Maranhão se destaca em estudo nacional sobre aumento salarial para professores

O mais amplo e recente retrato sobre a educação brasileira mostra que o Maranhão é um dos Estados que mais têm valorizados os professores. O estudo é do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), vinculado ao Ministério da Educação.

O “Relatório do 2º Ciclo de Monitoramento das Metas do Plano Nacional de Educação (PNE) – 2018” analisa diversas ações no ensino em todos os Estados.

O Maranhão aparece com destaque principalmente no que diz respeito à equiparação do salário dos professores com os de outros profissionais com a mesma formação. Quanto mais perto de 100%, mais valorizados são os professores em relação aos demais profissionais. A meta é atingir os 100% de equiparação.

O Maranhão tem a melhor marca do Nordeste e a quarta melhor em todo o Brasil: 93,5%. Na média, incluindo professores de todas as esferas (municipal, estadual e federal) da educação básica, o Maranhão paga o salário de R$ 3.721,40, o segundo maior do Nordeste.

No que diz respeito à região Nordeste, o estudo mostra que, em 2017, os estados mais próximos de alcançar o objetivo da Meta 17 – que trata sobre o salário dos professores – foram Maranhão (93,5%), Rio Grande do Norte (92,0%) e Sergipe (90,6%).

Ainda de acordo com o estudo, “observa-se que no estado do Maranhão ocorreu o maior crescimento real dos rendimentos brutos médios mensais dos profissionais do magistério das redes públicas de educação básica – aumento de 18,0% no período analisado (de R$ 3.153,32, em 2012, para R$ 3.721,40, em 2017)”.

Maior salário da rede estadual

Outro levantamento recente publicado na revista Nova Escola mostrou que, levando em consideração apenas os professores da rede estadual, o Maranhão é o Estado brasileiro com a melhor remuneração: R$ 5.750,83. O valor se refere a profissionais em início de carreira com licenciatura plena e jornada de 40 horas semanais.

Mais crianças nas creches

O estudo do Inep também verificou a frequência nas creches. De acordo com o relatório, entre 2015 e 2016, o Maranhão aumentou de 23,2% para 28,9% o total de crianças de até três anos que frequentavam a creche. É o quarto melhor índice entre os nove Estados do Nordeste. Em 2014, o Maranhão estava na sexta posição.

O Maranhão também teve aumento na taxa de crianças de 4 a 5 anos em creche, passando de 94,6% para 97%. É o segundo melhor índice de todo o Brasil.

As creches fazem parte da política educacional dos municípios, que vêm sendo estimulados pelo Escola Digna. “O Programa Escola Digna repercute também nessa evolução do atendimento de creche porque coloca a educação no centro de uma política pública, estimulando a gestão municipal a investir cada vez mais na área”, afirma Nádia Dutra, secretária adjunta de Ensino da Secretaria de Estado da Educação.

O Escola Digna investe, entre outras coisas, na substituição de escolas de taipa por escolas de alvenaria no ensino fundamental, mas também faz a formação de gestores da educação infantil. “Quando a gente leva isso para as cidades, os gestores municipais também se sentem estimulados a investir em educação, sabendo que é uma política fundamental para o futuro dos maranhenses”, acrescenta a secretária adjunta.

Fonte: Secap

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *