Roça com cerca de 400 pés de maconha é descoberta na Reserva Araribóia

Investigadores cortam pés de maconha localizados dentro de aldeia indígena

Wellington Rabello – Policiais civis da cidade de Arame, no centro sul do Maranhão, a 432 Km de São Luís, efetuaram a prisão de dois homens suspeitos por tráfico de drogas, que mantinham uma roça com aproximadamente 400 pés de maconha. A operação aconteceu na quinta-feira (8), dentro da Aldeia Estirão, que pertence à Reserva Araribóia – distante 42 Km da sede de Arame, no sentido de quem vai para Grajaú.

A operação foi uma iniciativa do investigador Jorge Hilário, sendo coordenada pelo delegado Renilton Ferreira, titular da 15ª Delegacia Regional de Barra do Corda e que responde pela cidade de Arame. Tudo foi motivado por denúncias de que uma motocicleta Bros, cor vermelha com branca, estava sendo negociada pelo indígena de apelido “Zeti’u”, que na língua portuguesa significa “Muriçoca” ou “Pernilongo”.

Após cortados, os pés de maconha totalizaram 80 quilos da droga

Conforme o delegado Renilton Ferreira, o suspeito informou que comprou a motocicleta na própria aldeia por R$ 1 mil, e que a mesma foi entregue no dia anterior a quatro homens ocupantes de um veículo Hilux cor branca, que se passaram por policiais e diziam ser donos da motocicleta.

Logo em seguida, a equipe se dirigiu à plantação de maconha ou “pity mahy”, na língua indígena, sendo encontrada uma plantação com aproximadamente 400 pés da erva. Após ser pesada rendeu 80kg.

Os dois índios foram autuados pelo crime de tráfico de drogas e seriam levados para a unidade prisional de Grajaú

Os indígenas ‘agricultores’ foram autuados pelo artigo 33, parágrafo 10, incisos I e II; e artigo 35, da Lei 11.343/06. Eles foram identificados como Rozi Ymira Guajajara, o “Muriçoca”, de 25 anos; e Floriano Clemente Guajajara, o “Kele”, 40. Os dois ficaram recolhidos na Delegacia de Arame, mas seriam recambiados para a Unidade Prisional de Grajaú.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *