Feiras, apoio e compras do Governo garantem mais de R$ 100 milhões a pequenos produtores em 4 anos

Feiras são parte dos investimentos em agricultura familiar. (Foto: Divulgação)

Nos últimos quatro anos, mais de R$ 100 milhões circularam no Maranhão apenas na realização de feiras de agricultura familiar, materiais, incentivos e compra de produtos desse setor da economia pelo Governo do Estado.

Trata-se, por exemplo, da Feira de Agricultura Familiar e Agrotecnologia do Maranhão (Agritec) e do Programa de Aquisição de Alimentos (PAA). É uma ajuda direta aos pequenos produtores.

“Quanto mais a gente tem para quem vender, mais vontade de produzir nós temos”, destacou a produtora Gracilene de Jesus, da Associação das Quebradeiras de Coco Babaçu do povoado Canto do Ferreira, em Chapadinha.

Compras

A associação é uma das beneficiárias do Programa de Compras da Agricultura Familiar (Procaf), iniciativa executada este ano pelo Governo do Estado que destinou aproximadamente R$ 3 milhões para associações de produtores rurais em 29 cidades do Maranhão, incluindo os municípios indígenas beneficiados pelo Procaf Indígena.

Com o PAA, o Programa de Aquisição de Alimentos desenvolvido em parceria com o Ministério do Desenvolvimento, outros R$ 48,4 milhões também foram destinados à compra dos produtos oriundos das hortas e canteiros de mais de 5 mil agricultores.

Feiras

Criada em 2015, a Agritec é realizada por meio da Secretaria de Estado da Agricultura Familiar (SAF) e já passou pelos municípios de São Bento, Caxias, Açailândia, Bacabal, Chapadinha, Codó, Grajaú, Viana, Zé Doca, Paraibano, Barra do Corda, Santa Luzia, Itapecuru-Mirim, Cururupu, São Raimundo das Mangabeiras, Lago da Pedra e Timon.

Nas feiras, foram R$ 25.470.530,69 em contratos firmados com o Banco do Brasil e Banco do Nordeste, 30.215 agricultores familiares capacitados,  R$ 1.810.599,00 em produtos comercializados e milhares de visitantes ao longo das edições realizadas até agora.

Tecnologia

Sistecs auxiliam produção de baixo custo. (Foto: Divulgação)

Além disso, foram investidos cerca de R$ 20 milhões nas Sistecs, que são tecnologias sociais alternativas de baixo custo. Os produtores recebem o suporte e equipamento para plantar ou criar peixes em espaços reduzidos, por exemplo. Até agora, são mais de 8 mil famílias beneficiadas com esses sistemas.

Apoio direto

A gestão estadual tem dado apoio aos agricultores em várias frentes, com investimentos significativos. Na distribuição de kits de irrigação, dos Quintais Produtivos (orientação técnica e material para aumentar a produção), e kits de apoio para a distribuição da produção, foram mais de R$ 10 milhões.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *