o diálogo aberto pela atual gestão da entidade com o Palácio do Planalto acabe sendo perdido.

Diante da falta de consenso, a única solução para o impasse, dizem, seria rachar a federação e criar uma nova entidade representativa dos municípios.

Apesar da interferência externa apontada pelos prefeitos, Weverton Rocha nega que esteja se intrometendo na eleição para a presidência da FAMEM

Carro-bomba explode em academia de polícia e deixa 9 mortos em Bogotá

Jornal do Brasil

Nove pessoas morreram e 54 ficaram feridas nesta quinta-feira na explosão de um carro-bomba em uma academia de polícia no sul de Bogotá, informaram autoridades locais, que descreveram um ato de “terrorismo”.

O ministério da Defesa confirmou que se tratou de um “ato terrorista”, um dos mais graves já cometidos na capital colombiana desde a desescalada do conflito armado em razão do pacto de paz selado com a ex-guerrilha das FARC no final de 2016.

Atentado com carro-bomba na Colômbia. (Foto: Juan Barreto | AFP)

O ataque foi dirigido contra a Escola de Oficiais General Francisco de Paula Santander, e “até agora deixou 8 pessoas mortas e 10 feridas”, informou o organismo em um comunicado.

A Secretaria de Saúde de Bogotá informou, por sua vez, que 54 pessoas ficaram feridas e estão sendo atendidas em quatro estabelecimentos médicos. Não há, neste momento, informações sobre o número de militares afetados pelo ataque.

Após o atentado, o presidente Iván Duque cancelou um conselho de segurança em Quibdó, no noroeste do país, e retornou à capital para se reunir com a cúpula militar.

“Todos nós, colombianos, rejeitamos o terrorismo e estamos unidos para enfrentá-lo. A COLÔMBIA está triste, mas não se curvará ante à violência”, escreveu o presidente no Twitter.

Duque, que assumiu o cargo em agosto de 2018, tem endurecido a política de combate às drogas no país, maior produtor de cocaína do mundo, e estabeleceu condições para reavivar as negociações de paz com o Exército de Libertação Nacional (ELN), última guerrilheira ativa no país.

A explosão ocorreu após uma cerimônia de promoção de oficiais.

As primeiras imagens da televisão local mostraram o movimento de ambulâncias em torno da área do suposto ataque, e o que pareciam ser os restos de um veículo em chamas.

Uma funcionária da saúde das Forças Armadas disse à imprensa que o veículo invadiu “abruptamente” a sede da polícia.

“Ele entrou abruptamente, quase atropelando os policiais e depois explodiu”, comentou Fanny Contreras.

Segundo seu testemunho, “houve outra pequena explosão”, ainda que, neste momento, as autoridades da capital tenham evocado uma única explosão.

Rosalba Jiménez, de 62 anos e vizinha do local, estava abrindo o seu ateliê de costura quando os vidros das janelas explodiram

“Estávamos abrindo quando sentimos a explosão. Pensamos que tinha sido a bomba do posto de gasolina ao lado”, relatou à AFP.

Mas “quando voltamos a olhar, o céu sobre a escola estava cinza de fumaça. Pessoas corriam, foi horrível. Parecia o fim do mundo”, acrescentou.

As forças de segurança bloquearam o acesso do local à imprensa e um forte esquema de vigilância foi montado no sul da capital, segundo jornalistas da AFP.

“Eu dei ordens à Força Pública para determinar os autores desse ataque e levá-los à Justiça”, acrescentou Duque.

Por enquanto, nenhum grupo reivindicou a autoria do ataque.

Com cerca de oito milhões de habitantes, Bogotá foi abalada por atos esporádicos de terror em 2017.

Em fevereiro daquele ano, o ELN assumiu a responsabilidade por um ataque a uma patrulha policial que matou um soldado e feriu gravemente vários outros no bairro de Macarena, em Bogotá.

Nesse mesmo ano, um ataque em um centro comercial de Bogotá deixou três mortos e vários feridos.

As autoridades acusaram o Movimento Revolucionário do Povo (MRP), um grupo de esquerda.

Domingos Dutra – prefeito de Paço do Lumiar- declara apoio a Tema e prega consenso na FAMEM

O prefeito do município de Paço do Lumiar, Domingos Dutra (PC do B), esteve na manhã desta quinta-feira (17), na sede da Federação dos Municípios do Estado do Maranhão- FAMEM, para declarar voto à reeleição do atual presidente Cleomar Tema. Como argumento, afirmou: “ Vim aqui declarar meu voto ao Tema, em função da visibilidade que ele deu à nossa entidade, que hoje é uma instituição respeitada nacionalmente e pelo trânsito que conquistou junto à Confederação Nacional dos Municípios-CNM”, destacou.

De acordo com Domingos Dutra, a FAMEM, sob o comando de Cleomar Tema, abriu espaços em todas as instâncias de poder, seja no Governo Federal, Congresso e até mesmo no Supremo Tribunal Federal e no TCU.

“O Tema á respeitado em nível nacional, já esteve com ministros do atual governo, em busca de projetos e recursos para os municípios do Estado”, afirmou.

Disse ainda Domingos Dutra, que Tema, além da influência na esfera nacional, o Cleomar Tema tem as portas abertas em todas as secretarias do governo estadual. “Vejo que o Tema é o melhor candidato, uma vez que conquistou respeitabilidade em todos os setores”, afirmou,

Finalizando, Dutra acrescentou não conhecer o adversário de Tema, mas o aconselha a se agregar à candidatura do atual dirigente da Federação dos Municípios, como candidato a vice e se preparar para a presidência posterior. “O Tema tem experiência., tem trabalho e tem uma marca, por isso, vejo que deve continuar na direção de nossa instituição”, acrescentou.

Veja no vídeo abaixo a declaração de apoio do prefeito Domingos Dutra a reeleição de Tema:

Flávio Dino no centro do debate político nacional

John Cutrim – Considerado uma das vozes mais lúcidas da política nacional, o governador Flávio Dino está se tornando referência para a imprensa nacional quando o assunto é discutir as importantes pautas que estão em evidência no Brasil sob o comando do presidente Jair Bolsonaro.

Com a propriedade de quem pode discorrer sobre qualquer assunto, seja ele do campo jurídico – já que é ex-juiz federal e professor de Direito –, seja no campo administrativo – foi considerado o governador do Brasil que mais cumpriu promessas nos últimos quatro anos –, Dino tem sido constantemente procurado pela mídia nacional para comentar as atabalhoadas ações do governo do capitão reformado.

Veículos das mais variadas vertentes estão entrevistando aquele que hoje aborda os assuntos da forma mais clara e objetiva. As entrevistas de Flávio Dino são muito repercutidas não só pelos simpatizantes da esquerda, mas por todos que buscam equilíbrio acerca da radicalização que tomou conta do país.

Nesta quinta-feira (17), o governador do Maranhão será entrevistado no programa ‘Diálogos’, com o jornalista Mário Sérgio Conti, da GloboNews, às 23h de Brasília (22h horário local). Essa é só mais uma prova do quanto a voz de Flávio Dino tem repercutido em meio aos obscurantismos que cercam o novo governo federal.

Se Erlânio Xavier ainda busca consenso com Tema é porque não tem a eleição garantida

Ao dizer que ainda busca consenso para formação de chapa única na disputa pela presidência da FAMEM, o prefeito Erlânio Xavier externa dúvida quanto a uma vitória posta como favorita

Ao lançar ontem (16), sua chapa em um luxuoso hotel de São Luís para concorrer à presidência da FAMEM no próximo dia 30, o prefeito de Igarapé Grande, Erlânio Xavier (PDT) disse que ainda busca consenso com o atual presidente Cleomar Tema, para uma eleição consensual.

Para quem se apresenta como franco favorito ao pleito buscar o consenso, pode ser sim uma atitude de quem não quer um racha na base do governo de Flávio Dino, mas também pode ser a dúvida, a incerteza na vitória que procura aparentar.

Como principal plataforma de sua campanha está à promessa de construção de uma sede própria para entidade, algo que não deve ter sido ainda feito na gestão de Tema, não por conta de sua vontade e sim, talvez, devida a enorme crise que o País tem passado nos últimos tempos que atinge a gestão de todos os seguimentos que dependem de dinheiro público, como é o caso da FAMEM.

Em um momento de transição no qual vivemos, Tema que tem um grande trânsito com as instituições e com os Governo Estadual e Federal, se apresenta como a melhor alternativa para os prefeitos maranhenses, onde muitos deles enfrentam sérios problemas de ordem financeiras em suas cidades. Erlânio Xavier não tem essa bagagem e nos parece ser mais um instrumento de disputa pelo governo do estado em 2022 e não da ideologia municipalista tão bem praticada pela atual gestão da entidade ora tão disputada.

Tema com seu dinamismo tem engrandecido o trabalho da entidade e se vencer o pleito muito fará ainda por ela com certeza, já uma vitória de Erlânio só o futuro responderá.

Funcionárias públicas e vigilante da DPU-MA são presos por clonagem de chip para extorsão via aplicativo de celular

Gilberto Lima – Policiais da Superintendência Estadual de Investigações Criminais (SEIC) prenderam sete acusados de crimes de estelionato e associação criminosa. Ele foram identificados como José Jorge Xavier Alves; Lottas Mateus Ribeiro Caldas; Hallen Devid Cosmo do Nascimento; Bruno Nascimento Alves de Morais; Marcos Aurélio Santos Freitas Filho; Márcia Sebastiana Sousa de Jesus e Anniele Raina Barreto Granjeiro.

A quadrilha agia usando a clonagem de números de chips de celular, onde depois utilizava um aplicativo de mensagens de texto, entrando em contato com os familiares e amigos de vítimas, no sentido de pedir valores por transferências bancárias.

Os criminosos faziam se passar pela vítima do chip clonado e pediam ajuda financeira. O grupo criminoso fez vítimas em vários municípios do Maranhão.

Um dos investigados, Hallen Devid Cosmo do Nascimento, já havia sido preso pela SEIC, pelo mesmo tipo de crime, mas encontrava-se gozando do benefício da Liberdade Provisória.

Segundo informações do delegado Carlos Alessandro, titular da Seic, entre os presos há uma funcionária da Câmara Municipal de São Luís, uma funcionária da Prefeitura de Paço do Lumiar, um funcionário de uma terceirizada da Vale e um vigilante da Defensoria Pública da União no Maranhão (DPU-MA).

Ainda segundo o delegado, entre as vítimas da quadrilha estão sete prefeitos de cidade do Maranhão. Há suspeitas de que alguns prefeitos de cidade do Estado do Paraná também tenham sido vítima dos criminosos.

Bolsonaro engana eleitores e coloca Sarney ao seu lado

Marrapá – Eleito com o discurso de que mudaria “tudo que está aí”, o presidente Jair Bolsonaro vai dando provas diárias de que as declarações durante a campanha serviram apenas para enganar os seus eleitores.

Nesta quarta-feira, Bolsonaro recebeu a visita do presidente da Argentina, Maurício Macri, e escolheu justamente o oligarca José Sarney – nome que representa o que há de mais antigo na política brasileira – para sentar ao seu lado.

Na verdade, essa não é a primeira vez que o presidente dá sinais de que o oligarca maranhense será um dos seus principais conselheiros pessoais. Bolsonaro já bateu continência e fez questão da presença de Sarney na sua posse.

Para quem só está começando o governo e prometeu uma nova política para os seus eleitores, Bolsonaro escolheu o nome errado para mostrar que realmente sentou na cadeira do Palácio do Planalto para fazer diferente.

Índios denunciam invasão de terras indígenas no Maranhão

Tribos do Amazonas – Foto Sebastião Salgado

POR MÍRIAM LEITÃO

A Terra Indígena dos Awá Guajá, na qual houve a desintrusão em 2014, está sendo novamente invadida. Há fazendeiros já instalados lá, árvores foram derrubadas e há rebanho pastando por lá. Nas últimas horas mantive vários contatos com uma liderança indígena no Maranhão na terra ao lado de onde estive em 2013 fazendo uma reportagem para O GLOBO junto com o fotógrafo Sebastião Salgado. Falei também com outras pessoas da área.

Os Awá Guajá são definidos pela Funai como “de recente contato”. A maioria só fala Guajá. Antonio Guajajara, da Terra Caru, falou que eles estão correndo extremo perigo. Existem também desse mesmo povo, alguns grupos isolados, ou seja, os que recusam contato.

No Maranhão os remanescentes de Floresta Amazônica estão em três terras indígenas: Awá Guajá, na qual fiz a reportagem, Caru, onde vivem os Guajajara e onde tem mais duas aldeias de Awá e a TI Alto Turiaçu onde vivem os Ka’apor.

Os Guajajara, depois da desintrusão (retirada de ocupantes ilegais), formaram dois grupos de vigilantes: os Guardiões da Floresta, e as Guerreiras da Floresta, para fiscalização e conscientização da importância da preservação.

Você pode ouvir o recado dado pela liderança indígena Itakaiô, da TI Awá Guajá, mandado para os indígenas de outras aldeias, e o resumo que ele mesmo fez em português, alertando para o que está acontecendo lá.

Leia abaixo também o longo depoimento de Antonio Guajajara me explicando a situação atual. Neste fim de semana foram feitas reuniões de grileiros para planejar novas invasões, segundo informação que eu consegui com moradores da região. O blog traz tudo isso com exclusividade: as vozes indígenas alertando e pedindo ajuda.

OUÇA A TRADUÇÃO FEITA PELO MESMO ÍNDIO EM PORTUGUÊS

Depoimento de ANTONIO WILSON GUAJAJARA, cacique da aldeia Maçaranduba, da Terra Indígena Caru, Maranhão

“A gente vem acompanhando as ameaças que estão surgindo sobre a terra indígena Awá Guajá. Nós que moramos aqui perto, na verdade são três terras coladas uma a outra: a terra indígena Caru, a terra indígena Awa Guajá e a terra indígena Alto Turiaçu dos indígenas Ka’apor.

A gente está vendo a terra dos Awa a um instante ela sendo invadida pelos não-indígenas, pelos invasores, os antigos invasores que moravam nela. Quando teve a desintrusão, quando eles saíram, e agora essa nova possibilidade de o governo liberar as terras indígenas. Isso faz com que eles achem que está tudo já liberado e aí eles estão se manifestando para querer invadir.

Só que nós aqui, Miriam, dessa região onde eu moro, a gente trabalha da maneira organizada. Sabemos que as únicas terras em que existe mata no Maranhão são a terra Caru, Alto Turiaçú e Awa Guajá. São as únicas terras que tem matas. Foi formado desde 2014 o grupo de Guardiões da Floresta, no qual a gente faz a vigilância. A gente faz a vigilância para que essas pessoas não possam entrar. Aqui na terra Caru a gente trabalha para isso: defender a floresta de uma maneira pacífica, sem violência, educada.

Já fizemos várias capacitações e sabemos também que o nosso dever de proteger a floresta é muito importante porque aqui na terra também tem os Awá que nunca tiveram contato com ninguém. Não sei se você sabe, mas aqui na Caru tem ainda esses indígenas. Eles são índios de recente contato, que são a aldeia Tiracambú e a aldeia Awá. Ficam aqui na terra Carú.

A gente está pensando em continuar fazendo esse trabalho. Vem dando certo. Hoje a terra indígena Caru, Turiaçu, a Pindaré, outra terra aqui também de Guajajara, a gente vem vendo resultado, trabalhando os guardiões juntos, mostrando para o invasor que a gente não está para entrar em conflito, que a gente está para conversar, fazendo com que eles entendam que a terra é nossa, é indígena. E também aqui, quando foi formado o grupo de guardiões da floresta, foi formado também o grupo das guerreiras, de mulheres, de Guerreiras da Floresta como chamamos aqui. O trabalho delas é fazer reunião com os povoados, nas cidades, informando a importância da floresta, a importância dos rios, a importância de todos animais, e também informando que tem indígena dentro da terra que não se deve ter contato. A gente vem trabalhando muito forte em cima disso, avisar aos não-índigenas, os “brancos” como falamos. O trabalho delas é muito importante. Esse grupo só existe aqui na Caru. Desde 2014 os Guardiões andam pela terra e as Guerreiras andam pelo outro lado, dos não-indígenas, fazendo esse tipo de trabalho que é perigoso, mas é importante para nós tudo.

A gente está bastante preocupado. A nossa terra indígena Carú é de 172 mil hectares, só floresta. Se a gente não tiver parceria com os amigos, com outras pessoas, fica também difícil para gente. Sabemos que quem vai sofrer mais ainda são os próprios Awá, que não estão entendendo nada do que está acontecendo.

A terra indígena Carú está rodeada de povoados. É tipo uma ilha, tem dois rios. Existe também bastante invasão. Mas a gente está batendo firme e forte, continuando nossos trabalhos de vigilância. Mas a gente precisa de mais força também. Esse é um pouco de história aqui da Caru.

Quanto à terra Awá, a gente quer unir forças. Tanto com os Awá, que são recente contato, quer unir força com a etnia Ka’apor, e quer unir força com os outros parentes também para que a gente possa ajudar eles, os Awá, a fazer suas aldeias lá dentro da terra. Eles não fazem ainda por conta de ameaças, por conta de várias desmatamentos que estão sendo muito fortes dentro da terra Awá. A gente foi lá, passou quase um mês lá, e a gente não vê outra coisa a não ser pasto, criação de gado está muito forte. E eles estão jogando agora é veneno por cima da floresta para matar os matos e criar os capins. Fazer com que a pastagens aumente. Isso é bastante preocupante para nós.

O que nos resta é unir as forças. Daqui para frente nós vamos fazer isso, unir as forças. Vamos unir força para que a gente possa ajudar a salvar os parentes Awá que não estão ainda contactados. Estão na mata. Estamos preocupados com o futuro das nossas vidas e das deles também (…) Eles dependem muito da gente e dos Ka’apor. Essas terras do Awá fica no meio das duas terras, tanto da Caru quanto do Alto Turiaçu. Precisamos de muito apoio para que possamos reflorestar o que foi destruído e proteger também ao mesmo tempo as três terras juntos.

Quando você veio, naquele ano, não tinha muito desmatamento. Hoje está muito diferente. A invasão aumentou, tiração de madeira também. Tem alguns fazendeiros dentro, morando e eles estão utilizando esse tipo de trabalho, jogando veneno por cima da terra dos Awá. Tudo isso está acontecendo dentro da terra dos Awá. E eles usam também fogo quando é tempo de seca. Saiu queimando tudo.

Não sabemos se os Awá, que ainda não estão contactados, nós não sabemos se ainda existem lá dentro. Sabemos que tem na terra Caru, a terra onde eu moro, mas na terra dos Awá não sabemos. Se tem, eles estão vivendo meio que para um lado e para outro. Topa com madereiro, topa com caçador. Principalmente agora com o que está acontecendo com eles.” (O Globo)

Com nova estrada, Rota das Emoções fica 3 horas mais rápida

Nova ecorodovia de Paulino Neves. (Foto: Jardel Scot)

Os estados do Maranhão, Piauí e Ceará, cortados pela turística Rota das Emoções, agora ficaram mais próximos. Com a entrega da MA-315, estrada que liga os municípios de Barreirinhas a Paulino Neves, o percurso entre as cidades, que antes era feito em três horas e meia a 4 horas, agora pode ser feito em apenas 30 minutos. Bom para o turismo, mas principalmente para quem mora na região.

“Antes eram umas 4 horas pra chegar até Paulino Neves. Carro atolava, era muito difícil pra você conseguir andar pelo terreno de areia. Hoje está uma maravilha, essa estrada é um sonho”, disse Emerson Nascimento, morador de Barreirinhas que trabalha há 45 anos com transporte de pessoas.

Primeira ecorodovia do Maranhão, a estrada de 38 km pavimentados foi entregue nessa segunda-feira (15) pelo Governo do Maranhão. Além da estrada, o governo também já tinha construído a ponte sobre o Rio Novo, entre os dois municípios.

“Além da ponte sobre Rio Novo, temos aqui uma estrada importantíssima não apenas para o Maranhão, mas também para o Piauí, Ceará, para o país, porque faz parte da Rota das Emoções”, afirmou o secretário de infraestrutura, Clayton Noleto.

Tecnologia

Nova ecorodovia de Paulino Neves. (Foto: Jardel Scot)

A MA-315 recebeu pavimentação em TSD, o que garante mais segurança e aderência, principalmente no período chuvoso, além de drenagem superficial e sinalização vertical e horizontal.

O lavrador Bernardo Marques, morador do povoado Passagem Grande, em Paulino Neves, contou que antes gastava uma hora do povoado à sede do município. Agora são apenas 20 minutos.

“Antes era areia braba, carro tinha bem pouco, aí depois começou a melhorar. Colocaram barro e agora ficou 100%, coisa que a gente não pensava nunca em passar na porta da gente’, completou.

Rota das Emoções

A redução no tempo do percurso tem proporcionado mais conforto para o turismo local.

A cidade de Paulino Neves, que faz parte da “Região das Areias”, é cortada por vários trechos com dunas e pequenas lagoas. Com uma beleza natural única que forma os Pequenos Lençóis Maranhenses, o roteiro integra a Rota das Emoções entre as cidades de Barreirinhas, Tutóia, Araioses, Santo Amaro e Água Doce do Maranhão, além de ligar como rota alternativa o Maranhão com os Estados do Piauí e Ceará.