Audiência Pública sobre fornecimento de água em Araioses

O sistema de água feito pelo governo do estado no povoado Jatobá tem boa vazão, mas não serve para consumo humano

O problema de fornecimento de água em Araioses é antigo e sua solução não é tarefa fácil de ser realizada.

No final da década de 90, quando Chagas Paixão (1997/2000) era o prefeito de nossa cidade, mais de dois milhões de reais foram investidos na obra de ampliação do abastecimento de água por parte da CAEMA, onde a capitação da saiu do porto das pedras, na sede da cidade para o Rio Magú, no povoado do João Peres.

Na época eu e meu irmão o Agenor Bola Cheia nos posicionamos contra, por entender que o local não era o mais apropriado, pois defendíamos que a estação de capitação de água da CAEMA deveria ser instalada no Rio Parnaíba.

Escavação do poço no bairro Alto São Manoel deu numa rocha e não pode ser continuado

Sofremos bastante criticas por esse posicionamento, mas o tempo já deu a resposta e hoje ninguém de sã consciência defende a atual situação, que dada a sua vulnerabilidade, já que tão logo os invernos se vão a nascente do Rio Santa Rosa – que recebe suas águas do Rio Parnaíba – seca e com isso sem renovação, o mar “empurra” a água salgada que atinge também o Rio Magú.

O governo do estado já fez várias tentativas de amenizar essa situação tanto na cidade como nos povoados e não deu certo, como no povoado Jatobá. Lá a água é abundante, mas não serve para o consumo humano.

Aqui na sede da cidade e em João Peres foi iniciada a cavação de poços que não foram concluídos, pois as perfuratrizes encontraram no sob-solo rochas intransponíveis.

Recentemente recebemos a informação de que a CAEMA estaria próximo a realizar uma licitação para que a capitação da água fosse feita na Lagoa do Dezim, o que mais uma vez nos posicionamos contrários, pois sabemos que além de não a solução ideal ainda traria os danos ambientais.

Capitação de água da CAEMA no Rio Magu, próximo a ponte de João Peres

A Lagoa do Dezim é abastecida com águas do Magu, rio esse que se encontra em situação dificílima, que se não for feito um trabalho de recuperação corre sério risco de ser num futuro, não tão longe, apenas histórias que serão contadas.

Entramos em contato com a CAEMA, alertamos que essa saída não resolve o problema de abastecimento de Araioses e sugerimos que a estação da capitação da empresa seja construída na beira do Rio Parnaíba, acima da nascente do Rio Santa Rosa, no povoado Tucuns de Dentro.

Os gastos serão maiores, porém essa mudança permitiria resolver não só problema de água em Araioses e João Peres, como também de todos os povoados que estão nessa rota, como Remanso, Farias, Gado Bravo, Mariquita, Zumbi, Jatobá, Água Fria, entre outros.

Sugerimos que uma audiência pública com a participação de representantes da CAEMA, autoridades constituídas, entidades sindicais e comunitárias e ainda seguimentos religiosos seja realizada, que tenha como objetivo a realização desse projeto.

Com união e boa força de vontade nada é impossível.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *